quarta-feira, 31 de Março de 2010

James Lovelock

James Lovelock é um daqueles cientistas malucos, muito adorado nos meios ambientalistas. É muito conhecido por ter formulado a hipótese de Gaia, hipótese que serviu de base ao recente filme de James Cameron, Avatar.

É, por isso, com consternação, que todos aqueles que o defenderam no passado, bem como as suas ideias, assistem à entrevista ao alarmista Guardian. Repare-se nalgumas pérolas:

I was utterly disgusted. My second thought was that it was inevitable. It was bound to happen. Science, not so very long ago, pre-1960s, was largely vocational. Back when I was young, I didn't want to do anything else other than be a scientist. They're not like that nowadays. They don't give a damn. They go to these massive, mass-produced universities and churn them out. They say: "Science is a good career. You can get a job for life doing government work." That's no way to do science.

Depois desta bela introdução, vejam o que Lovelock tem a dizer sobre a camada de ozono. Ele até tem algo a dizer sobre o assunto, porque foi o primeiro a descobrir a presença global de CFCs na atmosfera:

I have seen this happen before, of course. We should have been warned by the CFC/ozone affair because the corruption of science in that was so bad that something like 80% of the measurements being made during that time were either faked, or incompetently done.

E também tem uma dedicatória para todos aqueles que andam a "embelezar" os dados:

Fudging the data in any way whatsoever is quite literally a sin against the holy ghost of science. I'm not religious, but I put it that way because I feel so strongly. It's the one thing you do not ever do. You've got to have standards.

Sobre os modelos de computador, Lovelock também tem uma ideia formada:

I remember when the Americans sent up a satellite to measure ozone and it started saying that a hole was developing over the South Pole. But the damn fool scientists were so mad on the models that they said the satellite must have a fault. We tend to now get carried away by our giant computer models. But they're not complete models.
(...)
If you make a model, after a while you get suckered into it. You begin to forget that it's a model and think of it as the real world. You really start to believe it.

Vale a pena ler a entrevista no seu todo. Ele até deixa palavras de simpatia para os cépticos, sendo significativo o seguinte texto:

We do need scepticism about the predictions about what will happen to the climate in 50 years, or whatever. It's almost naive, scientifically speaking, to think we can give relatively accurate predictions for future climate. There are so many unknowns that it's wrong to do it.

Quem diria!?

terça-feira, 30 de Março de 2010

Mais inspiração para Pedro Passos Coelho


Depois de termos aqui referido que Pedro Passos Coelho é inspirado por Steven Chu, há mais razões para Coelho continuar inspirado. Como se pode ver no video acima, em que Steven Chu fez uma apresentação no Laboratório Nacional de Oak Ridge, ele não consegue esconder o embaraço das descidas de temperaturas em algumas das décadas passadas:

It’s fair to say we don’t understand these ripples. We don’t understand the downward trend that occurred in 1900 or in 1940. We don’t fully understand the plateau that's happened over the last decade.

Mas o que entenderá este Secretário da Energia? De História não é de certeza, porque afirma que as temperaturas anteriores ao século passado foram basicamente estáveis. Ele nunca ouviu falar da Pequena Idade do Gelo, ou do Período Quente Medieval, só para enumerar dois períodos dos últimos mil anos. De manipulação sim, até porque o gráfico é aquele já desmascarado no âmbito do Climategate.

Todavia, estes desconhecimentos não o impedem de dizer que os períodos de Aquecimento são devidos aos Humanos. Será que os outros são devidos aos extra-terrestres? Definitivamente, o Pedro Passos Coelho tem cá uma fonte de inspiração!

Sol em Porto Santo

Porto Santo é uma ilha abençoada pelo Sol, e pelas suas magníficas praias. Agora também tem uns painéis solares. Segundo notícia de hoje, o parque fotovoltaico está concluído, e pronto a extorquir dinheiro aos contribuintes. O parque tem uma potência instalada de cerca de 2MW, conseguida à custa de 11136 painéis solares, que ocupam 70000 m2 de terreno, no sítio dos Linhares (junto à Quinta das Palmeiras).

O parque foi construído pela Nutroton Energias, dirigida pelo conhecido Marques Mendes, ex-líder do PSD. Para ele, este é um caso único na Europa. Para os entendidos, este parque estará colocado mais ou menos na 600ª posição das maiores centrais solares do Mundo. Com a inauguração prevista para 3 de Maio próximo, um estudo aponta para 1600 horas de exposição solar por ano, mas as contas são engraçadas, dado que isso dá aproximadamente 4 horas e 23 minutos por dia. Até o Marques Mendes refere um valor 25% superior, mas outros estudos apontam para 2400 horas por ano (50% superior), pelo que este valor de 1600 horas deve dar jeito a alguém!

Mas o que Mendes mais gosta é dos 320 euros por MWh, uma tarifa que está definida por lei! Para uma conta que os leitores percebem melhor, isso equivale a 32 cêntimos por kWh. Como Marques Mendes refere, a tarifa é garantida durante 15 anos, o que é sinónimo de um negócio bem rentável! Com o consumidor madeirense a pagar este ano 13.06 cêntimos por cada kWh, imaginem quem vai pagar a diferença!

segunda-feira, 29 de Março de 2010

Fora de controlo

A ironia do Aquecimento Global é que algo está fora de controlo! Como se pode ver pela imagem ao lado, que representa a extensão do gelo no Oceano Árctico, há qualquer coisa que não está bem... A extensão do gelo está este ano nos mais que máximos dos últimos seis anos! E quando nos anos anteriores estava a descer, parece que este ano ainda está com vontade de ir a valores ainda mais elevados.

Golpes de gelo

A propósito do post recente sobre a Sibéria congelada, um leitor enviou-me um apontador para mais uma notícia triste envolvendo as mortes pelo frio. Milana Kashtanova, de 21 anos, é a última vítima da queda de pontas de gelo (icicles) em São Petersburgo, na Rússia. Com o Inverno rigoroso, já morreram 5 pessoas desta forma, e foram feridas 147 pessoas

A morte de Milana ocorreu quando passava debaixo dum edifício no centro da cidade. Não se conhecem as causas directas, mas é habitual tais ferimentos resultarem da limpeza descuidada dos telhados, cobertos de gelo. Um habitante da cidade, Boris Ilinsky, adianta que "todos os dias, ao ir para a rua, é como de estivesse a entrar numa zona de guerra". Acrescentou que para além de ter que estar atento ao chão para não escorregar, tem que estar também a olhar para cima, para evitar as lanças de gelo.

Para Yury Osipov, responsável do comité da habitação de São Petersburgo, "as quedas de neve deste Inverno não têm precedentes, uma espécia de desastre natural". Prossegue com um "Infelizmente há vítimas". Com 13500 telhados cobertos de gelo na cidade, os operários têm que remover o gelo todas as semanas, para evitar blocos de gelo. São milhares de pessoas que por todas as cidades da Rússia fazem esta limpeza, pelo que o problema não é obviamente único de São Petersburgo. E todos anseiam pelo regresso do Aquecimento Global!

sábado, 27 de Março de 2010

A hora da Terra em Portugal


Durante a hora da Terra existiu uma redução do consumo de energia em Portugal, conforme pode ser vista pela segunda imagem acima. O problema é que o consumo de energia baixa sempre a seguir às 20:00, conforme pode ser visto na primeira imagem, relativa ao dia de ontem. Aliás, parece que a hora da Terra foi ontem, porque a queda ontem foi a pique pelas 20:30. Uma análise mais aprofundada revela todavia que o consumo de hoje foi superior ao de ontem, o que não deixa de ser extraordinário, considerando o facto de que foi um dia útil... Terá sido do Benfica?

Hora da Terra em Espanha

A imagem ao lado é relativa à produção de energia em Espanha, durante as últimas horas. Como se pode verificar na parte inferior da imagem, o pico do consumo de energia de hoje, de nuestros hermanos, foi atingida às 21:05, quase mesmo a meio do período do suposto corte de energia da hora da Terra. Aliás, a partir das 20:30, e até às 21:20, foi sempre a subir!

A hora da Terra na Coreia

A Coreia do Norte é o país onde a hora da Terra atinge o seu auge. Como se pode ver na imagem ao lado, e como se refere no Fiel Inimigo, ali o "problema" já está resolvido.

Mas espera aí! Parece que lá é assim todos os dias! O que a WWF quer, para além de biliões de dólares de financiamento, é que nós regressemos à Idade Média, tal como os norte-coreanos... Por isso, deportem esses tretas para lá!

Sibéria congelada

Os alarmistas têm muito medo de tudo o que vem da Rússia. Apesar da maioria deles serem umas melancias (verdes por fora, vermelhos por dentro), não se querem alinhar com o que a maioria dos cientistas russos têm a dizer sobre o clima. Por isso, a notícia de que a Sibéria terá experimentado o Inverno mais frio desde que há registos, vai ser mais uma não notícia!

Alexander Frolov, responsável no serviço meteorológico russo Rosgidromet, afirma que as estísticas ainda estão a ser analisadas, mas pelo menos na Sibéria ocidental a temperatura média foi de -23.2ºC, com mais dias frios que em anos anteriores. Cerca de 63 dias foram mais frios do que -25ºC, e 39 dias ficaram abaixo de -30ºC. Nesta parte da Sibéria, isto representa as condições mais frias dos últimos 40 anos, e o segundo Inverno mais frio em 110 anos. A temperatura mais baixa foi registada em Oymyakon, a 20 de Janeiro, com -57.4ºC!

Frolov também não ofereceu boas novas. O aparecimento da Primavera foi posto em stand-by entre 7 a 10 dias... Os Urais e a Sibéria continuarão a registar temperaturas de Inverno durante grande parte de Abril, enquanto no resto da Rússia europeia continuará abaixo da média. Outro especialista Russo, Arkady Tishkov disse que o Mundo e a Sibéria estão é a arrefecer, considerando um absurdo a discussão da subida da temperatura em vários graus. E em termos dos ciclos climáticos de escala maior, estamos num período de arrefecimento, afirma.

À vontade do freguês (ou do cientista)

Um leitor habitual mandou-me um link para uma notícia, sobre um estudo feito ao longo de 46 anos que concluiu que várias espécies de pássaros estão a ficar mais pequenas e com menos peso. "É a sua forma de adaptação à subida da temperatura", refere o artigo. O leitor questiona sobre se isto será verdade? Confesso que a única resposta possível é talvez. E é talvez porque:

Fico-me por aqui. Mas estão a ver o filme, não estão?

sexta-feira, 26 de Março de 2010

Bolha do carbono

Nos últimos dias tenho recolhido e recebido várias notícias sobre a implosão dos mercados de carbono. Não é que seja propriamente uma novidade... Mas à medida que se vão descobrindo os meandros destes esquemas, a inevitabilidade da bolha estoirar está aí.

Comecemos pelos esquemas. Anteriormente havíamos referido os esquemas dos carrosséis do IVA. Agora descobriram-se formas rápidas de extorquir dinheiro. Para alguns é mesmo dinheiro caído do céu! Algumas empresas suspenderam mesmo o seu funcionamento, o que lhes permitiu vender os direitos de emissão! Algumas descobriram que ganham mais dinheiro estando paradas que a laborar! Outras estão a especular com esses direitos, esperando que se valorizem no futuro...

Entretanto estes direitos e todos os produtos financeiros ligados ao mercado de carbono já estão a ser negociados em bolsas especializadas. Há uma semana descobriu-se que a Hungria andava a manipular o mecanismo, envolvendo 2 milhões de CER reutilizados (Certificates of Emission Reduction). A BlueNext e a Nord Pool, onde se negoceiam este produtos, foram obrigadas a suspender a negociação, depois de o valor desses CER ter caído a pique, de 12€ por tonelada de carbono, para menos de 1€ em função do pânico que atingiu os investidores. Na reabertura as regras foram alteradas, porventura para manter o esquema funcionando.

Estas notícias seguem-se às de Janeiro passado, onde vigaristas utilizaram correios electrónicos forjados para obter códigos de acesso aos sistemas ETS (Emission Trading System), e depois os utilizaram para obter certificados electrónicos, ganhando uns milhões no processo.

A esta velocidade, a fraude de Madoff até vai ser pequenina, quando comparada com esta...

quarta-feira, 24 de Março de 2010

Quem é quem?

O Ecotretas é um blog em Português, que privilegia as ligações a sites de verdades inconvenientes em Português. Os leitores sabem que existem muitos mais sites sobre verdades inconvenientes em inglês, muitos com posts de grande qualidade. Em vários blogs esta semana foi feita uma referência a um mapa de ligações entre sites de cépticos e de alarmistas. Para os leitores do blog, deixo abaixo esse mapa, em grande dimensão, com os hiperlinks dos bons activados. As notícias fresquinhas à distância de um clic!

WUWTClimate DepotClimate AuditLucia's The BlackboardAir VentNo Frakking ConsensusEU ReferendumJo NovaBishop HillEU ReferendumPiers CorbynI love my Carbon dioxideClimate RealistsRoger Pielke Jr.Christopher BookerTelegraphJames DelingpoleMail OnlineMelanie PhillipsSpectatorJonathan LeakeTimes Online

Bronca no maior parque eólico da Europa

No parque eólico de Whitelee na Escócia, o maior da Europa, com os seus 322 MW de potência, aconteceu mais um daqueles eventos que não é notícia. Ou assim gostariam os ecologistas que acontecesse, mas há sempre alguém que tropeça numa pá... Uma das pás de um dos geradores da Siemens soltou-se e enfiou-se no chão. O acontecimento com a arma de 45 metros e 14 toneladas de peso, deu-se na noite de 19 de Março, mas só ontem se começaram a saber os pormenores. O parque é pertença da ScottishPower Renewables, uma subsidiária da Iberdrola, e custou cerca de 300 milhões de libras.

Desconhece-se porque tal aconteceu, tendo sido primeiro culpado os relâmpagos. Mas depois do Met Office ter afirmado que não tinham ocorrido relâmpagos na área, há novo vazio de explicações. A produção de energia eléctrica foi suspensa no parque, e na manhã de 23 de Março, 50 das turbinas re-iniciaram o seu funcionamento. As restantes espera-se que regressem ao funcionamento até final da semana.

Eco-Sex

Já aqui nos havíamos referidos a um guia da Greenpeace para um sexo mais amigo do ambiente. Stefanie Iris Weiss pegou na ideia, e resolveu ganhar dinheiro, escrevendo um livro designado Eco-Sex, que será posto à venda no final do mês.

Pelos exemplos já divulgados, o livro deve ser um perfeito disparate. Se quiser sugestões nojentas, como reciclar preservativos, então leia. Se quiser receber rosas lindas no dia dos Namorados (ou todos os dias), não leia, a menos que quem as ofereça as plante à janela! Para uma vegetariana, obviamente não há lugar para refeições suculentas, apenas de comida crua. Para um primeiro encontro com a sua cara-metade, nada de automóveis; antes um passeio de bicicleta! E não pense em oferecer diamantes, ouro ou joias, porque isso não é amigo do ambiente...

Sim, e se houver sexo ao fim disto tudo, o que eu seriamente desconfio, nada de bebezinhos, pois isso é o pior que pode acontecer ao planeta Terra. Já para não falar das fraldas, que coitadas, acabam nos aterros... Essa é definitivamente a prioridade de Weiss, ela própria sem filhos, e com 38 anos. Ou é maluca, ou então esta receita não tem obviamente sucesso para o comum dos mortais...

segunda-feira, 22 de Março de 2010

Ecologistas: ontem, hoje e amanhã


Um leitor, a propósito do artigo em que se observa que a suposta superioridade intelectual dos verdes tem como contraponto o se tornarem em pessoas más, mandou-me um link para um extracto de um filme, que é uma boa caricatura desta realidade. O filme intitula-se "Nuts In May", e pode ser visto em partes no Youtube, como no exemplo acima. Um exemplo claro do que acontece quando o instinto animal destes tretas vem à tona...

domingo, 21 de Março de 2010

Ciclo Energia e Ambiente - Os grandes Desafios em Portugal

Inicia-se no próximo dia 23 o Ciclo Energia e Ambiente - Os grandes Desafios em Portugal. A primeira sessão realiza-se depois de amanhã, terça-feira, pelas 19:00, e versa o tema "A Conferência de Copenhaga e o Climategate". A sessão conta com os oradores João Corte Real (Universidade de Évora) e Virgílio de Azevedo (jornal Expresso), é moderado pelo Professor José Delgado Domingos, e realiza-se na Livraria Almedina do Atrium do Saldanha. O evento é organizado pela Livraria Almedina e a Lisboa E-Nova, estando disponível neste link o programa completo. As quatro conferências e as respectivas datas são as seguintes:
  • A Conferência de Copenhaga e o Climategate (23 de Março, às 19:00 horas)
  • Política Energética e as Entidades Reguladoras (30 de Abril, às 19:00 horas)
  • Aquecimento global, Incerteza e Ciência Pós-Normal (25 de Maio, às 19:00 horas)
  • Energia e o Programa das Barragens em Portugal (15 de Junho, às 19:00 horas)

Anotem nas V/ agendas...

sexta-feira, 19 de Março de 2010

Limpar Portugal

A partir da excelente iniciativa que é o Limpar Portugal, na qual vou participar, Henrique Pereira dos Santos, do excelente blog ambio, equaciona as razões de falhas de mobilização do movimento ambientalista:

Esta iniciativa é o resultado do esforço de três amigos (três praticantes de todo o terreno) em meia dúzia de meses.
(...)
O que isto parece querer dizer é que a sistemática invocação da impossibilidade de mobilizar pessoas como explicação para a fragilidade do movimento ambientalista em Portugal parece carecer de demonstração.
O que me parece é que o movimento ambientalista ficou preso nos fantasmas ideológicos dos mais activos e barulhentos dos seus dirigentes e membros. O que torna o movimento ambientalista hostil a praticantes de todo o terreno, a caçadores, a empresas e seus quadros, a comedores de carne compulsivos, a gastadores de combustiveis fósseis, enfim, a todos os que não cabem na estreita definição do verdadeiro ambientalista.

Curiosamente, um artigo saído recentemente, dos psicólogos canadianos Nina Mazar e Chen-Bo Zhong, intitulado "Do Green Products Make Us Better People", ajuda a compreender as perplexidades do Henrique. Note-se o abstract do paper, com realces da minha responsabilidade:

Consumer choices not only reflect price and quality preferences but also social and moral values as witnessed in the remarkable growth of the global market for organic and environmentally friendly products. Building on recent research on behavioral priming and moral regulation, we find that mere exposure to green products and the purchase of them lead to markedly different behavioral consequences. In line with the halo associated with green consumerism, people act more altruistically after mere exposure to green than conventional products. However, people act less altruistically and are more likely to cheat and steal after purchasing green products as opposed to conventional products. Together, the studies show that consumption is more tightly connected to our social and ethical behaviors in directions and domains other than previously thought.

Por isso, não admira que os ecologistas verdes nos queiram impôr as suas ideias, supostamente superiores. Como o artigo o refere, o que eles nos querem é enganar e roubar! Por isso, interessa estar ao lado do comum dos mortais, como neste caso o Nuno, o Paulo e o Rui: Vamos limpar Portugal!

Minerais para verdes


Tudo o que de boa tecnologia existe para resolver os supostos problemas dos verdes, tem na verdade uma história muito triste por detrás. E muito negra! Para que a economia verde seja uma relidade, existe uma outra realidade sinistra oculta na China. Dêem uma vista de olhos ao vídeo, e vejam como nasce um Prius ou uma ventoinha eólica...

quinta-feira, 18 de Março de 2010

Apostar no ambiente

Paul Ehrlich é um dos maiores tretas do movimento ambientalista, e parece até ter ressucitado recentemente, provavelmente por via do aniversário do dia da Terra. Para além de ter previsto quase tudo de forma errada, Paul Ehrlich cometeu um erro estratégico verdadeiramente estúpido: resolveu apostar no ambiente!

A história completa conta-se em poucos minutos. Resumindo, um economista americano, Julian Simon, resolveu apostar como Ehrlich estava errado na evolução da escassez e respectivos preços de matérias primas consideradas escassas. Simon desafiou Ehrlich a escolher 5 metais, tendo sido escolhidos o cobre, crómio, níquel, estanho e tungsténio. A aposta consistiu em comprar virtualmente 200 dólares de cada um dos metais, aos preços de 1980. Se o preço 10 anos depois (1990) fosse superior, Simon cobriria a diferença a Ehrlich , enquanto que se o valor fosse inferior, Ehrlich pagaria a diferença a Simon.

Em 1990, todos os cinco metais, sem excepção, tinham descido de preço! Aliás, continuaram a descer nos anos subsequentes, como pode ser visto pelo gráfico acima. Ehrlich, em Outubro de 1990, passou um cheque de $576.07 a Simon...

quarta-feira, 17 de Março de 2010

Evidente, meu caro Watson

Um leitor enviou-me um link muito interessante para um site que colecciona as supostas desgraças atribuíveis ao Aquecimento Global e às Alterações Climáticas. O site é www.hootervillegazette.com/causedby. O site é mais organizado que o www.numberwatch.co.uk/warmlist.htm, que havia referenciado nos princípios deste blog.

A leitura deste site mais recente permite-nos encontrar exemplos evidentes das consequências do Aquecimento Global e das Alterações Climáticas. Entre outras, as seguintes consequências parecem-me evidentes:

terça-feira, 16 de Março de 2010

José Trocas-te


Hoje de manhã havia referenciado
a apresentação que José Sócrates faria hoje sobre a Estratégia Nacional para a Energia. Eu sei que o primeiro-ministro se embrulha nisto da energia e alterações climáticas; todavia, nem imaginava que fosse possível apresentá-lo como ele é neste domínio: José Trocas-te...

O conhecido boneco da Contra-Informação, da RTP, não teria certamente esta política. O verdadeiro conta o emprego criado, mas não o destruído. Ele promete energia solar em quantidades 10 vezes superior, mas esquece-se de incorporar as últimas tendências. Segundo o Expresso, para além de tudo o resto, a diferença desta vez "é que em vez de entusiasmo acrescentou raiva, muita raiva, às palavras do seu discurso". Por isso, do dia de hoje rezará certamente apenas a seriedade do speaker, e não o plano Novas Energias...

O wake effect das eólicas

Um leitor enviou-me uma imagem que complementa o artigo de hoje de manhã. A imagem, do parque eólico Horns Rev, permite visualmente alcançar o impacto local das eólicas. Reparem como as torres eólicas a partir da primeira linha estão alinhadas de forma a não tirarem sequer partido do vento. Mechali et al., no paper "Wake effects at Horns Rev and their influence on energy production" estudaram a ineficiência do alinhamento, e dele resulto o segundo gráfico acima, que efectivamente mostra uma perca muito significativa da primeira turbina para as restantes...

Energia eólica aquece o planeta

Num dia em que o primeiro ministro vai reforçar a sua aposta na energia eólica, as notícias que vem lá de fora são inimagináveis para os comuns dos monstrinhos verdes. No artigo "Potential climatic impacts and reliability of very large-scale wind farms", de Wang et al., saído na Atmospheric Chemistry and Physics, revela-se agora que a energia eólica vai contribuir, e de que maneira, para o Aquecimento Global do planeta!

Uns conhecimentos básicos de termodinâmica e da circulação geral da atmosfera permitem-nos imaginar isso de forma simples. Mas Wang et al. fizeram contas. Se utilizarmos energia eólica para gerar 10% do consumo mundial de energia, o incremento de temperatura chegará a um grau Celsius localmente, que contribuirá para um efeito global de aquecimento de 0.15ºC. Ocorrerão também alterações climáticas significativas, a nível da cobertura de nuvens e precipitação!

Afinal, as alterações climáticas estão aí... Será que o efeito local em Espanha e Portugal já se faz sentir?

segunda-feira, 15 de Março de 2010

Renúncia à energia verde

Uma notícia que passou despercebida, e que todos os verdes querem enterrar, é um comunicado da passada sexta-feira, da EDF Energies Nouvelles (equivalente à nossa EDP Renováveis). Resume-se à quebra unilateral, sem explicações, da Indianapolis Power and Light Company do contrato de fornecimento de energia do parque eólico de Lakefield, celebrado entre a Indianapolis Power and Light Company e a enXco, a empresa local da EDF.

À medida que se escavam os detalhes da notícia, ela fica mais interessante! O contrato foi rescindido unilateralmente pela IPL, a 1 de Março. Mais de 10 dias depois, a EDF deu conhecimento dela ao mercado. Entretanto, no página de notícias da enXco não há qualquer referência, senão das boas notícias... A referência à assinatura apareceu em muitos locais da Internet na altura, mas agora é muito difícil detectar a notícia inversa...

O que é que querem eles esconder? Será isto o regresso de uma verdade antiga?

O meu blog é neutro em termos de CO2

O leitor que acabou de chegar, e está a ler estas linhas, já libertou 0.02 gramas de dióxido de carbono! Assim o diz um estudo de Alexander Wissner-Gross, da Universidade de Harvard. Tal assume um blog como o do Ecotretas, que recebe cerca de 15000 visitas por mês, causando assim emissões anuais de cerca de 3.6 quilogramas de CO2! Mas o que são 3.6 Kg de CO2? É equivalente à repiração humana em 4 dias, ou a 34.6 Km num Toyota Prius!

Alguns tretas da Web querem agora que os blogs compensem as suas emissões plantando uma árvore. Argumentam que uma árvore absorve aproximadamente 10 Kg de CO2 por ano. Eu já plantei muitas ao longo da minha vida, pelo que o meu blog está compensado há muito tempo... O problema é, no entanto, sempre o mesmo: e quando elas ardem?

domingo, 14 de Março de 2010

Previsões do dia da Terra

O dia da Terra está apenas a umas semanas de distância. Interessa pois, antecipar a comemoração dos seus 40 anos com as previsões efectuadas em 1970! Estas previsões tem sido alvo da chacota total, nomeadamente nas comemorações anteriores, mas numa comemoração tão especial, que certamente será recheada de mais cenários catastrofistas, não nos podemos esquecer delas! Vamo-nos concentrar neste artigo nas previsões relativas à poluição atmosférica.

Paul Ehrlich, um dos tretas-mor da altura, tinha umas visões eloquentes em Abril de 1970, na revista Mademoiselle:

Air pollution is certainly going to take hundreds of thousands of lives in the next few years alone,

O mesmo Ehrlich previu em 1973 que 200.000 americanos morreriam de poluição, e que em 1980 a esperança de vida dos Americanos seria de 42 anos!

Na revista Life Magazine, de Janeiro de 1970, há mais previsões arrebatadoras:

In a decade, urban dwellers will have to wear gas masks to survive air pollution
(...)
By 1985, air pollution will have reduced the amount of sunlight reaching earth by one half
(...)
Increased carbon dioxide in the atmosphere will affect the earth's temperature, leading to mass flooding or a new ice age

Um outro ecologista, Kenneth Watt, foi ainda mais longe:

At the present rate of nitrogen buildup, it’s only a matter of time before light will be filtered out of the atmosphere and none of our land will be usable.

40 anos depois, a população dos Estados Unidos aumentou mais de 50%, a quantidade de milhas conduzidas aumentou 160%, e o PIB aumentou 204%. Mas como podem ver pelo gráfico acima, a qualidade do ar melhorou de forma muito significativa! E o gráfico não recua até 1970, quando a realidade era ainda pior!

Como é possível que estes tretas ainda andem por aí a assustar-nos? Mas não há dúvidas, mais previsões da treta estão na forja, e delas não escaparemos novamente este ano.

sábado, 13 de Março de 2010

A economia verde alemã

Depois de termos divulgado aqui os estudos relativos à falácia dos números da economia verde de Espanha e Dinamarca, segue-se a Alemanha. Via o excelente EU Referendum, podemos atingir o estudo "Economic impacts from the promotion of renewable energies: The German experience", do Rheinisch-Westfälisches Institut für Wirtschaftsforschung. Atente-se no abstract, com realces da nossa responsabilidade:

The allure of an environmentally benign, abundant, and cost-effective energy source has led an increasing number of industrialized countries to back public financing of renewable energies. Germany’s experience with renewable energy promotion is often cited as a model to be replicated elsewhere, being based on a combination of far-reaching energy and environmental laws that stretch back nearly two decades. This paper critically reviews the current centerpiece of this effort, the Renewable Energy Sources Act (EEG), focusing on its costs and the associated implications for job creation and climate protection. We argue that German renewable energy policy, and in particular the adopted feed-in tariff scheme, has failed to harness the market incentives needed to ensure a viable and cost-effective introduction of renewable energies into the country’s energy portfolio. To the contrary, the government’s support mechanisms have in many respects subverted these incentives, resulting in massive expenditures that show little long-term promise for stimulating the economy, protecting the environment, or increasing energy security. In the case of photovoltaics, Germany’s subsidization regime has reached a level that by far exceeds average wages, with per-worker subsidies as high as 175,000 € (US $ 240,000)

O documento é um autêntico maná, mas um verdadeiro pesadelo para os ecologistas da treta. Atenta-se, por exemplo, no seguinte:

Although Germany’s promotion of renewable energies is commonly portrayed in the media as setting a “shining example in providing a harvest for the world” (The Guardian 2007), we would instead regard the country’s experience as a cautionary tale of massively expensive environmental and energy policy that is devoid of economic and environmental benefits.

Na imagem acima, retirada do estudo, podemos igualmente confirmar que a tarifa "feed-in", para a energia solar fotovoltaica, foi de 43 cêntimos de euro no ano passado,um custo que é oito vezes superior ao custo da electricidade "normal", e até quatro vezes superior ao pago pela energia eólica! Esta, que é considerada uma energia com provas dadas, precisa de tarifas "feed-in" até 300% superiores aos da energia "normal" para ser competitiva. Repare-se ainda na evolução dos preços nominais, que subiram cerca de 100% em 10 anos. Não se admirem que os Alemães se vejam rapidamente gregos com estas estratégias.

A energia solar, apesar de contribuir com apenas 0.6% para o total de energia eléctrica produzida na Alemanha, recebe a maior fatia de subsídios, com uns impressionantes 8400 milhões de euros em 2008! Entre 2000 e 2010 estima-se que os Alemães tenham esturricado na brincadeira solar qualquer coisa como 53300 milhões de euros e 20500 milhões de euros nas eólicas...

Nem a lógica económica resiste. Fiquem com mais um extracto do documento, que vale pela sua leitura integral:

In fact, PV is among the most expensive greenhouse gas abatement options: Given the net cost of 41.82 Cents (Cents 63.00 US $) per kWh for modules installed in 2008 (Table 4), and assuming that PV displaces conventional electricity generated from a mixture of gas and hard coal with an emissions factor of 0.584 kg carbon dioxide (CO2) per kWh (Nitsch et al. 2005:66), then dividing the two figures yields abatement costs that are as high as 716 € (1,050 US$) per tonne. (...)
Since the establishment of the European Emissions Trading System (ETS) in 2005, the price of certificates has never exceeded 30 € per tonne of CO2.

Meteorologia não monopolista

O jornalista Ricardo Alexandre, da Antena 1, entrevistou o professor Delgado Domingos na passada segunda-feira. Entre outras afirmações muito pertinentes, Delgado Domingos referiu que a tragédia na Madeira podia ter sido prevista com uma semana de antecedência. Já aqui tínhamos referido como o IM tem falhado escandalosamente, como já foi referido no blog aqui, aqui, e ali... O Instituto de Meteorologia, no seu jeito conhecido, respondeu, incluindo:

O IM não se pronuncia sobre a qualidade das actividades do grupo existente no IST coordenado por aquele senhor Professor, pois desconhece essas mesmas actividades na área da meteorologia, aguardando pelas publicações científicas aceites em publicações internacionais nesta matéria, para poder emitir opinião fundamentada.

Para quem desconhece essas actividades, resulta curioso dizerem imediatamente a seguir:


Conforme é sabido por todos quantos operam nesta área os modelos deterministas, como o corrido no IST, têm limites que podem resultar em erros de previsão devido fundamentalmente ao desconhecimento perfeito das condições iniciais (erros ou falta de observações) que se propagam e diminuem a qualidade da sua previsão ao longo do tempo.

Uma resposta adequada a estes senhores foi dada na quinta-feira pelo Expresso. Neste artigo se referenciam sites nacionais onde podemos fazer as nossas previsões de tempo personalizadas. Nada como acabar com este monopólio do IM, que por acaso só deve existir na cabeça deles! Eu pessoalmente consulto sites internacionais sobre a meteorologia, e tenho dificuldades em me lembrar de alguém que utilize o site do IM para saber o tempo que vai fazer... Mas agora tenho mais alternativas! Aqui ficam para referência dos leitores:

http://meteo.ist.utl.pt/new/local/
www.weather.ul.pt
http://climetua.fis.ua.pt/main

sexta-feira, 12 de Março de 2010

Árvores que não se comportam como deve ser

Uma das supostas consequências mais dramáticas de Aquecimento Global é o avanço para os polos de todo o tipo de desgraças. Depois de derreter o gelo, de se libertar o metano das tundras, as árvores avançarão e ocuparão esse espaço. Tanto assim é que o IPCC, no seu relatório do Clima de 2007, no Grupo de Trabalho II, na vertente dos impactos, dá como garantido que a linha de avanço das florestas será significativa. No Grupo de Trabalho I, as conclusões são as mesmas.

O problema é que um estudo divulgado no Verão passado na revista Ecology Letters, não alinha por estas previsões catastrofistas. Para Harsch et al., que analisaram árvores em 166 locais, em 77 dos locais (47%) não houve avanço nem recuo da linha de floresta. Curiosa foi a associação do avanço das árvores com as temperaturas de Inverno, e não de Verão, como se supunha. O avanço é apenas claro quando há aumento das temperaturas de Inverno, e não quando há aumento de temperaturas exclusivamente no Verão.

Este estudo dá que pensar, sobretudo quando se tem assistido a um regresso dos Invernos muito frios a latitudes elevadas. Dá também para equacionar todos os trabalhos associados ao crescimento das árvores, dado que o estudo das temperaturas históricas está essencialmente baseado no crescimento dos anéis das árvores a latitudes elevadas.

quinta-feira, 11 de Março de 2010

A magia do tempo

Quando pensava que todos os limites da previsão climática haviam sido atingidos por Chikumbeni Mwanatheu, o leitor Gabriel Mota fez-nos chegar uma notícia ainda melhor, sobre como se pode utilizar a magia para controlar o clima!

Na noite do dia 6 de Março, Sábado, o Rio do Janeiro foi assolado por uma tempestade, em que morreram nomeadamente seis pessoas soterradas. No dia 28 de Fevereiro passado, havia expirado um convénio entre o município e a Fundação Cacique Cobra Coral, que prestava assistência técnico-científica gratuita para o município em questões climáticas. O que referia esse convénio:

Convénio nº: 001/2009

Data da assinatura: 26/02/2009.

Partes: MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO/SMO através da Fundação Instituto de Geotécnica e a Fundação Cacique Cobra Coral através da sua Agência La Niña Meteorology Atmosphere And Ocean Ltda.

Objeto: "Promover a difusão e o intercâmbio de informações entre as ora Cooperadoras, com vistas a possibilitar a Prestação de Assistência Técnica Meteorológica, com a finalidade de minimizar a ocorrência de possíveis fenómenos climáticos adversos na Cidade do Rio de Janeiro".

Prazo: 12 meses

Depois do temporal, o prefeito Eduardo Paes não teve outro remédio senão renovar na tarde desta terça-feira o convênio com a Fundação Cacique Cobra Coral, na presença da médium Adelaide Scritori. A médium Adelaide Scritori afirma incorporar o espírito do Cacique Cobra Coral, entidade capaz de influenciar no tempo. No passado, esse espírito já teria reencarnado como Galileu Galilei e como Abraham Licoln! Osmar Santos, porta-voz da Fundação Cacique Cobra Coral, também foi taxativo: "Infelizmente, a Fundação não foi acionada no forte temporal de sábado passado no Rio. O convênio com a prefeitura estava à espera de renovação mas temos um acordo em vigor com o governo do Estado."

Nevão histórico em Barcelona

Barcelona é uma cidade Mediterrânica, para cuja região o IPCC elaborou em 2007 um conjunto de previsões que a seguir se evidenciam:

Annual mean temperatures in Europe are likely to increase more than the global mean. The warming in northern Europe is likely to be largest in winter and that in the Mediterranean area largest in summer. The lowest winter temperatures are likely to increase more than average winter temperature in northern Europe, and the highest summer temperatures are likely to increase more than average summer temperature in southern and central Europe.

Annual precipitation is very likely to increase in most of northern Europe and decrease in most of the Mediterranean area. In central Europe, precipitation is likely to increase in winter but decrease in summer. Extremes of daily precipitation are very likely to increase in northern Europe. The annual number of precipitation days is very likely to decrease in the Mediterranean area.

The duration of the snow season is very likely to shorten in all of Europe, and snow depth is likely to decrease in at least most of Europe.

Depois das previsões furadas de temperaturas e precipitação, só faltava mesmo a neve. Que inundou Barcelona com o maior nevão dos últimos 50 anos!

Lá como cá, as previsões meteorológicas foram do melhor. O alcalde (residente da Câmara) de Barcelona, Jordi Hereu, assegurou que apenas estava previsto um temporal com vento, sendo que o vento não foi previsto, nem em duração, nem em intensidade. A cidade ficou completamente paralisada, provocando o caos, essencialmente pelo colapso do sistema de transportes. Hereu é, alías, o único que parece sair a ganhar com este temporal, ele que propôs recentemente os Jogos Olímpicos de Inverno para Barcelona em 2022...

Actualização: Uma boa compilação de fotos aqui.

quarta-feira, 10 de Março de 2010

Pouco descascadas para o Aquecimento Global

Sempre que ouço falar da estilista Fátima Lopes, vem-me logo à cabeça visões de umas quantas modelos a desfilar semi-nuas na passerelle. Via o blog Falar do Tempo, parece que ela agora virou climatologista, defendendo que o mau tempo na Madeira se deve ao Aquecimento Global:

Eu nasci numa ilha paradisíaca e supostamente nada de mal podia acontecer lá. Infelizmente, aconteceu e faz-nos pensar que pode acontecer em qualquer parte do mundo, em qualquer momento. É preciso fazer um alerta e é preciso que as pessoas mudem de atitude, porque o aquecimento global é real

Vai daí, e como diz o Sol, "apresentou em Paris uma colecção com a sua visão futurista de um Pólo Norte temperado pelo aquecimento global e onde as cores que propõe para o inverno 2010/2011 remetem para um Grande Norte, «onde as neves já se fundiram»". Mas, olhando para a colecção acima, e com a quantidade de roupa a que Fátima Lopes nos habituou, eu esperaria que as modelos estivessem despidas, mas não! Pela quantidade de roupa que exibem, eu até diria que elas estão preparadas para uns Invernos bem frios. Só faltam os bons casacos de pele verdadeiros de que ela gosta tanto, também!

O buraco solar espanhol

Espanha está nas bocas do Mundo, como bom e mau exemplo do que pode ser feito em termos de energias renováveis, e mais especificamente a solar. Num recente artigo da Bloomberg, afirma-se que Espanha poderá vir a reduzir o preço muito elevado pago aos produtores de energia solar fotovoltaica. Tal representaria o segundo corte em três anos, depois do primeiro ocorrido em finais de 2008. Mas não será nada de novidade, ainda segundo a Bloomberg, depois da Alemanha e França terem descoberto que estavam a ser demasiado generosos para estes produtores, à custa dos consumidores, que têm assim que pagar tarifas superiores. Nada que não tenhamos exposto repetidamente aqui no blog, na temática da energia solar.

Em função destes desenvolvimentos, há muito que a bolha estoirou nesta área económica em Espanha. "Desastre" é a palavra mais repetida pelos fabricantes espanhóis, quando se lhes pergunta pelo balanço de 2009. O Governo entretanto propôs um novo "mix" energético para 2020, mas a proposta foi recebida com "estupefacção" pelo meio empresarial. Pensando em 2020, uma outra notícia dá conta do incremento de lixo fotovoltaico que se começará a verificar sensivelmente dentro de 10 anos, não havendo ainda uma solução para tão grande quantidade de detritos perigosos, uma vez que apenas 85% do painel são recicláveis.

Com tudo isto, o défice espanhol está a galopar. Quando nos referimos a ele pela última vez, tinha acabado de passar os 15 mil milhões de euros. No final de 2009, as estimativas que consegui encontrar apontavam para valores já próximos dos 20 mil milhões de euros. No mesmo artigo, as previsões para o futuro são dramáticas. Não admira pois que os Espanhóis se estejam a afundar, e nós com eles!

terça-feira, 9 de Março de 2010

EspañaGate

Interesting information has surfaced, through FOIA requests, regarding the reply to last year's Gabriel Calzada's "Study of the effects on employment of public aid to renewable energy sources". The FOIA request and emails are available here, analysis here, with some interesting examples following:

>>> "Elizabeth Salerno" 5/13/200910:15 AM

Steve, Jeff, Suzanne, Jack -

The AWEA team just met yesterday (and at WINDPOWER last week) on how to deal with this Spanish jobs study which won't die and the Alvarez guy is on E&E TV today again talking about it, http://www.eenews.net/tv/2009/05/13/. Attached is the series of events I have been tracking. Jack from the Business Council has been tracking as well so jump in with more info (Jack, we met on the spot so I didn't have a chance to get you over here!)

Attached are a variety of talking points that have been developed by either GWEC,the Spanish Wind Energy Association, or us, but we need to go further because this thing won't die. I am trying to reach out to CAP today to see what they can do to help (they put out a response article), but wanted to see if UCS has done anything already. Suzanne, this is what I wanted to chat today about.

Thoughts?

Liz

From: Kline, David
Sent: Friday, May 15,2009 7:01 AM

Econ Impacts team:

I spoke with Gian about developing a response to the Spanish study, including a review of what Avi Gopstein already put together. We agreed that your team should go ahead with it, estimated budget of $5K.

There's a short run need for a response to the Spanish study during the next 10 days to two weeks.
(...)

From: Tegen, Suzanne
Sent: Friday, May 29, 2009 1:21 PM
(...)
Avi Gopstein has rebutted this study as well. And we are working with AWEA (who is working with UCS and others) to put out a response to this report, which is methodologically unsound, and states that renewable energy policy in Spain (and therefore in the U.S.) is a waste of money and actually costs jobs rather than creates jobs. The report directly addresses the Obama Administration's ideas and policies.
(...)

From: Kline, David
Sent: Thursday, July 02, 2009 9:55 AM
(...)
There's more to say about why I offered to plug in at the beginning, but it would be better as a phone conversation than an email. I am extremely conservative about what I will put in emails. If you have a chance to talk for five minutes today-even though we're both crashing before being out - we can do that. But it's not urgent. We can take it up when I'm back on the 13th if you'll be here then.

The one more thing I'd add is that I bet this controversy is not going to go away. It would be useful to take a step back and think about what's important for us to say, rather than doing repeated one-off responses to each new salvo that comes in. You'd be the appropriate thought leader for the Lab on that question; I'm happy to be a sounding board if useful.

From: Arent, Doug
Sent: Tuesday, September 22,200912:19 PM

Folks:
There is considerable "traffic flow" on the origins of the Spanish Job report, stemming from congressional inquiries to EERE. We have had inquiries from EE-l and GFO to Exec mgmt here, and then multiple inquiries thru program offices.

We need to ensure consistent responses to ALL inquiries, and that message is as follows:

NREL conducted the review as part of its ongoing work to support EERE/SPA under David Rodgers in which NREL regularly reviews public information to provide credible, objective information relative to current information that has been published. The initial NREL review was provided for internal use only, and followed an internal memo drafted by Avi Goldstein. Post internal (EERE) communications of an NREL "publication" on this subject, NREL received numerous inquiries for an "NREL report"--from Megan and Jacques in particular and subsequently completed our review and published the white paper.
(...)

España Gate

O Expresso fez eco este fim de semana de um estudo de Gabriel Calzada, já com um ano, atempadamente referenciado neste blog. Há muita gente encavacada neste domínio, e até o próprio Obama se referiu a Espanha, oito vezes, como o exemplo a seguir... Se as coisas estavam mal, o pior acabou de chegar!

O Competitive Enterprise Institute fez um pedido ao abrigo do FOIA (Freedom of Information Act), solicitando a informação sobre a forma como oficialmente os Estados Unidos responderam aos estudos de Calzada, e também doutro estudo dinamarquês, também aqui referenciado no blog há seis meses atrás. A documentação recolhida permitiu averiguar que a resposta governamental foi feita com a intervenção dos grupos de lobby que se batem pela energia eólica nos Estados Unidos.

Adicionalmente, foram divulgados emails, ao abrigo do FOIA, que mostram um cenário aterrador. Em vez de se concentrarem em defender os argumentos técnicos, e discutir os dados de Calzada, os emails concentram-se nas implicações políticas do estudo de Calzada, e como o desacreditar! Oportunamente, transcreveremos aqui excerptos destas pressões.

segunda-feira, 8 de Março de 2010

Mais buuu! do Tomás de Montemor

Há uma casa de familiares onde tropeço, de vez em quando, no Notícias Magazine. Num acesso de auto-flagelação, vejo sempre as Páginas Verdes, do Tomás de Montemor, porque é risota garantida! Este fim de semana, nos buuu! do costume, ele escreveu:

O degelo no Árctico poderá custar à economia global qualquer coisa entre 2.4 e 24 triliões de dólares até 2050. Os prejuízos serão sentidos na agricultura, turismo, imobiliário e seguros devido ao aumento do nível do mar, inundações e ondas de calor. No relatório em que estes números se incluem diz-se: "O Árctico é o aparelho de ar condicionado do planeta e está a começar a avariar-se."

O Tomás anda com azar. Primeiro, o Árctico está bom e recomenda-se. O ar condicionado encalhou umas dezenas de barcos desprevenidos, que obviamente foram posteriores à escrita do artigo. Para grande azar do Tomás, no dia em que o artigo saiu, a extensão do gelo do Árctico encontrava-se em máximos de seis anos, conforme a imagem acima documenta, e conforme se pode confirmar nos sites da especialidade (aqui, aqui e ali). Adicionalmente, a espessura e concentração do gelo é este ano muito superior à de anos anteriores...

O estudo que o Tomás refere está disponível aqui. Não foi alvo de peer-reviewing, e foi suportado por um grupo ambientalista. O principal autor, Eban Goodstein, é conhecido por um livro que escreveu recentemente, onde afirma que este é o século da extinção...

Estes estudos da treta, na realidade, só existem como meio de disseminação de mentiras, dirigidas aos políticos mundiais. Este estudo versou, por exemplo, a reunião dos Ministros das Finanças do G7, que se realizou no Canadá, em Iqaluit, bem lá para o Norte. Curiosamente, poucos ligaram à notícia, não tendo saído nos Media de referência, por várias razões simples, nomeadamente porque era mais interessante cobrir o modo de vida dos Inuit, ou então as trapalhadas do Ministro das Finanças canadiano com os igloo, ou então mostrar as lindas fotos de um paraíso coberto de neve.

domingo, 7 de Março de 2010

Barragens a níveis históricos na Austrália

A Austrália é um dos locais adorados pelos alarmistas. Isto porque os australianos têm sofrido secas significativas nos últimos anos. Sempre assim foi e sempre assim será. O Instituto de Meteorologia de lá, tal como cá, também não dá uma para a caixa.

Por isso, é certamente uma boa notícia, para os Australianos, e para os alarmistas, o facto de também nas antípodas as barragens estarem bem cheinhas, como nunca o estiveram em Queensland!

sábado, 6 de Março de 2010

Matar baleias aumenta efeito de estufa

Um leitor atento enviou-me uma referência para uma notícia verdadeiramente admirável. Segundo um estudo de Andrew Pershing, do Instituto de Pesquisa do Golfo do Maine (Gulf of Maine Research Institute) e da Universidade do Maine, no último século foram libertados para a atmosfera mais de 100 milhões de toneladas de dióxido de carbono, devido à caça daquele mamífero aquático. Tal acontece, dizem os investigadores, porque as baleias armazenam o CO2 no seu corpo, e quando morrem, o dióxido de carbono é libertado! A quatidade de CO2 libertado em 100 anos, estima Pershing, equivale à queima de 130.000 Km2 de floresta!

Mas isto não é nada! O tretas de Pershing esqueceu-se de fazer os cálculos do bacalhau, do atum, da sardinha, e de todos os outros peixes que os humanos pescam... E será que contabilizou também o gasóleo utilizado na pesca? Por estas e por outras, qualquer dia nem umas ervinhas poderemos comer, porque elas também armazenam CO2! Não há pachorra, ainda por cima quando até a própria WWF não concorda...

sexta-feira, 5 de Março de 2010

Báltico congelado

A questão da extensão do gelo do Árctico tem sido um dos temas preferidos dos alarmistas. Em como o gelo tem desaparecido, e como caminhamos a passos largos para um Árctico sem gelo. Para esses, nada como uma notícia destas, que relata que cerca de 50 navios estão presos no gelo do Mar de Báltico, entre Estocolmo e as ilhas Aaland. Alguns já foram libertados por quebra-gelos, mas outros ficarão horas sem ser libertados. Ninguém foi ferido, mas o nível de alerta foi aumentado. Há relatórios desencontrados sobre há quantos anos isto não acontece, sendo seguramente o pior congelamento do mar do Báltico dos últimos 15 anos.

Actualização: Esta notícia é mais uma confirmação do efeito Gore!

quinta-feira, 4 de Março de 2010

Relatórios do IPCC baseados em literatura cinzenta

Já todos ouvimos a referência de que os estudos do IPCC são todos baseados em trabalhos e publicações peer-reviewed. O tretas Pachauri insistia nisso, mas entretanto já suavizou o discurso.

Entretanto, os cientistas que não temem, como Richard Tol, que é apenas um dos melhores economistas do Mundo, vão dando mais achas para esta fogueira que consome o IPCC. Neste artigo, a conclusão é clara:

Chapter 11 of AR4 WG3 suggests that climate policy could stimulate economic growth and would create jobs. These claims are supported by gray literature only, and they are biased.

Neste outro artigo, as conclusões são igualmente devastadoras:


The Fourth Assessment Report (AR4) of Working Group II (WG2) of the Intergovernmental Panel on Climate Change (IPCC) has been discussed extensively in recent months. A number of errors were discovered. Few documents are without fault. What is surprising, however, is that the IPCC has denied obvious mistakes; and that the errors all point towards alarmism about the impacts of climate change.
The WG3 report did not attract the same scrutiny. This could create the impression that WG3 wrote a sound report. That impression would be false. Just as WG2 appears to have systematically overstated the negative impacts of climate change, WG3 appears to have systematically understated the negative impacts of greenhouse gas emission reduction.

Como se isto não fosse suficiente, depois das análises de Tol, num artigo muito detalhado, verifica-se que das 330 referências do WG3, 139 são de literatura cinzenta! 42% das referências desse capítulo não são peer-reviewed! Estão admirados?

terça-feira, 2 de Março de 2010

Bruxaria meteorológica

Os nossos antepassados tinham um conjunto de pre-conceitos sobre o tempo e a previsão meteorológica. Evidência disso são os múltiplos provérbios sobre o tempo. Mas à falta de melhor, ainda hoje persistem em acreditar que o homem comanda o tempo! E não nos referimos aqui à fraude da origem antropogénica do Aquecimento Global...

Chikumbeni Mwanatheu, de 35 anos, foi condenado a dois meses de prisão, com trabalhos forçados, por ter impingido feitiços no vizinho. O tribunal de Mulanje, no Malawi, deu como provado que Chikumbeni utilizou as suas bruxarias para impedir que caísse chuva na quinta do vizinho! O afectado, Mphepo, fez queixinhas à comunidade, e Chikumbeni admitiu e confessou até que tinha comprado a magia da seca a um homem de Mangochi.

Mas Chikumbeni Mwanatheu está com sorte! É que apesar da crença em bruxaria estar muito enraizada no Malawi, os suspeitos da sua prática são muitas vezes chacinados... Mas pode ser que Al Gore lhe dê um toque: afinal, ele precisa de alguém que traga o Aquecimento Global de volta!

segunda-feira, 1 de Março de 2010

Tango triste do Aquecimento Global

O tango argentino é uma dança apaixonante, mas triste como o nosso fado. Assim como o é a história seguinte, de Corrientes, no norte da Argentina. Francisco Lotero, de 56 anos, e Miriam Isabel Coletti de 22 anos, suicidaram-se, porque andavam preocupados com o Aquecimento Global, que iria fundir o planeta, e pela suposta inacção dos presidentes... Mataram também o filho de ambos e enfiaram uma bala noutra filha/bebé de sete meses, que milagrosamente sobreviveu, apesar de ter sido descoberto apenas três dias depois pela Polícia! Os ecologistas irão ficar felizes, porque as emissões de CO2 agora são ligeiramente menores no Planeta.

Abutres ambientalistas

Depois da catástrofe que se abateu sobre a Madeira, não tardaram a aparecer os abutres ambientalistas. A maioria deles apostaram no "não vos disse?", naquela senda de que qualquer chuvada daquelas teria tido consequências semelhantes nas ribeiras enterradas de Lisboa, ou mesmo nos arredores a norte de Lisboa, ou mesmo em muitos outros locais do país, onde a proximidade com os rios e ribeiros é uma constante.

Mas há espécies mais desconhecidas. Que começam agora a aparecer. Como um tal António Baptista, que há muitos anos está ausente do país. Para ele, a tempestade na Madeira é "mais um sinal de um mundo que está em mudança". Como se o planeta tivesse estado parado, não se sabe muito bem até quando! O senhor admira-se por coisas extraordinárias como as do "aparecimento de tipos de peixes em zonas onde historicamente não têm presença ou até a morte inexplicável de grande quantidade de espécimes". Como os abutres gostam de mortes em grandes quantidades...

O artigo do Público continua com pérolas como "Faz sentido dizer que há mudanças profundas, mas não sabemos quais são", ou então que "As mudanças serão significativas, só não se pode saber quais"! O artigo conclui com mais ênfase que por enquanto "é difícil provar qual vai ser a mudança". Por isso, mesmo desconhecendo completamente onde está a sua presa, "É preciso antecipar agora, tomar as medidas necessárias para ter zonas saudáveis, que permitam aos animais ser saudáveis e aos homens também". Perceberam?