domingo, 31 de Outubro de 2010

Greve à biomassa

Era suposto a biomassa ser uma solução interessante para alguns problemas. Todavia, como já constatei no passado, a deturpação acontece! Agora, chega mais uma notícia perturbadora. Em vez de utilizar as árvores para produzir madeira ou papel, agora é para queimar! Em função desta situação, as fábricas de painéis de derivados de madeira fizeram greve na passada sexta-feira, em protesto. A portuguesa Sonae Indústria aderiu também ao protesto, por ter que importar já um terço da madeira que utiliza. E esta madeira importada, nomeadamente mais cara, tem implicações nos preços finais dos produtos... Enquanto isso, a notícia nota a indicação de que parte da madeira nacional está mesmo a ser exportada para Itália, igualmente para queimar, porque lá pagam muito bem o kWh de energia da biomassa... A história, já a vimos com os biocombustíveis, pelo que já sabemos como acabará...

sábado, 30 de Outubro de 2010

Abram os olhos!

Via Espectador Interessado, tomei conhecimento das palavras de um artigo do Público, de Campos e Cunha, ex Ministro das Finanças. O mesmo artigo parece estar disponível integralmente aqui, e saiu ontem, sob o título "A década perdida". Campos e Cunha é, portanto, mais uma destacada personalidade portuguesa a abrir os olhos. Outros se seguirão... Aqui está o extracto relevante para os leitores deste blog:

(...)depois foi a moda, politicamente correcta, das renováveis, com especial destaque para os últimos 5 anos. A aposta nas energias alternativas - vento e sol - saíu caríssima às famílias e às empresas, que já estão a pagar a factura, com perdas acrescidas de bem-estar e competitividade.

sexta-feira, 29 de Outubro de 2010

Défice energético essencial para resolver dívida externa???

Os leitores enviam-me muitas notícias interessantes, e elas têm-se estado a acumular, devido a alguma investigação que tenho efectuado nos últimos tempos. As notícias envolvendo o disparate da energia eólica são as que se acumularam em maior quantidade...

A energia eólica atingiu a dimensão que tem, tendo como justificação a redução a nível de gases de efeito de estufa. Há apenas aqui um problema: tal não é verdade! Todas estas supostas vantagens da energia eólica são na verdade um castelo de cartas...

No Reino Unido, onde o vento sopra com muito maior intensidade que em Portugal, e onde a penetração das ventoinhas é muito menor, eles já perceberam há muito que isto é negócio que não lhes interessa. Nesta notícia podem ler como as revoltas contra as ventoinhas são às centenas, com apenas um terço a passarem a nível local, devido à fúria das populações! E a nível de Inglaterra, a taxa de aprovações ao nível do planeamento baixou 50% nos últimos doze meses!

Entretanto, na Vestas, o maior fabricante de ventoinhas, o futuro são os despedimentos. E são feitos na Dinamarca, onde mais dói! As suas acções estão em valores mínimos de 4 anos, e o caminho é para baixo...

Por cá, tivemos o fim de semana passada, o ditador Chavez a falar daquilo que não sabe, na visita à nossa fábrica do vento. Talvez lhe estejam a vender banha da cobra; mesmo assim, diz que sim, mas depois o negócio é outro, seja em casas, soja, obras-públicas, etc. Infelizmente, nesta visita, não consta que a Joana Cruz se tenha aproximado...

Adicionalmente, a ordem é avançar com os projectos o mais rapidamente possível, antes que a população se porte como a Inglesa, ou seque a têta do Estado. Já em desespero de argumentação, o nosso inarrável Ministro da Economia motiva, pelo seu discurso anti-económico, títulos absolutamente impossíveis, como o seguinte: "Vieira da Silva considera défice energético essencial para resolver dívida externa".

quinta-feira, 28 de Outubro de 2010

As ONGs do Ambiente (ONGA)

Depois do post de segunda-feira, um leitor enviou-me uma referência para a lista completa de ONGs do Ambiente em Portugal. A lista disponível na Agência Portuguesa do Ambiente, já datada, relativa a Março de 2008, enumera cerca de 120 organizações.

Uma lista mais recente, em Diário da República, relativa a 31 de Dezembro de 2009, revela um conjunto igualmente significativo, mas de difícil contabilização, dadas as repetições observadas. Não há dúvidas que há muita gente a chuchar. Entretanto, deixo aqui algumas das organizações porventura mais chamativas:
  • Associação de Jovens Ambientalistas de Queluz — Grupo de Cicloturismo “Kid Carcaça”
  • Senhores Bichinhos — Associação de Protecção aos Animais
  • Projecto Palhota Viva — Associação de Defesa do Ambiente
  • AGRIARBOL — Associação dos Produtores Agro-Florestais da Terra Quente
  • Liga Portuguesa de Profilaxia Social

quarta-feira, 27 de Outubro de 2010

O buraco sem fim

No dia de hoje, a analogia gráfica que melhor se enquadra é a que referencio ao lado. Sobre Sócrates, já todos sabemos que cada dia que passa em São Bento, só contribuiu para a nossa infelicidade colectiva. Esta cambada que nos desgoverna já lá não devia estar, mas nós Portugueses gostamos de sofrer! Gostamos dos aumentos do ano passado, e não escutamos a Velha. Agora, pagamos!

Mas o PSD não está propriamente melhor! Este mês lançou o site www.cortardespesas.com. Como era minha obrigação, coloquei lá a sugestão de cortar nas tarifas feed-in. É uma opção muito mais realista do que aumentar o IVA ou cortar nos salários, e ainda tornaria a Economia Portuguesa mais competitiva. E sempre vão ser 700 milhões de euros este ano... O PSD lançou depois o Relatório Síntese das propostas recebidas, mas a minha proposta, apesar da sua dimensão, nem sequer lá apareceu. Ainda pedi uma explicação por escrito, mas obviamente posso continuar à espera!

Nada que não me admire! Afinal o PSD, e especialmente Pedro Passos Coelho, também se alimentam das energias renováveis... A Fomentinvest é um dos players nesta área, sendo bem conhecida a ligação anterior de Pedro Passos Coelho. Aliás, já aqui no passado tínhamos observado que Pedro estava passado com as suas inspirações! Conseguem topar onde ele está no filme?

terça-feira, 26 de Outubro de 2010

Going down


One year and a half ago, we had noticed that the rate of sea level rise given by the University of Colorado (satellite data) was going down. It had gone down from 3.3 ± 0.4 mm/year to 3.2 ± 0.4 mm/year. This last value can be seen in the first image above. This October, the rate of rise has declined again! Now it has come down to 3.1 ± 0.4 mm/year, as can be seen in the second image above! The image properties shows that the image was uploaded to the site on October 6th, 20:45 GMT, which is confirmed by their release notes. This rate has been steadily going down since the beginning of 2006, when it reached the highest value, at a rate of 3.5 mm/year.

This means, to say the least, that the rate of rise of sea level is declining. Nothing really new, as we have noticed in the past. But this is a hard blow on alarmists, who have been promoting accelerated sea level rise 1 2. But what is worse, and can be seen clearly in the graph, is that the decline is even greater in recent years. Since Jason-1 data is being used, from 2002 onwards, the rate of rise is only 2.3 mm/year, only slightly higher that the whole 20th century rate of rise. Expect more declines in the near future!

segunda-feira, 25 de Outubro de 2010

Chucha da Utilidade Pública

Enquanto todos estamos a apertar o cinto, o Público descobriu ontem que há umas quantas organizações/associações a quem foi dada pelo Governo o benefício de serem declaradas de utilidade pública. Segundo a notícia do Público, "os benefícios fiscais atribuídos a estas entidades estendem-se a vários impostos. De acordo com as suas características e funções, as organizações em causa podem usufruir de isenções em sede de IRC (Imposto sobre o Rendimento de Pessoas Colectivas), IVA (Imposto sobre o Valor Acrescentado), IMI (Imposto Municipal sobre Imóveis) e IMT (Imposto Municipal Sobre as Transmissões Onerosas de Imóveis), que substituiu a antiga sisa.". Rapidamente meti mãos à obra para ver quem anda a chuchar na área do Ambiente. Aqui ficam algumas das que encontrei, numa pesquisa rápida, no Diário da República online:
  • O TAGIS — Centro de Conservação das Borboletas de Portugal, pessoa colectiva de direito privado n.º 506770311, com sede na freguesia de São Mamede, concelho de Lisboa, presta, desde 2004, relevantes e continuados serviços à comunidade onde se insere através da promoção e do desenvolvimento de actividades de carácter cultural e científico, designadamente, da promoção do conhecimento da natureza, realizando acções e projectos nas áreas da educação ambiental e da investigação científica.
  • A ATRIAG — Associação para Tratamento de Resíduos Industriais de Águeda, pessoa colectiva de direito privado n.º 503627860, com sede na freguesia de Borralha, concelho de Águeda, presta, desde 1996, relevantes serviços à comunidade regional onde se insere, na área do ambiente, designadamente, através da promoção do tratamento e eliminação dos resíduos industriais.
  • A Campo Aberto — Associação de Defesa do Ambiente, pessoa colectiva de direito privado n.º 505093278, com sede na freguesia de Águas Santas, concelho da Maia, presta, desde 2000, relevantes e continuados serviços à comunidade onde se insere visando a defesa do ambiente e conservação da natureza, designadamente, através da edição de publicações, intervenções públicas, participações e promoção de debates.
  • A ASPAFLOBAL — Associação de Produtores Florestais do Barlavento Algarvio, pessoa colectiva de direito privado n.º 501829881, com sede na freguesia e concelho de Monchique, presta, desde 1985, relevantes serviços à comunidade onde se insere através da promoção da protecção da floresta, quer pela introdução de novas técnicas de exploração que permitam criar bases de sustentabilidade da floresta algarvia quer pela criação e manutenção de uma equipa de sapadores florestais. Coopera com as mais diversas entidades privadas e públicas, nomeadamente ao nível da administração local, com as Câmaras Municipais de Monchique e Portimão, na prossecução dos seus fins.
    Não obstante, a entidade deverá abster -se de fazer uso do estatuto para exercer actividades susceptíveis de reduzir a capacidade competitiva dos demais agentes económicos e assegurar que nos documentos enviados a autonomização dos custos e receitas relativos às actividades que não possam ser abrangidas pelos benefícios que o estatuto de utilidade comporta sem que se verifique a violação das regras da concorrência. Deve ainda, demonstrar, anualmente, a manutenção da situação de
    estabilidade e suficiência financeira.
  • A Associação Florestal e Ambiental do Concelho de Chaves, pessoa colectiva de direito privado n.º 504961934, com sede em Chaves, presta, desde 2000, relevantes serviços à comunidade onde se insere. Tem vindo a desenvolver um meritório trabalho na defesa e na gestão ambiental, contribuindo para o desenvolvimento sustentado dos recursos florestais e dos espaços a ele associados. Coordena uma equipa de sapadores florestais. Tem protocolos de cooperação celebrados com várias entidades oficiais, designadamente com a Câmara Municipal de Chaves.
  • A ADAPTA — Associação para a Defesa do Ambiente e do Património na Região da Trofa, pessoa colectiva de direito privado n.º 505068281, com sede na freguesia de São Martinho de Bougado, concelho da Trofa, presta, desde 2001, relevantes serviços à comunidade onde se insere através da defesa, da conservação e da melhoria do ambiente e do património natural e construído na região da Trofa, numa perspectiva da promoção do desenvolvimento sustentável e da qualidade de vida das populações, segundo as vertentes da educação, de informação, de formação e de intervenção, bem como da realização de acções para a resolução de problemas ambientais específicos.
  • A AGROBIO — Associação Portuguesa de Agricultura Biológica, associação de direito privado n.º 501632484, com sede na freguesia de Alcântara, concelho de Lisboa, é uma organização não governamental de ambiente de âmbito nacional e registada, desde 10 de Janeiro de 1988, no Registo Nacional das ONGA e equiparadas, preenchendo os requisitos da Lei n.º 35/98, de 18 de Julho. Dedica -se à divulgação da agricultura biológica em Portugal através da sensibilização, da formação e do apoio ao desenvolvimento técnico e comercial deste tipo de agricultura no nosso país.

domingo, 24 de Outubro de 2010

O hipócrita James Cameron

James Cameron é um tretas que já abordamos aqui várias vezes. Agora, os realizadores de "Not Evil Just Wrong" realizaram o filme abaixo, que expõe o hipócrita James Cameron. Cameron, que disse ao LA Times que tínhamos que viver com menos (We're going to have to live with less), poderia começar por dar o exemplo. Podia dar estas casinhas à sociedade e ir para longe, para o meio da verdalhada, por exemplo!

O filme abaixo é ainda parte da luta que se trava na California em torno do logro da Economia Verde. Hipócritas como James Cameron, que fugiram de Hollywood para realizar Avatar, devido a questões de impostos, deixando atrás os desempregados, tentam agora compensar com uns milhões. Enquanto os consumidores e contribuintes desse Estado, quase exterminado, vão sentindo o peso dos impostos, das taxas e do desemprego, os outros farsantes (Obama, Al Gore, Bill Gates, etc.) tentam forçar a tecla... Se estes vencerem, os californianos que paguem a factura!

Entretanto, e felizmente, os irmãos brasileiros dão-lhe o tratamento adequado!

sábado, 23 de Outubro de 2010

Fartura de Ursos polares


Já há muito que não falavamos sobre ursos polares. Essa espécie fofa, como se pode ver no primeiro vídeo acima, que começa a ser encarada com a ternura de um peluche, mas que é simplesmente um dos animais mais ferozes da Natureza. E como pode ser visto no segundo video acima, ainda há humanos que devem pensar que nos podemos aproximar deles.

Vem isto tudo a propósito de notícias fresquinhas de Churchill, local predilecto de observação de ursos polares, e que tão boas indicações tinha dado em 2008 e 2009. Pois, este ano, são esperados ainda mais, dada a quantidade anormal de ursos vistos no Verão. E os alarmistas poderão dizer que os ursos, por não andarem no gelo, se aproximam de terra. Mas não é assim! Uma das melhores evidências é a quantidade de ursos polares fêmeas com três crias atrás, sinal de que vivem saudáveis...

sexta-feira, 22 de Outubro de 2010

The ClimateGate Secret Meeting

A usual reader of the blog sent me yesterday an interesting news from a Portuguese newspaper. It deals with the classic Medieval Warm Period problem, in the most green Portuguese newspaper. I immediately recognized one of the worst environmental journalists in Portugal, dealing with one of my favorite issues. Interestingly enough, Ricardo Trigo, a portuguese climatologist, was trying to explain the pseudo-science behind climate change and global warming, confusing things like Greenland's vikings and Maunder's Minimum.

But what really interested me in the story was a reference to Phil Jones, the person in the center of the ClimateGate controversy. And references to a conference in Portugal, regarding the Medieval Warm Period. I spent some time trying to figure out what had happened. Turned out that I had not read the news with attention: the conference had happened a month before!

Between 22 and 24 of September, a symposium entitled "The Medieval Warm Period Redux: Where and When was it warm?" was organized in Lisbon, Portugal. The Climategate mob was here, including Phil Jones, Michael Mann, Malcolm Hughes and Raymond Bradley. I bet the main point on the agenda was how "to get rid of the Medieval Warm Period". The abstracts for the conference are available here. Probably, the best abstract of the symposium was for Malcolm K. Hughes (highlights are my responsibility):

We meant the title of our 1994 review “Was there a Medieval Warm Period, and if so Where and When?” (Hughes and Diaz, 1994) to be read in two ways. Firstly, it was to be read quite literally. Secondly, it was meant to be ironic. The literal reading was rewarded by an attempt to identify and synthesize records thought to be appropriate to this task. Irony was used to imply that, since a clear and simple answer was not forthcoming from the review, it might be useful to reformulate the question. Please read the title of this abstract in the light of this explanation of the 1994 title.

The trajectories of these two concepts (“Medieval Warm Period” and “Medieval Climate Anomaly “) will be traced. A case will be made for the abandonment of both of them, on the grounds that they are inappropriate, uninformative, and that they very probably divert attention from more revealing ways of thinking about the Earth’s climate over the past two millennia.

It is clear from many recent publications, especially many of the abstracts submitted for this meeting, that high-resolution paleoclimatology has moved firmly from the mode of descriptive climatology to that of physical climatology. As a result, there is little utility in picking over definitions of the geographic and temporal extent of putative epochs, especially in the Late Holocene. The pressing questions concern the dynamics of the climate system, and the relative roles of free and forced variations, whether the forcings are anthropogenic or not.

All the information I've got till now makes me believe that this was an almost secret meeting. No news transpired, not even here in Portugal. Given the abstracts, and the one seen above, their intentions are clear! If Ricardo Trigo kept his mouth shut, nobody would probably hear about it. So I wish to thank my loyal reader for bringing this to our attention.

Ainda os Custos de Interesse Económico Geral

Na terça-feira referíamos aqui os Custos de Interesse Económico Geral (CIEG). Curiosamente, três leitores fizeram-me uma pergunta muito semelhante, mas de resposta relativamente simples: qual o valor da esmola com que se contribui para o CIEG? A resposta está na factura da electricidade de cada um dos consumidores. Procurem por "O valor indicado inclui os custos relativos ao uso das redes e os custos de interesse económico geral que decorrem de medidas de política energética, no valor de € ...". Conforme podem ver no exemplo acima, retirado do Blasfémias, e nos vários que consultei aqui em casa, o valor já supera regularmente metade do valor total da factura.

Dêem uma vista de olhos às vossas facturas. Mas preparem-se para ficar indispostos!

quinta-feira, 21 de Outubro de 2010

Not so fine, Mr. Gore!

Al Gore was today in Lisbon, Portugal. He made a talk at the SAP Business Forum, and as can be seen in the video below, he seems to believe that everything is fine in Portugal. He brought along with him his old cow joke, but given the situation here in Portugal, the cow joke is just an excellent example!

Someone should tell Al Gore that Portugal is not coming out of the Great Recession. In fact, Portugal's economy is getting worse, as can be seen by the high sovereign risk, usually one of the highest 10 in the world in the last months. This is so because major bad economic decisions have been made in the last years, namely in alternative energy. Portugal has traditionally a lot of hydroelectricity, and this year a lot of energy was based on hydropower. Confusion has arisen about how much green energy is really produced, but greater values are typically associated with greater rainfall.

The truth is that more wind energy has been produced, but since storage is very limited, a lot of energy has been exported at zero cost. Water pumped storage with water had to be discharged because of heavy rain in the beginning of the year, with a duplicate loss. All this energy was lost, while paying the wind operators, due to feed-in tariffs. The total cost for Portuguese consumers and taxpayers is estimated at 700 million euros this year. But costs are growing exponentially. Electricity costs have risen in the last year, while they have gone down in European countries where alternative energy is less used. And they will have a mean rise of 3.8% next year, motivated essentially by alternative energy price rises, as the independent Energy Services Regulatory Authority has justified.

The truth is that the Green Economy is a black signal for the Portuguese Economy. EDPR, which owns Horizon, is on it's way down. The Portuguese Government has proposed major cuts for the 2011 budget, unseen since Portugal regained a democratic regime, in 1974. Just like Spain, we're going down, while unemployment keeps going up, and the promised green jobs are one of Europe's lowest. So, Mr. Gore: If some Portuguese told you that "I feel fine", I can bet he felt like the farmer in your nasty story! And I can't wait that he sues you in court, in a nearby future.

Alemães engolem rico aumento

A política Verde da Alemanha começa finalmente a ser topada pelos alemães: vão pagar ainda mais pela energia eléctrica! Eles já pagavam a segunda energia mais cara da Europa. Enquanto nós nos queixamos do preço do kWh, os alemães pagam €0.229. Enquanto na Europa o preço da energia baixou em 2009 cerca de 1.5%, os Alemães suportaram um aumento de 4.5%! E todos sabem que as energias alternativas são as responsáveis por essa subida...

Mas como os Alemães gostam muito das políticas Verdes, no próximo ano vão engolir mais um rico aumento! A sobre-taxa que os consumidores pagam pelos custos extra das renováveis vai aumentar uns estonteantes 70% em relação a este ano! Enquanto este ano pagam €0.0205 por kWh, para 2011 está previsto o pagamento de €0.0353 por kWh. Para uma família alemã, isso representará cerca de mais 10 euros ao fim do mês... Mas não fiquem invejosos; nós vamos pagar a mais o mesmo, e ganhar menos...

quarta-feira, 20 de Outubro de 2010

Pegada do Ministério do Ambiente

O Diário Económico lançou hoje uma notícia bombástica: o Ministério do Ambiente tem a maior pegada "imobiliária" dos vários Ministérios do Governo. Segundo a notícia, que só é completamente acessível na versão em papel, cada funcionário da Sede do Ministério do Ambiente tem uma pegada de 53.6 m2, contra os 15.4 m2 do Ministério da Justiça, no extremo inferior. No total, o Ministério do Ambiente ocupa 11256 metros quadrados, com 210 postos de trabalho. A sede do Ministério do Ambiente localiza-se na Rua de O Século, sendo a entrada a que é visível na foto.

O estudo destes valores foi efectuada pela empresa inglesa de consultoria IPD - Investment Property Databank, depois de encomendado em 2008, e entregue ao Governo no ano passado. O estudo revela ainda que cada funcionário público tem um custo médio de ocupação de 8376 euros/ano, o que quer dizer que o valor do Ministério do Ambiente será certamente muito maior... O estudo estima ainda que o Governo pode poupar mais de 1.25 mil milhões de euros com edifícios!

Actualização: Um leitor atento apontou-me um link de um documento que parece conter os dados referenciados pelo Diário Económico.

terça-feira, 19 de Outubro de 2010

Custos de Interesse Económico Geral

O termo "Custos de Interesse Económico Geral" é um palavrão, de que a maioria dos consumidores de energia eléctrica nunca ouviram falar, mas que lhes toca de perto... O primeiro gráfico acima, retirado do mesmo documento da ERSE que havia referido aqui, dá-nos uma ideia precisa de como andamos todos aldrabados.

Veja-se o aumento exponencial dos "Custos de Interesse Económico Geral", cada vez maior. Veja-se também a interrupção em 2009, que para os mais distraídos significa apenas a realização de eleições, e a necessidade de canalizar o dinheiro para outros fins... Mas que custos são estes? A consulta deste documento da ERSE, nas páginas 206 e 207, relativo às tarifas para 2010, revela para onde vai este dinheiro:
  • Diferencial de custos com a aquisição de energia eléctrica a produtores em regime especial (PRE) mediante fontes de energia renovável e não renovável (cogeração), imputados à parcela II da tarifa de Uso Global do Sistema.
  • Rendas de concessão pela distribuição em baixa tensão.
  • Custos com o Plano de Promoção da Eficiência no Consumo de energia eléctrica.
  • Custos com os Planos de Promoção do Desempenho Ambiental.
  • Custos com os terrenos afectos ao domínio público hídrico (amortização e remuneração).
  • Custos com as sociedades OMIP, S.A. e OMI Clear, S.A.
  • Custos com a Autoridade da Concorrência (AdC).
  • Custos com a Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos.
  • Custos com a convergência tarifária na Região Autónoma dos Açores.
  • Custos com a convergência tarifária na Região Autónoma da Madeira.
  • Custos para a Manutenção do Equilíbrio Contratual (CMEC).
  • Amortização e juros do défice tarifário, relativo aos custos com a convergência tarifária na Região Autónoma dos Açores em 2006 e 2007 não repercutidos nas tarifas.
  • Amortização e juros do défice tarifário, relativo aos custos com a convergência tarifária na Região Autónoma da Madeira em 2006 e 2007 não repercutidos nas tarifas.
  • Amortização e juros do défice tarifário das tarifas de Venda a Clientes Finais em Baixa Tensão, relativo a 2006.
  • Amortização e juros do défice tarifário das tarifas de Venda a Clientes Finais em Baixa Tensão Normal, relativo a 2007.
  • Custos inerentes à actividade de gestão dos CAE remanescentes, pelo Agente Comercial, não recuperados no mercado.
  • Tarifa Social.
  • Custos com a Gestão das Faixas de Combustível no âmbito do Sistema Nacional de Defesa da Floresta contra Incêndios (limpeza de corredores de linhas aéreas).

A segunda imagem acima dá-nos o detalhe da distribuição dos cerca de dois mil milhões de euros para este ano de 2010. Note-se como mais de 40% vai direitinho para o sobrecusto da PRE, que aqui no blog temos vindo repetidamente a assinalar. Mas a isto voltaremos novamente...

segunda-feira, 18 de Outubro de 2010

Subida em toda a linha

Quando ontem dava o exemplo do Desgoverno no Orçamento do Ministério do Ambiente, estava longe de imaginar o que me esperava mais! Conforme se pode ver na tabela ao lado, extraída da página 255 (Quadro V.11.2) do Relatório do OE 2011, os aumentos são em toda a linha, em tudo o que é Serviço do Ministério do Ambiente. Enquanto os outros apertam o cinto, com cortes na Saúde, Educação, e Segurança Social, o Ministério do Ambiente sobe em absolutamente todos os Serviços!!!

Quando se fala de cortar e juntar, ficam tantas ideias aqui ao lado!

domingo, 17 de Outubro de 2010

Desgoverno no Ambiente

Enquanto que todos vamos ser sacrificados, nos impostos, na Educação, na Saúde, o Ministério do Ambiente vai ter mais dinheiro para estourar em 2010!!! São uns 400 milhões de euros, que Dulce Pássaro e companhia, poderão distribuir pelos seus... Segundo esta notícia do Público, há mais 20% para gastar no próximo ano!

E para onde vai esse dinheiro todo? O maior aumento, de 325%, vai para o Fundo Português de Carbono, o que quer dizer dinheiro para ser entregue aos estrangeiros... Andamos nós a apertar o cinto para entregar o dinheiro aos outros??? No resto, as propostas são de encanar a perna à rã...

Mas para que serve afinal este Ministério do Ambiente? Não haja ilusões; para além dos exemplos que já evidenciamos anteriormente no link atrás, podemos ver os exemplos seguintes, retirados da página do Twitter, do próprio Ministério do Ambiente:
  • Seia, Ministra do Ambiente participa na abertura do 16º CineEco, Festival Internacional de Cinema. Casa Municipal da Cultura. Sábado, 12h00
  • Amanhã, Humberto Rosa, na inauguração do novo pólo de actividade ambiental da Fundação Serralves “Espaço Parque”, Porto, 10h00.
  • 5 de Outubro, secretária de Estado Fernanda do Carmo inaugura Centro Escolar Bela Vista, Gondomar, 12h00 e Centro Escolar de Sabrosa, 15h30
  • 5 de Outubro, Lisboa, secretário de Estado do Ambiente inaugura Escola Secundária Gil Vicente, 12h00.
  • 5 de Outubro, Coimbra, Ministra do Ambiente inaugura Escolas Secundária Avelar Brotero, 12h00, e Secundária Infanta D. Maria, 12h35.

Palavras, para quê? Acabem com esta palhaçada, e deixem lá um Secretário de Estado, que é mais que o suficiente!

sábado, 16 de Outubro de 2010

Mais aumentos na electricidade

A ERSE fez saber que os aumentos do preço da electricidade para o ano de 2011 serão de 3.8%. Mais do que os valores do aumento prognosticados nos Media. A notícia até passa despercebida no meio da discussão do Orçamento, o que é muito conveniente! Mas porque sobe a energia tanto? Vejamos o primeiro ponto da justificação da ERSE (realces da minha responsabilidade):

O empenho de Portugal para cumprir as metas de produção de electricidade através de fontes de energia renováveis, tem-se materializado num conjunto de incentivos económicos à Produção em Regime Especial (PRE), que inclui, para além da produção de energia eléctrica a partir de fontes renováveis, a produção em cogeração de energias eléctrica e térmica.

O custo médio deste tipo de produção tem sido superior ao custo da produção em centrais convencionais, sendo que o seu custo total tem vindo a aumentar ao longo do tempo pelo facto das entregas desta energia eléctrica à rede terem aumentado significativamente nos últimos anos.

Com o enorme conjunto de subsídios dados, nomeadamente às eólicas, é necessário garantir que as outras centrais convencionais não fecham as portas, pois deixaríamos de ter electricidade durante partes significativas do ano. Por isso, para compensar os subsídios das eólicas, é preciso subsidiar também as outras, através dos Custos para a Manutenção do Equilíbrio Contratual (CMEC) e da Garantia de Potência. Reparem que a electricidade sobe apenas, porque, no final, há energia eólica a mais!

Depois, a ERSE explica que os preços até poderiam, e deveriam, baixar. Porquê (realces da minha responsabilidade)?

Parte importante dos custos a recuperar pelas tarifas são custos de produção de energia eléctrica que variam directamente com a evolução dos preços da energia primária. Recentemente, tem-se verificado uma tendência de estabilização dos valores médios mensais, expressos em Euros. Esta realidade, associada a uma maior pressão concorrencial no MIBEL, permite perspectivar, para 2011, um custo médio de aquisição de energia eléctrica no mercado ligeiramente inferior ao considerado nas tarifas de 2010.

A ERSE acena ainda com o crescimento do consumo em 2010, em completo desacordo com o que havia previsto há um ano. Na verdade, havia previsto que em 2010 o consumo de energia eléctrica desceria 3%; agora, prevê um aumento de 4%! É claro que num cenário de Aquecimento Global, a ERSE faz contas à Quercus... E o Zé Povinho cala, e passa a pagar mais!

Uma visão verdalhada

Um leitor atento alertou-me para a Visão que está nas bancas. Lá fui gastar dinheiro inútil, mas na senda de mais um serviço público. Já lhe dei uma vista de olhos, e tem tantas tretas, que tenho material para muitos posts. Mas este inicial, é sobre a VISÃO que os ecologistas têm sobre o que é o ideal da vida na Terra. E na revista, essa honra cabe aos Mentawai, na Indonésia. Este deve ser o paraíso desta verdalhada, mas porque não irão eles para lá?

Na densa floresta tropical de Siberut, a Ilha das Serpentes e dos Macacos, vivem, nas enormes umas comunitárias, os clãs do povo seminómada dos Mentawai, que imolam galinhas, leem o futuro nas suas entranhas, fabricam remédios a partir de plantas, caçam com setas envenenadas, pescam com sacos de redes nas águas barrentas dos rios e, apesar de serem asiáticos, ignoram, de tão isolados que estão, a própria existência do arroz.

sexta-feira, 15 de Outubro de 2010

Showerpooling na Casa dos Segredos

Confesso que isto dos reality shows me passa completamente ao lado... Mas hoje contaram-me que há uma nova casa, a Casa dos Segredos, que entre outras coisas, têm uns duches comuns para os concorrentes... Mas alguém percebe qual é a intenção da TVI? Pois é, não é espreitar os concorrentes... mas sim poupar água? É pelo menos isso que a Axe diz, sobre as vantagens da partilha de chuveiro (showerpooling em inglês), conforme se pode ver no vídeo abaixo. O vídeo, que é extremamente estúpido e machista, como todos os anúncios da Axe, merece no entanto ser visto, para perceber quanto poderá a TVI poupar de água...

quinta-feira, 14 de Outubro de 2010

Censura Verde no Ecosfera do Público


Hoje de manhã, consciente que a campanha evangelizadora da WWF deveria aparecer nos locais do costume, lá fui ver o site da catequese Verde do Público: a Ecosfera. O título da notícia, "Estilo de vida em Portugal requer 2,5 planetas" requererá uma meditação mais profunda, mas acabei por colocar um comentário à notícia, alertando para as contas mal feitas, das quais destaquei a de ontem sobre a precipitação. O resultado foi um comentário bem sucedido, conforme pode ser visto na primeira imagem.

Na hora de tomar o segundo café do dia, enquanto saboreava o trago, volto para ver os comentários subsequentes dos religiosos da Ecosfera. Para grande surpresa minha, o meu comentário havia sido apagado. Tentei colocar outro, mas sem sucesso. O meu colega do lado postou uma mensagem "mais verde", de conquista do planeta, e voilá, passados uns segundos, já estava no site, conforme se pode ver na segunda imagem.

A mesma notícia, no site do Público, lá permitiu a publicação do comentário. Parece que a censura dos sacerdotes verdes não alcança ainda a totalidade do jornal, conforme pode ser visto na terceira imagem... Aliás, a notícia tem até outro comentário muito interessante, que valerá a pena investigar... Enquanto isso, na Ecosfera, a Mão Poderosa dos sacerdotes persegue-me. Mas só me dá mais força, e aos meus amigos...

A resistência no Brasil

São cada vez mais os blogs do Brasil para os quais estabeleço ligação. No país irmão, são cada vez mais aqueles que se insurgem contra os eco-chatos, o termo mais popular para os ecologistas da treta. Frequentemente, visito os blogs irmãos, e nesse processo descobri mais um: Mata Alheia Mamata No$$a. A sua narrativa fática sobre o caso Fazenda Itinga fez-me imediatamente lembrar do memorável post sobre Psicanálise Ambiental...

Vale bem a pena dar um pulo ao blog. E saborear as suas observações. Como a do verdadeiro significado da WWF, bem expresso na imagem ao lado, e que ainda ontem lançou mais uma campanha evangelizadora, para justificar mais esmolas... Os seus sketches são muito interessantes, e fiquei vários minutos admirando-os...

quarta-feira, 13 de Outubro de 2010

Chuva mal contada


O nosso Instituto de Meteorologia não tem emenda! A notícia agora é a de que Setembro foi o mais seco dos últimos 22 anos. Reparemos no seguinte texto (realces da minha responsabilidade):

No final do mês, praticamente todo o território, 91%, se encontrava em situação de seca meteorológica fraca a moderada, sendo que os restantes 8% se encontravam em situação de seca severa, afectando principalmente as regiões do litoral Norte e Centro.

Para o IM, esta região está em seca, mas não consegue medir a precipitação que lá cai. Fui fazer uma pequena investigação, e resolvi voltar ao penico do céu. Como se pode ver pelo primeiro gráfico acima, para o IM não choveu em Braga a 9 de Outubro. Mas pesquisando uma estação próxima no INAG (as de Braga não têm dados?), a de Barcelos, verifica-se na segunda imagem acima, que efectivamente choveu nesse dia! Até os meteorologistas amadores toparam a chuva...

Para onde quer que olhemos, deparamos com chuva mal contada. Lembrei-me de Ponte de Lima, que referi há dias. Aqui, não choveu no dia 10, segundo o IM, como se pode ver na terceira imagem acima. Mas choveu bem nos dias anteriores, atingindo os 80 milímetros no dia 8 de Outubro. Mas segundo o INAG, não choveu mais que 1 milímetro em cada um desses dias! Ou será que os milímetros do INAG são diferentes do Instituto de Meteorologia? Não admira, por isso, que esta região esteja em seca...

terça-feira, 12 de Outubro de 2010

Obrigado!

Faz hoje 3 anos que o Ecotretas nasceu! Durante este tempo todo, os leitores foram afluindo, em cada vez maior número. Tantos, que ultrapassamos no mês passado, as 20 mil páginas visualizadas. Não são muitas, mas ultrapassam bem aquilo que poderia imaginar, ainda há um ano atrás! A tendência é claramente de crescimento, se excluirmos os meses loucos de final de 2009 (devido ao Climategate). Várias outras métricas são muito agradáveis, nomeadamente as de novos visitantes, que se têm mantido quase sempre acima dos 40%, assim contribuindo para um crescimento sustentável...

Hoje, este é igualmente o milésimo post do blog. Francamente, já superei muito a quantidade de tretas que inicialmente me propunha evidenciar. Mas elas são mais que muitas! Todos os dias me deparo com várias, com os leitores assíduos a enviarem sugestões a uma taxa muito superior àquela a que consigo publicar. Compreendam que tenho uma vida pessoal e profissional, cujas prioridades são muito superiores às deste blog. Mesmo assim, vou encontrando uns minutos para colocar mais e mais... A escorrência literária é o que me vale, e este post é daqueles que mais tempo me está a tomar! Felizmente, têm sido muito poucas as falhas ao longo deste tempo todo.

E vou continuando, enquanto tiver disponibilidade, e os leitores continuarem a ler. Porque não quero no futuro um regresso do Fasciscmo, agora Verde. Porque não suporto Ciência fraudulenta. Porque não quero uma endoutrinação mentirosa para as nossas crianças. Para que não surga uma Nova Ordem Mundial fundada numa Religião Verde. Porque quero um Ambiente cada vez melhor, livre de ecologistas da treta, essa espécie que se preocupa mais com uma pata partida de um qualquer animal, do que com um fogo florestal!

segunda-feira, 11 de Outubro de 2010

Hal Lewis bate com a porta

A APS (American Physical Society) está outra vez metida no meio de escândalos científicos. Depois de termos referido aqui há mais de dois anos umas obstruções à ciência, e depois de mais confusões intermédias, eis que a saga continua. Harold Lewis, mais conhecido por Hal Lewis, escreveu uma carta renunciando à APS. O que mais impressiona são as justificações, com inúmeras acusações de falsificação dos métodos científicos, dentro de uma das associações científicas mais conhecidas dos Estados Unidos. Dos muitos parágrafos destacados em vários locais da Internet, eu destacaria o seguinte (realces da minha responsabilidade):

In the interim the ClimateGate scandal broke into the news, and the machinations of the principal alarmists were revealed to the world. It was a fraud on a scale I have never seen, and I lack the words to describe its enormity. Effect on the APS position: none. None at all. This is not science; other forces are at work.

domingo, 10 de Outubro de 2010

Entrevista a Tim Ball

As alterações climáticas são um termo apropriado, e parecem uma realidade, para todos aqueles que não conhecem, ou não querem saber, da história climática do Planeta Terra. Os leitores sabem que eu prezo muito a História, e nós Portugueses temos uma consciência histórica significativa. O mesmo não se pode dizer dos Amrericanos, para a maioria dos quais, a história começou há pouco mais de 200 anos.

É nessa sequência que a entrevista seguinte, a Tim Ball, é um resumo muito interessante do actual estado da ciência climática, incluindo várias das fraudes científicas aqui referenciadas... Ball teve o privilégio de trabalhar com Lamb, o troca-tintas que já aqui referimos. As referências a Maurice Strong são também explosivas, e que já aqui havíamos referenciado noutro artigo. A entrevista está a ser tão bem sucedida, que motivou novamente a retirada da página que tinha no Wikipedia... Não há dúvidas que o Lápis Azul anda por aí!!! Não percam:

sábado, 9 de Outubro de 2010

Para onde foram os furacões?

O ano passado havíamos aqui referido que o ACE (Accumulated Cyclone Energy) se encontrava em valores mínimos de 30 anos. É claro que os alarmistas, entre os quais se inclui o nosso Instituto de Meteorologia, ainda se entusiasmaram com os furacõezinhos deste ano. Enquanto outros se queixam que os furacões andaram pelo oceano, mas se esqueçeram dos Estados Unidos...

Como se pode ver pela imagem ao lado, depois de uma pequena subida no início deste ano, o valor do ACE voltou a baixar, e está novamente em valores mínimos históricos! Mas, e o que tem dito o tretas Gore? Vejamos:

Dezembro 2008: And as you know, the warming ocean waters are also causing stronger typhoons and cyclones and hurricanes.
Abril 2009: A number of new studies continue to show that climate change is increasing the intensity of hurricanes.
Fevereiro 2010: in the United States and we can expect stronger hurricanes
Março 2010: we could see more severe flooding, more destructive hurricanes

sexta-feira, 8 de Outubro de 2010

Campanha de terror

Antes de irmos para fim-de-semana, onde vamos ser inundados com as tretas do 10:10, podemos voltar a ver os filmes mais idiotas, que fomos aqui referenciando ao longo destes últimos anos:

10:10 explode com criancinhas
Terroristas da WWF mandam aviões contra as Torres Gémeas
Quercus suicida biodiversidade
PlaneStupid lança ursos polares sem para-quedas
GreenPeace enjoa Pai Natal
ACT ON CO2 conta história da carochinha

Mais eco-terrorismo

Via o blog Sol e Mudanças Climáticas chegamos a mais um exemplo de eco-terrorismo publicitário. Conforme se pode observar na imagem ao lado, as crianças são mais uma vez o centro, errado, das atenções. A imagem é retirada de um documento relativo a uma exposição dos melhores anúncios sociais e ambientais... Meditemos no seu significado!

quinta-feira, 7 de Outubro de 2010

O logro das renováveis

Já tinha reparado no texto no blog Vamos Salvar Sortelha. Mas não tinha conseguido encontrar o Expresso, para ler na íntegra. Hoje apareceu online o texto de Clara Ferreira Alves, intitulado "Foi importante ser ministro, se foi", publicado na revista Única de 2 de outubro de 2010. Junto apenas algumas frases do texto (realces da minha responsabilidade), que recomendo vivamente:

Como este país do sul da Europa não é constituído por parolos e como uma boa parte desses espertalhões também adorasse viver em NY, o ex-ministro Pinho recebeu uma carrada de comentários online: jocosos, odiosos e sérios com algumas verdades à mistura, devidamente noticiadas e que eu, como tantos parolos sulistas, não li. Juro que acreditei que o ex-ministro tinha mesmo sido convidado dada a sua proverbial esperteza em renováveis. E de renováveis também não percebo nada, pago-as, com o resto dos parolos, na fatura da EDP. De resto, toda a gente acha que são muito boas para a saúde e o ambiente. O pior é que, curiosa de uns tantos comentários, fui pesquisar na net, e pesquisando fui parar a uns blogues onde a discussão sobre renováveis e o seu custo me pareceu cientificamente descrita por gente que percebia do assunto; e onde fiquei a saber como é que o ex-ministro foi parar a NY.

O texto é delicioso e não deixa dúvidas que a Clara nos visitou. Mas quando viu a produção da eólica do Primeiro Ministro, deve ter pensado que a unidade do Wh não existe, e achou por bem substituir pelo mais familiar "KW por hora". Vou ter que alertá-la para a dimensão das unidades de energia... O logro ficará ainda mais claro para ela!

quarta-feira, 6 de Outubro de 2010

Comes e calas!

Um leitor habitual mandou-me uma pérola, que indicia como os políticos andam preocupados com a emancipação intelectual do Zé Povinho europeu. A Comissão Europeia quer que ninguém equacione os seus objectivos de 20% de renováveis até 2020! Com que estão eles preocupados?

But renewable projects often run into resistance from local communities, who have to live with the noise of wind turbines or the visual changes to their landscapes.

E o que pensou a Comissão Europeia? Lançou um estudo para investigar como podem aumentar a aceitação dos seus objectivos. Resultados preliminares, apresentados por Ron Van Erck, da Comissão, incluem mecanismos de compensação, como fundos comunitários... Ou prometem empregos! Ou eco-turismo? Para mim, é do género: comes, e calas!

Mas, isto é mais que um sinal... É a certeza de que as verdades inconvenientes estão a vir à tona!

terça-feira, 5 de Outubro de 2010

Marie-Luise Dött

Marie-Luise Dött é uma política alemã, que ousou falar contra a religião verde. Obviamente, num país religioso como a Alemanha, as suas declarações cairam como uma bomba! Fazendo parte do partido do Governo, as suas declarações tornaram-se particularmente preocupantes para a Chancellor Merkel, até porque Dött faz parte do comité ambiental.

Pouca informação transpirou, para além da disponível em Alemão. O blog NoTricksZone oferece um resumo em inglês, nomeadamente de uma das frases mais significativas, sobre a protecção climática:

...replacement religion, and that anyone who dared to express doubt could be branded an outlaw, forced to confess sins, sent to purgatory, or even cast into hell, if being really bad. Free scientific thinking is a myth here.

Não há dúvidas. Cada vez mais as pessoas estão a perder o medo. E os sacerdotes da Religião Verde estão a ser expostos. O Muro vai cair outra vez, também na Alemanha!

segunda-feira, 4 de Outubro de 2010

Pachauri em Fátima

Um leitor acaba de me enviar uma mensagem que deixou a minha alma parva. O tretas do Rajendra Pachauri foi a Fátima! Sou todo a favor do diálogo inter-religioso, e adoro estar em Fátima, mas o que é que faz um Hindu lá? E porque dá uma organização Católica destaque a uma obra pornográfica? Ainda por cima a acender uma velinha??? Então, ele não sabe que as velinhas produzem CO2???

Mas, eu imagino que ele foi lá pedir qualquer coisinha. Que o mantenham como presidente do IPCC durante mais uns aninhos... Mas não saberá ele que a Religião Católica não é como a religião Verde?

Faça sol, ou faça chuva, o abutre está lá

Todos os leitores habituais do blog sabem que o tretas-mor nacional é o Filipe Duarte Santos. Sabendo isso, um leitor atento enviou-me mais uma pérola do abutre das catástrofes:

Correio da Manhã – Como será o tempo no Outono e no Inverno?
Filipe Duarte Santos – A ciência não tem formas de fazer previsões sobre como será o tempo durante uma estação próxima como o Outono ou Inverno. O que existem são modelos estatísticos, ainda muito pouco fiáveis.
Vamos continuar a registar fenómenos extremos?
A tendência dos últimos anos em Portugal e também no Mundo é para uma maior intensidade dos fenómenos meteorológicos e climatéricos extremos.
É de esperar a ocorrência de tornados de baixa intensidade?
É muito provável que isso aconteça, tal como já se verificou em outros anos.

Depois de uma chuvada, que recorda vagamente chuvas do antigamente, o que fazem Santos sem memória? Acenam com os fenómenos extremos. Mas não era este o mesmo Filipe que dizia que ia haver periodos sem precipitação mais longos? Ou que em 2025 vamos ficar sem água potável?

Não foi também este oportunista que pôs à venda em 30 de Janeiro de 2006, o livro SIAM II? Onde se fazem previsões miserabilistas? O que vale é que a Mãe Natureza lhe deu uma valente lição, brindando-o com um nevão na véspera, coisa pouco vista em Lisboa... E que o obrigou a mais umas reacções estapafúrdias...

Estes oportunistas têm que ser expostos! Tanto falam, como se pode ver acima, em "modelos estatísticos, ainda muito pouco fiáveis", como a seguir retocam com um "é muito provável que isso aconteça", quando lhe convém... Se o tretas e o jornalista, e os leitores, quiserem saber o que são fenómenos extremos, vão até Ponte de Lima, e observem com atenção a Torre de São Paulo. Também na imagem acima é visível o marco das cheias de 1909, bem como as de 1987. Ou que leiam outros exemplos de cheias de 1909, isso sim um fenómeno extremo, nunca comparável ao que se passou este fim de semana!

domingo, 3 de Outubro de 2010

Eco-fasciscmo

Depois do episódio da passada sexta-feira, com os eco-fascistas a acharem graça a crianças a explodir, fui buscar ao baú mais exemplos semelhantes... Já tropecei em muitos ignóbeis como Al Gore e Pachauri, mas até estes não são maus rapazes quando comparados com Pentti Linkola. Um pescador e filósofo finlandês, Linkola assume posições absolutamente talibãs. Num site erguido por seguidores, defende-se claramente a morte de uma parte da Humanidade, sobretudo daqueles com "defeitos", para que não se ultrapassem os 500 milhões de pessoas.

Linkola é como outros verdes: é contra a industrialização e não suporta a democracia. Recentemente, defendeu que os cépticos fossem enviados para campos de concentração ecológicos, com a restante população a ser morta numa parte substancial, e os restantes a serem escravizados no âmbito duma Nova Ordem Mundial...

E como se isto já não pusesse qualquer ser humano indisposto, o que ele queria mesmo era uma terceira guerra mundial:

a happy occasion for the planet.... If there were a button I could press, I would sacrifice myself without hesitating, if it meant millions of people would die.

sábado, 2 de Outubro de 2010

Contas e Ondas furadas

Em As escolhas do Beijokense descobri mais uma piedosa mentira do nosso primeiro ministro: que a potência instalada das energias renováveis mais do que triplicou entre 2004 e 2009:

The country's installed renewable energy capacity more than tripled between 2004 and 2009

A consulta dos dados da DGEG revela uma subida(tem que carregar uma e outra vez no link, para funcionar: não me perguntem porquê, mas sim à DGEG) , mas mesmo assim bastante inferior ao dobro, como refere o Beijokense. O que o Sócrates deveria querer, era incluir valores virtuais, como as licenças de barragens atribuídas no âmbito do PNBEPH. Mas até essas contas estão engatadas, como no caso do mexilhão, mas sobretudo porque efectivamente não estão instaladas... Mas todos sabemos que isto do dobro ou do triplo é um conceito muito complexo para o nosso Primeiro Ministro, como o vídeo abaixo, num momento memorável, documenta.

Mas quando ainda me confrontava com estes números, tropecei na potência das ondas. Todos sabemos o fiasco que foram as Pelamis, mas a DGEG continua a contar 4.2 MW de potência de Ondas/Marés, conforme se pode ver na imagem acima. Ou seja, quem nos garante que os restantes valores estão correctos? Que haja eólicas que não estão construídas? Barragens que não servem para nada? A partir do momento que mantêm estes valores, os dados da DGEG perdem toda a credibilidade!

sexta-feira, 1 de Outubro de 2010

Verdes = Nazis

Não é possível imaginar até onde chegam as ideias destes tretas Verdes! Vejam o filme abaixo, sobre a campanha 10:10. Mas atenção: preparem-se para ficar maldispostos! Não digam que não vos avisei... Nem o Hitler tinha acesso àquele botão!!!

Depois, façam chegar aos representantes portugueses, portugal@1010global.org, as V/ opiniões...



Actualização: Estes terroristas de meia tigela pensavam que conseguiam safar-se disto. Apagaram o vídeo. Felizmente, a Resistência já têm várias cópias, e a memória verde-negra será preservada!!!