quarta-feira, 28 de Novembro de 2007

O nemátodo da madeira do pinheiro

O nemátodo é causador de uma doença no pinheiro bravo que provoca a sua morte. Começou a atacar há já alguns anos em Portugal, mas ninguém lhe pôs cobro. Pressionado pela Comissão Europeia, o Governo teve que avançar.

Alguém teve que fazer as contas... Quantos pinheiros são? A Direcção-Geral dos Recursos Florestais (DGRF) estimou que seriam cerca de 700 mil árvores a arrancar, o que daria uma despesa de 11 milhões de euros.

O problema começou no terreno. Os pinheiros eram muitos mais: cerca de 5 milhões. Resultado: uma factura muito maior. A empresa exigiu 70 milhões de euros, mas aceitou negociar por 30 milhões...

http://nem-comento.blogspot.com/2007/10/combate-doena-do-pinheiro-pode-custar.html
www.agroportal.pt/x/agronoticias/2007/10/12j.htm
www.portugal.gov.pt/Portal/PT/Governos/Governos_Constitucionais/GC17/Ministerios/MADRP/Comunicacao/Notas_de_Imprensa/20071012_MADRP_Com_Nematodo_Pinheiro.htm

Preço da energia vai subir (ou mais outra taxa)

O preço da energia vai subir. Depois de a maldita ERSE ter determinado uma subida fulminante o ano passado, que depois foi bloqueada pelo Governo, face aos protestos existentes, este ano vai ser diferente. Afinal há um prémio Nobel que o ajuda a justificar.

O secretário de Estado do Ambiente já minimizou o aumento: "Esta é uma forma de os consumidores levarem a eficiência energética até sua casa". Ou melhor, à sua caverna. Desliguem o aquecimento no Inverno, e o ar condicionado no Verão, acendam umas velas e desliguem as luzes... devem ser as ideias reinantes.

http://dn.sapo.pt/2007/11/27/sociedade/necessidade_reduzir_vai_fazer_subir_.html

segunda-feira, 26 de Novembro de 2007

O orçamento dos biocombustíveis

O orçamento de estado de 2008 promete mundos e fundos para os biocombustíveis. Até a isenção do ISP sobre os biocombustíveis produzidos com 50% de produto nacional.

Mais uma vez, alguém vendeu gato por lebre aos políticos. Já há muito tempo se sabia que o petróleo necessário para produzir um litro de biocombustível dá para andar muito mais do que aquilo que se anda com o biocombustível produzido...

Recentemente surgiu um novo estudo ainda mais demolidor. É de um Prémio Nobel. Um Prémio Nobel a sério, não um Al Gore... E que diz que os biocombustíveis produzem mais gases com efeito de estufa, nomeadamente o N2O, que tem um potencial 296 vezes superior ao do CO2 em termos do potencial de aquecimento global.

www.atmos-chem-phys-discuss.net/7/11191/2007/acpd-7-11191-2007.pdf
http://dn.sapo.pt/2007/09/07/dnbolsa/biocombustiveis_50_produto_nacional.html
http://diarioeconomico.sapo.pt/edicion/diarioeconomico/edicion_impresa/destaque/pt/desarrollo/1045548.html

domingo, 25 de Novembro de 2007

Lar, Doce Lar do Tomás

As páginas verdes do Tomás de Montemor já aqui foram referidas, e esta semana ele investe em "desmascarar a sonsice" do nuclear. O nuclear tem muitos inconvenientes mesmo, mas o problema para os ecologistas é que é uma fonte de energia que não produz directamente CO2...

Os ecologistas, quando são apertados nestes argumentos, soltam a justificação fácil. Devíamos poupar mais no consumo de energia, utilizando os recursos de forma sustentável. Se se soubesse os seus consumos energéticos (como é o caso do Al Gore), palpita-me que este argumento cairia igualmente.

Mas o Tomás vai mais longe: quantos desses empresários do nuclear aceitariam construir a sua casa ao lado de uma central nuclear e do rio que geralmente a atravessa? Essa é uma boa pergunta, mas será que o Tomás construiria uma casa dentro de um parque eólico?

sexta-feira, 23 de Novembro de 2007

A história triste da biomassa neste país

A energia da biomassa é uma das potencialmente mais interessantes neste momento. Sobretudo por permitir aproveitar os resíduos florestais e assim prevenir de forma economicamente também sustentável os fogos florestais.

Qual é o problema? Nas palavras do director-geral de Energia, Miguel Barreto, "A biomassa não está disponível porque não existe logística, não existem empresas, nem soluções para a extrair"

Qual é o problema? O problema é que se paga pouco pela biomassa aqui em Portugal, apenas 25 euros por tonelada. Como em Itália se paga 40 euros por tonelada, a solução encontrada por alguns é exportar resíduos florestais!

Acresce que a tarifa paga por MWh é muito inferior à de outros países. E pasme-se! Pela mesma quantidade de MWh, a energia solar recebe 650 euros, enquanto a biomassa recebe 180 euros. Não há problema: os fogos florestais continuarão e assim manteremos o nosso apoio nacional aos 30% de emissões de dióxido de carbono...

http://diariodigital.sapo.pt/dinheiro_digital/news.asp?id_news=89581
http://diariodigital.sapo.pt/dinheiro_digital/news.asp?id_news=89562

quinta-feira, 22 de Novembro de 2007

Pão com 95 octanas

A deputada Helena Pinto tem um título com esta coluna hoje, no jornal "Meia Hora". Ela insurge-se contra a subida que o preço do pão tem tido ultimamente. A justificação parece estar, diz ela, na corrida ao petróleo verde. Para ela tudo é pouco verde, ao contrário dos seus vizinhos de bancada.

Mas os agricultores, que já não se deixam enganar com facilidade, vendem o que produzem a quem lhes dá mais. E se os cereiais dão pouco dinheiro, passam a produzir o "ouro verde".

Mas acrescenta que o ministro da Agricultura garante 188 milhões em benefícios fiscais para desviar terrenos agrícolas para produzir combustíveis que vão tornar a comida ainda mais cara. Paga-se duas vezes, diz a Helena e com razão: nos subsídios e nos supermercados.

quarta-feira, 21 de Novembro de 2007

Mais uma taxa...

Todos estão prontos a surfar a onda do CO2. Agora foi o presidente da TAP a afirmar que mais uma taxa vem a caminho, e que naturalmente os preços dos bilhetes vão ser influenciados de uma forma importante.

A aviação aparentemente é mais um dos sectores a contribuir para o problema das emissões de CO2. São outros 2% para a contabilidade do somatório das emissões de CO2, que rapidamente tende para o infinito.

A verdadeira questão é: Para que servirá mais esta taxa?

http://diariodigital.sapo.pt/dinheiro_digital/news.asp?section_id=30&id_news=89807

terça-feira, 20 de Novembro de 2007

Justificações para tudo!

Ele há justificações para tudo. Como as emissões de CO2 estão na moda, passa a ser politicamente correcto invocá-las para tudo e mais alguma coisa.

Na Câmara da Moita era preciso justificar a compra de novos carros. Os carros antigos tinham 4 anos. Saem cinco novos Honda Civic Hybrid em folha. Segundo o responsável pela gestão da frota municipal, Pedro Rodrigues, o valor total destes novos contratos rondam os 490 mil euros, para os quatro anos.

É só fazer as contas...

www.jornalregional.com/?p=cfcd208495d565ef66e7dff9f98764da&distrito=&concelho=&op=noticia&n=b299b9f6c86d0c3a3968ead5e2ea5463

domingo, 18 de Novembro de 2007

Aviação e o aquecimento global

Políticos dinamarqueses em campanha disseram que se recusavam a vir a Lisboa e a voltar para Bruxelas no mesmo dia, por ocasião da assinatura do futuro tratado de Lisboa. Razão: mais 250 toneladas de CO2 seriam emitidas...

Esta paranóia dos ambientalistas levou-me a recordar o estudo efectuado na sequência do 9/11. Nos dias que se seguiram, o sector da aviação ficou em Terra. O resultado que se seguiu foi um dos mais acentuados aquecimentos verificados na Terra em 30 anos!

http://diariodigital.sapo.pt/news.asp?section_id=58&id_news=303201
http://facstaff.uww.edu/travisd/pdf/jetcontrailsrecentresearch.pdf

sábado, 17 de Novembro de 2007

Nível da água do mar...

Muita gente anda preocupada com o nível dos mares... A verdade é que poucos conhecem como tem sido em tempos recentes (para a história da Terra e mesmo da humanidade) a variação do nível dos mares.

Há uns 18000 anos, a praia no Porto ficava aí a uns 40 quilómetros. As Berlengas eram parte do que viria a ser Portugal. E o mar estava 120 metros abaixo donde está hoje!

O conceito do nível do mar é assim dinâmico... O que não quer dizer que não traga potenciais problemas (quer suba ou desça). Que o digam os eventuais crentes na lenda de Atlântida!

http://web.letras.up.pt/asaraujo/seminario/Aula5.htm

quinta-feira, 15 de Novembro de 2007

2% do CO2 derivado dos computadores e Internet

Um estudo da entidade Gartner diz que 2% das emissões de CO2 do mundo inteiro são originadas pelos computadores e Internet. Não sei se é muito ou pouco. É certamente menos que a percentagem dos fogos florestais dita pelo Al Gore...

Na verdade, todos acreditávamos que a Internet e a informática tinham reduzido o consumo de papel, que evitavam as deslocações, e que eram uma tecnologia verde. Pelos vistos, assim não é!

Mas estas notícias não deixam de ser engraçadas. Se todas as emissões de CO2 fossem contadas desta maneira, a percentagem total seria muito superior a 100%!

www.gartner.com/it/page.jsp?id=503867

quarta-feira, 14 de Novembro de 2007

30% de CO2 derivado de fogos florestais

No filme da Verdade Inconveniente, o Al Gore refere perto do final do filme que 30% das emissões de CO2 derivam dos fogos florestais. 30%! E mais nada refere...

Há duas hipóteses: ou é verdade, ou é mentira. Como não consegui encontrar uma resposta, há que analisar cientificamente a afirmação:

Se é verdade, porque não se faz algo por diminuir os fogos florestais? 30% parece-me um valor significativo! Porque é que durante o filme não há uma única referência adicional a este aspecto?

Se é mentira, então é mais uma do filme...

segunda-feira, 12 de Novembro de 2007

O poder do ruído... do Metro

O jornal de distribuição livre, Metro, teve hoje uma edição verde! Com o alto patrocínio do Al Gore. Confesso que esta edição daria para posts pelo menos para todo este mês de Novembro. Abre-se o jornal, e logo na segunda página pode ler-se:

O poder do ruído...

Um avião comercial produz até 140 decibéis durante a descolagem. Se os 20 milhões de leitores do Metro embarcassem em 40 mil aviões (considerando que cada avião levaria 500 pessoas) e descolassem ao mesmo tempo, de um aeroporto gigante, todos os edifícios a 200 metros do local seriam destruídos pelo poder do ruído e todas as árvores seriam derrubadas.

Nem mais!

domingo, 11 de Novembro de 2007

O barómetro do Tomás

O Tomás de Montemor tem na revista mais lida em Portugal (Notícias Magazine) uma coluna designada "barómetro do planeta". Hoje, ele dá um Viva! à diminuição do buraco da camada de Ozono:

"O buraco da camada de ozono sobre a Antárctida está mais pequeno - «só» 25 milhões de quilómetros quadrados (mais ou menos a área dos EUA). Apesar de o buraco estar a decrescer nos últimos anos, parece que ainda vai durar décadas a sarar..."

Confesso que não sei porque dá um Viva! Na verdade, o buraco de ozono do ano passado foi o maior de sempre. Também seria inconveniente dar um ...buuu! a todos os cientistas que nos foram enganando nos últimos 20 anos sobre as reais razões que aparentemente agora tem sobre o desaparecimento da camada de ozono.

http://ozonewatch.gsfc.nasa.gov/

sábado, 10 de Novembro de 2007

A Verdade Inconveniente e Portugal

O Al Gore é ultimamente o expoente máximo da ecologia da tretas. Por culpa do filme A Verdade Inconveniente e mais recentemente o Nobel.

Na ante-estreia do filme, fiquei parvo a olhar para o valor de 13000 mortos atribuídos a Portugal na onda de calor de 2003. Tão parvo que fui a correr voltar ver o filme para ver se tinha percebida alguma coisa mal. Antes da meia hora de filme lá estavam os 13000 mortos.

Fui à procura de outras fontes. As mais científicas referem um excesso de mortes próxima dos 2000. Mas as mortes atribuídas a golpe de calor foram de 14. São só mil vezes menos.

Curiosamente, durante a investigação, deparei-me com as referências à onda de calor de 1981. Que causou o mesmo número de excesso de mortes, num período de tempo substancialmente inferior.

Engordar os números no filme foi uma forma do Al Gore aldrabar o pessoal. Mas houve mais no filme; a elas voltaremos.

www.onsa.pt/conteu/onda_2003_relatorio.pdf

Quercus - cada um para seu lado

Os ecologistas da treta não me deixam de surpreender...

Hoje ouvi na Rádio alguém da Quercus a atirar-se à barragem do Tua. Porque fica no Alto Douro Vinhateiro. Não é porque tenha videiras, nem sequer é pela paisagem. Nem sequer pela linha de comboio. Pasme-se, é pelas oliveiras...

No outro dia lera que a barragem do Tua era melhor que a do Baixo Sabor, dito pelos mesmos. Mas logo se atirou que a primeira ainda não tinha estudos. Obviamente, as duas é que não!

Fez-me isto lembrar outra pérola da Quercus de há um mês atrás: que instalar uns parquezinhos eólicos no Parque Nacional de Montesinho não é um problema...

Em que ficamos? Talvez se venha a provar mais cedo que mais tarde que a energia eólica é muito nociva para o ambiente...

Até lá, vamos tendo que os aturar!

http://ultimahora.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1307968

quinta-feira, 8 de Novembro de 2007

Pagar mais impostos por causa das variações climáticas...

Uma sondagem efectuada pela BBC refere que a maior parte das pessoas estão prontas a fazer sacrifícios pessoais, incluindo pagar mais pela sua energia, para ajudar a combater o problema das alterações climáticas.

83% dos entrevistados disseram que será necessário que as outras pessoas alterem o seu modo de vida e alterem a sua conduta para reduzir a emissão de gases que contribuem para as alterações climáticas. 61% dos entrevistados dizem ser igualmente necessário subir os custos da energia para encorajar a poupança de energia e reduzir as emissões de carbono.

Cheirou-me imediatamente que Portugal não terá sido incluído na sondagem. E não foi.

Fiz uma por mim, sem grandes preocupações científicas. Os resultados não foram os mesmos...

Entretanto, acreditem que não tardará muito a cheirar aos políticos!

www.bbc.co.uk/pressoffice/pressreleases/stories/2007/11_november/05/climate.shtml

domingo, 4 de Novembro de 2007

O combate aos fogos florestais...

O Governo teve sorte este ano. Choveu qb, e eis que os governantes se congratularam há umas semanas com um ano excepcionalmente bom em termos de fogos florestais. Note-se que para eles a razão não teve nada a ver com a chuva, mas sim a maior coordenação...

Curiosamente, nos últimos dias têm-se multiplicado os incêndios. Estragam as estatísticas que já estavam feitas. Porquê? Porque o tempo é mau para incêndios. Quer dizer, está excepcionalmente bom. Há pessoas mais esclarecidas, que não parecem ter problemas de coordenação, nomeadamente o comandante distrital de operações em Braga, Hercílio Campos:

"É um número inusitado de fogos. O que vale são as noites frias, que permitem recuperar terreno e eliminar praticamente todos os focos de incêndio"

Que não se enganem os governantes. Pouco valerá o investimento no combate ao fogo, se nada fôr feito para o prevenir. Em vez de estoirarem 78 milhões em dispositivos de combate aos fogos, mais valia gastarem-nos a cortar a massa florestal que entretanto cresceu. E que para o ano estará maior!

http://dn.sapo.pt/2007/10/17/sociedade/sorte_e_eficacia_explicam_melhor_res.html
www.correiomanha.pt/noticia.asp?id=264277&idselect=10&idCanal=10&p=200

quinta-feira, 1 de Novembro de 2007

A verdade sobre o Sabor

Muito se tem falado sobre a barragem do Sabor nos últimos anos.

Os ecologistas são contra. Porque é o último rio selvagem do país. Porque há lobos que vão ficar separados. Porque a albufeira submergiria ainda extensas áreas de terras agrícolas. Porque a albufeira submergiria uma ... área dos melhores azinhais e sobreirais do Nordeste do país.

Resolvi meter-me a caminho. O que vi é confrangedor! Será que os ecologistas da treta terão passado por lá? Não devem ter saído do carro.

Felizmente, os naturais da zona fazem uma melhor utilização das novas tecnologias. Experimentem ler o blog do Francisco Lopes. Vale mais que os ecologistas da treta da Plataforma.

http://resistente.3e.com.pt/joomla/index.php?option=com_content&view=category&id=3:em-defesa-da-barragem&layout=default
http://blogs.3e.com.pt/resistir.php?cat=15
www.quercus.pt/scid/webquercus/defaultArticleViewOne.asp?categoryID=611&articleID=1579