quarta-feira, 31 de Agosto de 2011

Budas do Tua

É típico daqueles que não são ouvidos, gritarem "Lobo" cada vez mais alto. Foi isso que me fez lembrar este comunicado da Quercus, do mês passado, relativamente à barragem do Tua, que me foi enviada por um leitor. Os talibans verdes do Núcleo Regional de Vila Real e Viseu, entenderam por bem fazer a seguinte comparação (realces da minha responsabilidade):

A destruição do Vale do Tua, do rio, da paisagem, da linha centenária, da identidade da região a que se junta ainda o património classificado pela UNESCO, é no seu conjunto semelhante ao que aconteceu em Março de 2001 às estátuas dos Buda de Baiyman, património da Humanidade igualmente destruído.

Estes idiotas não parecem sequer muito cultos. Os Budas são de Bamiyan (eu também não sabia soletrar, mas ao menos fui verificar...), e a observação dos detalhes no site da UNESCO, revela que a comparação com o Alto Douro (ou uma pequena parte do Alto Douro) é ridícula. Entretanto, Os Verdes também já pegaram no assunto...

Aliás, o problema da Quercus prende-se mais com a foz do rio Tua, uma paisagem nada representativa da protegida pela UNESCO. E que nada tem a ver com a beleza dos socalcos do Douro! O que aqueles terroristas da Quercus e de Os Verdes deveriam dizer é outra coisa! É que as barragens do Tua e outras só foram construídas por causa do excesso de energia eólica. Que poluem a paisagem do topo das nossas serras. Uma paisagem que os ecologistas um dia quererão classificar?

segunda-feira, 29 de Agosto de 2011

Nilton diz que vai chover

No seu artigo de hoje do Diário Económico, Nilton refere:

O preço dos combustíveis deve subir hoje devido às preocupações do impacto do furacão Irene sobre as refinarias dos EUA. As perguntas são: é suposto pagarmos as preocupações dos Srs. do petróleo? E já agora, qual impacto? Pagar adiantado por algo que ainda não aconteceu é o mesmo que pagar o arranjo antes de bater com o carro. Se o Irene provar ser apenas uma tempestade com mau feitio e não um furacão a sério, devolvem-nos o dinheiro?

As más notícias para o Nilton é que ninguém lhe vai devolver dinheiro, pela passagem do furacãozinho. Que foi um valente flop, a que pessoalmente assisti em directo ontem de manhã na CNN. Os repórteres andavam literalmente à procura do furacão, mas não o encontraram... Filmavam as sarjetas, os bordos do rio Hudson, enfim, lá conseguiram mostrar uns charcos de água, umas árvores caídas, e um rio mais elevado no pico da maré alta.

Para mim, era evidente desde o início que o Irene não iria ser grande coisa. Afinal, nem sequer o nosso Instituto de Meteorologia lhe deu ouvidos, ao contrário do Emily de há menos de um mês atrás! Mas como o comandante Obama estava ao controlo, num centro de comando estratégico, não se podia dizer que este era uma tempestade tropical. Aliás, a NOAA foi aguentando o barrete enquanto podia, e ontem pelas 13 horas portuguesas, reafirmava tratar-se de um furacão, quando os ventos das estações meteorológicas nem metade do limite, para ser um furacão, atingiam! Enfim, o Irene é o primeiro furacão a atingir os Estados Unidos em três anos! E a lista dos furacões que já atingiram Nova Iorque no passado parece interminável... Nada pior para os alarmistas, que esperavam uma coisa histórica!

Mas voltando ao Nilton, e ao cómico da situação, deixo-vos quatro vídeos memoráveis. No primeiro, Tucker Barnes na reportagem a partir de Ocean City, nem se dá conta que está metido no meio da m*rda. No segundo, outro repórter é gozado à brava em directo! No terceiro vídeo temos um excerpto da emissão da CNN, e como Anderson Cooper se diverte desancando na ausência do prometido furacão! Mas o melhor é mesmo o quarto, visto no WUWT, e que é uma boa rábula à forma como os Media se aproveitam duns ventozitos da treta...


Actualização: Bónus vídeo número 5: este eu vi em directo e mostra como o Anderson Cooper dá conta de uma meteorologista:



Actualização II: Está confirmado que o Irene nunca foi um furacão quando chegou a solo firme.

domingo, 28 de Agosto de 2011

Seca ... onde sempre existiram secas!

Filipe Duarte Santos é o tretas-mor do Ambiente em Portugal. Sempre que há uma oportunidade, o abutre aparece a reclamar a presa. Desta vez, a propósito da seca no chifre de África, o nosso especialista climático debitou o seguinte conjunto de aldrabices, num obscuro site comuna:

“Há indicações de que as secas naquelas regiões estão a se tornar mais frequentes e mais severas devido às alterações climáticas provocadas por algumas atividades humanas. Esta seca insere-se numa tendência, que se verifica por todo o mundo, de maior intensidade e frequências de secas nas regiões onde sempre existiram secas. Mas agora elas são mais prolongadas e mais severas”, disse.

Onde sempre existiram secas, há hoje secas? Até um parvalhão bêbado conseguia debitar uma conclusão destas! E agora são mais prolongadas porque duram dois anos??? E mais severas??? Bem, um sítio onde existiu seca durante duas décadas (não dois anos...) foi o Sahel.

Conforme já aqui referimos no blog, parece que tem chovido mais para aqueles lados. Um estudo recente, muito aprofundado, dá conta exactamente dos mesmos resultados... Será que esta chuva é também provocada pelas actividades humanas? O principal problema é que os Media continuam a dar cobertura a estes pseudo-cientistas da treta. Que nem sequer chegam aos calcanhares da minha avó, que sabia que não era possível esperar Sol na eira e chuva no nabal. É claro que continuará a haver secas em África, como sempre houve. Hoje no chifre, um dia novamente no Sahel... Tão prolongadas e severas como sempre foram. E tal como no passado, com os mesmos feiticeiros do tempo!

sexta-feira, 26 de Agosto de 2011

O futuro do Aquecimento Global

Um dia depois da confirmação pelo CERN das teorias de Henrik Svensmark, as reacções na Internet continuam sobretudo a aclamar as grandes virtudes do método científico. Por cá, nas pesquisa extensas que já fiz online, os Media portugueses esqueceram a Notícia. ZERO referências... Quase toda a gente anda baralhada! Afinal, o que ficamos a saber é que afinal ainda há discussão sobre o que condiciona o Clima. E que a contribuição do dióxido de carbono é muito menor que a do vapor de água, apesar do IPCC nem sequer reconhecer o contributo do vapor de água!

Mais significativo, os políticos ficarão desnorteados! Como vão eles taxar os raios cósmicos? Ou taxar o Sol, pela forma como condiciona a chegada dos raios cósmicos ao planeta Terra? Os cientistas alarmistas vão chegar à conclusão que a geo-engenharia também não vai levar a lado nenhum, pois afinal os raios cósmicos são fundamentalmente imparáveis! Resta-nos pedir aos ET's para regularem o fluxo de raios cósmicos, talvez com uma torneira cósmica?

Enfim, foram quase duas décadas perdidas na Ciência. Em que nos dedicamos a estoirar dinheiro num problema que basicamente não condicionamos nem podemos controlar! A investir em modelos climáticos computorizados em que nem sequer as variáveis básicas (eg. nuvens) são consideradas! Enfim, agora percebe-se porque é que estes lobbys conseguiram condicionar o projecto CLOUD durante tantos anos, sucessivamente adiado pelo Clero do Aquecimento Global...

quinta-feira, 25 de Agosto de 2011

O próximo Prémio Nobel da Física

Os resultados do CLOUD, do CERN, são arrasadores! Num artigo da Nature, Kirkby, J. et al. confirmaram a hipótese anteriormente avançada por Henrik Svensmark:

For a century, scientists have known that charged particles from space constantly bombard Earth. Known as cosmic rays, the particles are mostly protons blasted out of supernovae. As the protons crash through the planet's atmosphere, they can ionize volatile compounds, causing them to condense into airborne droplets, or aerosols. Clouds might then build up around the droplets.

The number of cosmic rays that reach Earth depends on the Sun. When the Sun is emitting lots of radiation, its magnetic field shields the planet from cosmic rays. During periods of low solar activity, more cosmic rays reach Earth.

Está por isso a tornar-se evidente que as teorias do Al Gore e alarmistas estão a cair como um castelo de cartas. Recentemente já evidenciara o trabalho de Henrik Svensmark aqui e aqui. Para quem ainda não viu, não percam o vídeo do segundo link. E também as referências aos raios cósmicos, aos quais já nos havíamos referido há cerca de dois anos.

Por isso, e para quem segue as agruras do trabalho de Svensmark, que lutou durante mais de uma década, nomeadamente contra os atrasos deliberados neste projecto CLOUD, implementando ele próprio a experiência que agora o CLOUD também demonstra, não há dúvidas que ele merece o próximo Prémio Nobel da Física. Pela forma como aplicou o método científico, e como lutou contra o clero do Aquecimento Global, será provavelmente recordado como um dos mais notáveis cientistas do nosso tempo! E no processo, o indicado seria retirar o Prémio Nobel ao Al Gore, que ficará na história como o Al Capone do Clima...

terça-feira, 23 de Agosto de 2011

O tempo dos Índios

Esta já é velhinha, mas fica aqui para os leitores que ainda não conhecem como os meteorologistas preveêm o tempo:

Estava-se no Outono e os índios de uma reserva americana perguntaram ao novo chefe se o inverno iria ser muito rigoroso ou se, pelo contrário, poderia ser mais suave. Tratando-se de um chefe índio mas da era moderna, ele não conseguia interpretar os sinais que lhe permitissem prever o tempo, no entanto, para não correr muitos riscos, foi dizendo que sim senhor, deveriam estar preparados e cortar a lenha suficiente para aguentar um inverno frio.

Mas como também era um líder prático e preocupado, alguns dias depois teve uma ideia. Dirigiu-se à cabine telefónica pública, ligou para o Serviço Meteorológico Nacional e perguntou:

-“O próximo inverno vai ser frio?”
-”Parece que na realidade este inverno vai ser mesmo frio” respondeu o meteorologista de serviço.

O chefe voltou para o seu povo e mandou que cortassem mais lenha. Uma semana mais tarde, voltou a falar para o Serviço Meteorológico:

-“Vai ser um inverno muito frio?”
-“Sim,” responderam novamente do outro lado, “O inverno vai ser mesmo muito frio”.

Mais uma vez o chefe voltou para o seu povo e mandou que apanhassem toda a lenha que pudessem sem desperdiçar sequer as pequenas cavacas. Duas semanas mais tarde voltou a falar para o Serviço Meteorológico Nacional:

-“Vocês têm a certeza que este inverno vai ser mesmo muito frio?”
-“Absolutamente” respondeu o homem “Vai ser um dos invernos mais frios de sempre.”
-“Como podem ter tanto a certeza?” perguntou o Chefe.
-O meteorologista respondeu “Os índios estão a aprovisionar lenha que parecem uns doidos.”

domingo, 21 de Agosto de 2011

Spongebob e o Aquecimento Global

Um leitor enviou-me um link para mais um daqueles exemplos de endoutrinamento das nossas crianças. O Ministério da Educação dos Estados Unidos andou a distribuir uns livros pelas crianças de Washington... Coisa educativa... Desta vez envolve o Spongebob, uma série de desenhos animados da qual não acho nenhuma piada. Mas a coisa ainda piorou mais com este episódio abaixo, que deu origem ao livro distribuído. Como podem ver, é um autêntico disparate, emitido há já uns anitos... Enfim, ao menos não disseram que o nível do mar iria subir, que era o mais natural que dissessem!

sexta-feira, 19 de Agosto de 2011

Eólica bruta líquida

Já várias vezes tinha tropeçado em referências a energia consumida nos parques eólicos, mas até hoje tinha sido incapaz de encontrar qualquer referência tangível ao assunto. Encontrei umas referências antigas, no Caderno de Sustentabilidade, do Relatório e Contas de 2005, da EDP.

Na página 70 (71 do PDF) do Caderno, podemos ver as produções brutas e líquidas de electricidade, para 10 parques eólicos. Os valores, que reproduzimos na tabela abaixo, evidenciam diferenças entre os 2% e 3% entre a produção líquida e bruta, com dois dos valores a sairem significativamente fora desse intervalo, devendo destacar-se o de Cabeço da Rainha, com quase 6%. Ainda não consegui uma interpretação plena destes dados, mas a verdade é que a EDP deixou de os publicar...

Produção Líquida (MWh)Produção Bruta (MWh)Rácio
239212442197.95
278212857397.37
451964807394.02
285322920097.71
452524637597.58
593465967799.45
170081747597.33
290952989497.33
314683223497.62
405174128198.15

quinta-feira, 18 de Agosto de 2011

Catenárias para auto-estradas

No blog Luz ligada, chega-nos um exemplo de como a investigação aplicada se pode sobrepor à imposição obrigatória de ideias loucas. A ideia de ter as auto-estradas com algum tipo de catenárias eléctricas parece interessante, sobretudo se pensarmos que raramente se põe os pés para aqueles lados. A ideia parece-me ainda mais interessante na associação que é feita ao transporte de mercadorias, podendo passar a ser uma ideia alternativa ao transporte ferroviário.

É claro que isto é mais uma machadada na forma de pensar dos Leafistas. Que pensam que isto de carregar baterias para todo o lado, irá a algum lado, algum dia. Quando se derem conta, os seus veículos eléctricos nem como usados serão tratados. Mas é interessante ver que eles começam a dar atenção a este anel de blogs. Cada vez em maior número, e mais assertivos...

quarta-feira, 17 de Agosto de 2011

O animal feroz há 10 anos atrás

Um leitor enviou-me um link para um post do Aventar de há mais de um mês atrás. Ele versa um artigo do Público, de há 10 anos atrás, sobre um tal Ministro do Ambiente, José Sócrates. Embora ele felizmente já tenha partido, depois de deixar o País falido, é importante recordarmos com atenção todos os seus disparates passados. Para que não se repitam! Tenho a certeza que o animal feroz voltará a ensombrar-nos, a menos que seja levado a julgamento, como foi o caso do primeiro-ministro islandês, Geir Haarde. Nesse sentido, é importante ir documentando as suas proezas passadas, para assim protegermos as nossas gerações futuras!

segunda-feira, 15 de Agosto de 2011

T. Boone Pickens

Um leitor interessado enviou-me um link da Energy Tribune, que analisa como T. Boone Pickens fez uma volta de 180º no seu conceito de energia limpa. A ele já nos havíamos referido no passado, por causa do seu mega-projecto eólico. Que agora sabemos estar à venda! E deve andar a tentar impingi-las à EDPR, mas esta não tem mãozinhas para tal brinquedo! Entretanto, o Pickens agora dedicou-se ao gás natural...

O artigo faz um resumo dos obstáculos que a energia eólica enfrenta. Do cada vez maior número de detractores e contestatários. Os relatos dos problemas na saúde humana são cada vez mais comuns, como este novo estudo refere. Mais estão disponíveis no link da Energy Tribune.

Enfim, preparem-se para a segunda fase da Energia Eólica: o seu desmantelamento...

domingo, 14 de Agosto de 2011

Menos comida e mais combustível

Um leitor interessado enviou-me um link para uma notícia que nos dá conta que nos Estados Unidos, pela primeira vez este ano, uma maior quantidade da produção anual de milho será destinada à produção de etanol, do que aquela que é utilizada na alimentação! Segundo os dados do Departamento da Agricultura, serão utilizados na produção de etanol 5.05 mil milhões de bushels (177 milhões de m3 de milho...), para alimentarem os carros lá do sítio, o que se traduzirá obviamente em menos alimentação para os animais e humanos, e logo preços mais elevados! O boneco evidencia também como esta solução é extremamente benéfica para o ambiente...

sexta-feira, 12 de Agosto de 2011

Aumento do IVA na electricidade

Tal como estava previsto no acordo com a Troika, a energia eléctrica vai aumentar, já em Outubro, passando o IVA dos 6% actuais para 23%. Enfim, uma medida necessária, dado o enorme défice que temos na área energética, e que deriva essencialmente da aposta nas renováveis do Pinóquio Sócrates. Mas cortar, cortar nas despesas das renováveis, isso nem pensar!

Como Pinto de Sá observou há uns meses, a convergência com os IVAs europeus evidenciará que a nossa electricidade é das mais caras da Europa, conforme a imagem dele abaixo claramente mostra. Ou porque pensam que os prémios do Mexia são tão grandes? Mas nem tudo é mau! Também os automóveis eléctricos vão passar a ser menos competitivos. E até as associações ambientalistas devemestão a regozijar, pois assim o enfoque será maior na poupança...

quarta-feira, 10 de Agosto de 2011

CRUTEM3 e Portugal

Foram disponibilizados, com grande fanfarronice, os dados da base de dados CRUTEM3. Esta base de dados é aquela que é mantida pelos cientistas do Climategate, e facilmente agora se percebe a "junk science" que eles têm vindo a praticar! Na tabela seguinte, podemos começar por ver como os dados da realidade portuguesa estão actualizados:

EstaçãoAno InícioAno Fim
085030/Corvo19611970
085060/Horta19202008
085130/Ponta Delgada18652008
085150/Santa Maria19612005
085220/Funchal19002011
085240/Porto Santo19402011
085300/Cabo Carvoeiro19611990
085350/Lisboa18642011
085377/Sintra Granja19391960
085380/Sagres19611970
085430/Viana do Castelo19611990
085450/Porto19611980
085030/Coimbra18662002
085540/Faro19612008
085570/Évora19612000
085620/Beja19612000
085660/Vila Real19611990
085680/Penhas Douradas19611990
085710/Portalegre19612000
085750/Bragança19612011
085030/Serro do Pilar19011930

Da tabela facilmente se observa que as temperaturas que contribuem para o Aquecimento Global actual, são apenas as do Funchal, Porto Santo, Lisboa e Bragança. O resto do País não conta, e contou até pouco no passado! Algumas das estações, ainda por cima, não registam valores válidos durante períodos intermédios significativos...

Resumindo, extrapolando a realidade portuguesa, é fácil perceber como isto das temperaturas globais são uma fantochada descomunal!!! Mas isto é apenas um dos vectores da fraude. Voltaremos com mais...

segunda-feira, 8 de Agosto de 2011

O futuro do hálito de vaca

A perseguição das vaquinhas é muito típica dos alarmistas do Aquecimento Global. Tudo porque elas produzem um pouquinho de metano, que para esses alarmistas é ainda pior que o maldito CO2. E este alarmismo continua a ser reciclado, como o prova a reportagem abaixo da Euronews, emitida a semana passada. Qual é o segredo? É que estes cientistas andam a estoirar uns milhões de libras, há vários anos, a ver como se reduz as emissões de metano, com alho! Como todos nós sabemos, e se sabe desde a Idade Média, o alho tem potentes propriedades antimicrobianas, mas estes cientistas andam obviamente a re-inventar a roda!

Para mim, não admira que os micróbios lá das vaquinhas morram quase todos... O que não quero é imaginar como será o hálito e o ambiente lá dos estábulos! Enfim, espero pelo menos que não andem a alimentar o gado com alho chinês... E que bebam lá o leite já com o sabor a alho, porque se se sabe que o leite é um dos melhores segredos contra o hálito do alho, como se resolveria o problema depois?

sábado, 6 de Agosto de 2011

As tretas do Álvaro

Terminei hoje a leitura do Portugal na Hora da Verdade, do actual Ministro da Economia, Álvaro. O livro parece dar-nos uma ideia clara do fosso em que estamos mergulhados, e até concordo com a análise que o Álvaro fazia aqui há uns meses atrás, sobre as renováveis (todos os realces da minha responsabilidade):

É verdade que as energias renováveis ainda são relativamente caras em relação a outras fontes de energia. Ainda assim, a aposta nelas deve continuar, desde que se satisfaçam duas condições. Primeiro, os subsídios e os apoios extraordinários que têm vindo a ser concedidos às eléctricas nacionais têm de ser gradualmente retirados. Segundo, a estratégia de incentivo às renováveis não pode inibir uma maior concorrência no sector. Se estas duas condições não estiverem presentes, não valerá a pena continuar a apoiar as renováveis, pois a factura do apoio será sempre demasiado cara. Por outro lado, se os subsídios e os apoios extraordinário forem retirados e se uma maior concorrência no sector da energia for garantido, penso que teremos toda a vantagem em continuar a investir nele.

O problema começa quando começamos a ler outras tiradas. A seguinte do Álvaro é verdadeiramente desprezível. Mas tem uma virtude: evidenciar que os impostos de carbono não tem nada a ver com a salvação do clima:

Outra possibilidade para melhorarmos a competitividade das nossas exportações seria utilizar a nossa fiscalidade para conseguirmos a tão almejada redução dos custos unitários do trabalho. Como? Reduzindo as contribuições fiscais e sociais afectas ao factor trabalho em contrapartida de um aumento dos impostos sobre o consumo e/ou da criação de um imposto verde (um imposto sobre as emissões de carbono).

Curiosamente, também hoje, um leitor alertou-me para uma entrevista do Álvaro ao Financial Times:

Portugal has sought to reassure wind energy producers that measures to cut costs and subsidies, required under the country’s €78bn financial rescue agreement, will not affect the value of their assets or financing agreements.

“We will not break any contracts” Álvaro Santos Pereira, economy minister, told the Financial Times. “The rule of law is sacred to us.”

He was responding to the concerns of some wind farm owners that plans to reduce the cost of subsidising green energy production could affect the terms of project finance contracts totalling about €3bn.

Enfim, mais um troca-tintas! Talvez o Álvaro queira desconsiderar o enquadramento legal do subsídio de Natal. Pode-se cortar nesse, mas não nas vacas sagradas associadas às renováveis. Assim, não vamos lá!

sexta-feira, 5 de Agosto de 2011

Those deadly cute polar bears

When I first read this sad news, I could only remember about the Leaf commercial below, and their cute and sweet polar bear. The AGW sickness has figured polar bears as those sweet big animals, that are being affected by global warming... Well, they are not that friendly!

Someone should have said that to Horatio Chapple, who died from a polar bear attack, when on an expedition with the British Schools Exploring Society, in Svalbard. The expedition, which in 2008 was named "Techniques to Investigate Climate Change in Svalbard", really featured the famous polar bear (both references only available at the moment through Google Cache):

Since discovery in 1596, Svalbard has been an epic destination for diverse groups such as whalers, hunters, miners, researchers and polar explorers, many of whom began their race to the North Pole form here. More than half of the archipelago is covered by glaciers and although the vegetation is sparse allowing for fascinating geological study, there are over 150 species of plant and numerous birds and mammals including the walrus, beluga whale and famous polar bear.

Svalbard is not only an exciting destination for adventure and exploration but also of tremendous importance in the gathering of data that has historically contributed, and continues to contribute, to issues such as climate change, ocean currents, glacial and geological processes and even the shape of the world!

Four other people were also injured, before the bear was killed. They have had the time of their lives, for £2,900 each. They will not see the polar bear as the Nissan Leaf's marketeers:



More information was given by the young explorers, in the expedition blog. On this July 27th entry, written by Marcus Wright, they were eager for the close encounter:

After arriving in Longyearbyen to see our first midnight sun we were all so relived to see our tents set up and waiting. I think we must of all dreamt of Polar bears because the next day was eagerly waiting for the ice flows to break up so we could move on to base camp. There was a P.bear sighting across the fjord about a mile away. Unfortunately a Westerly wind and freak climatic events have led to an unprecedented amount of ice in the fjord meaning we are marooned here for the time being. Despite this everyone was in good spirits because we encountered another P.bear floating on the ice, this time we were lucky enough to borrow an kind Norwegian guides telescope to see it properly. After that experience I can say for sure that everyone dreamt of P.bears that night. The ice flows are still dominating the fjord and our movements. We understand the depression causing the Westerly wind may not move off until Sunday. In light of this we have planned to strike camp and re locate to a more remote part of the island – should we find ourselves un able to get the boats to base camp again. During our time here we have explored Longyearbyen’s surrounding area. Although we are all itching to move to base camp, many including myself are thinking of home and the people awaiting our return. We are all thinking about you and want you to know everyone is enjoying themselves. Five weeks will fly by out here.

I'm sure the AGW crowd will not read this blog entry and will blame the lack of ice around Svalbard as the reason for the attack. They were also pretty confident they would tame those cute polar bears. From another entry in the blog:

The Fires spent a lot of time learning how they could make their lives easier once in the Arctic, the teams learnt how to work their stoves, put up their tents and were even trained in polar bear defence which is a requirement if spending time in Svalbard (not that a BSES Expedition has needed it!)

After all, they already had past experiences. See how they dealed with the issue in 2006. You can just see how these fires feel about polar bears:

Vento e frio de Julho

Creio que todos os que vivem em Portugal se deram conta do tempo miserável que passamos em Julho... No entanto, o Instituto de Meteorologia, na sua notícia de hoje, na sua mentalidade alarmista conhecida, destacou que a temperatura máxima do ar superou os valores normais nos três primeiros dias do mês e a partir do dia 25. Não há pachorra para a manutenção de um Instituição, paga pelos nossos impostos, cuja única motivação parece ser a do alarmismo climático, como aliás o atesta a referência à tempestade tropical Emily, de meados da semana, que diz absolutamente ZERO aos contribuintes e habitantes de Portugal!

É claro que é inconveniente dizer que Julho foi o mais frio dos últimos 27 anos. Quem vem de fora, queixou-se do frio. E obviamente quem depende do turismo não gostou mesmo nada de mais um episódio do Aquecimento Global, como está expresso no vídeo abaixo...

E como se tudo isso não fosse suficiente, o vento soprou com mais força do que habitual... Para além do azar dos banhistas, também é azar para os consumidores e contribuintes. Porque todos sabemos que quanta mais energia eólica se produz, mais pobre ficamos! E em Julho, a produção de energia eólica subiu 51% relativamente a Julho do ano passado... Enquanto o consumo de electricidade diminuiu 5.3%, que deve ser mais ou menos o que a Cristas poupou, pelo facto de agora já não haver gravatas!

quarta-feira, 3 de Agosto de 2011

Conta sem explicação

Os jornalistas são um bom exemplo dos portugueses que foram enganados pelo anterior Governo, e pelo ex-Primeiro Ministro em particular. Por isso, têm uma enorme dificuldade em digerir o que ontem foi dito no parlamento. Deve ser surpreendente verificar que o défice tarifário pode atingir o equivalente a três submarinos, em três anos. Mas como eles estão todos atordoados, poucos associam isto ainda à fraude das renováveis. Mas alguns começam a acordar, como o Correio da Manhã, que referencia na edição de hoje o tema dos aumentos em pelo menos três locais. Na contra-capa, o director-adjunto, nada mais nada menos Armando Esteves Pereira, é outro dos atordoados, ao ponto de ter escrito esta pérola (realces da minha responsabilidade):

Na actual conta da luz, cerca de 40% da factura são custos políticos. Nesta lista, inclui se a subsidiação às energias renováveis, um dos negócios mais chorudos da última década em Portugal.
Era de esperar que a liberalização e a maior transparência no negócio exigidas pela troika se reflectissem em alguma poupança para os consumidores . Mas estas expectativas não se aplicam ao estranho mercado português, onde a extinção de tarifas reguladas e o aumento da suposta concorrência deverá levar a uma subida dos preços, acima de 10%. As 700 mil famílias mais pobres vão ser subsidiadas, com uma média de 6 euros. Uma pequena esmola numa factura que esmaga milhões de famílias.

Depois de lerem o texto uma vez, tem que lê-lo uma segunda vez, para perceberem a atordoação do director-adjunto. É que estas pessoas, e a Sociedade em geral, levaram uma lavagem tão grande aos miolos, que pensam que isto das energias renováveis é qualquer coisa barata e sustentável. Agora que estão a começar a acordar, paguem! E quando vierem as facturas no futuro, atordoados vão continuar... Porque há que pagar toda esta Fraude com juros!

Certificar o mau tempo

Um leitor enviou-me um apontador para uma notícia do Sol, de há cerca de um mês, sobre quanto é que custa certificar o mau tempo em Portugal. Todos aqueles que já tiveram que lidar com as consequências do mau tempo, e tiveram que activar um seguro, sabem que os meandros da burocracia envolvem o Instituto de Meteorologia.

E ainda que a existência de uma taxa moderadora deva ser um facto, a verdade é que o problema não está no custo. Está no tempo que se perde, nos recursos afectos pelo Instituto de Meteorologia a atestar coisas que toda a gente sabe, como foi manifestamente o caso da queda de saraiva em Lisboa, a 29 de Abril de 2011. Da leitura do artigo do Sol se depreende que muito há realmente a fazer! Mas como as certidões representam quase 50% do total de pedidos recebidos pelo IM, há pouco incentivo para acabar com elas...

segunda-feira, 1 de Agosto de 2011

Top Gear e veículos eléctricos

Mais um gozo à la Top Gear! Outra vez sobre carros eléctricos... A jornalista Sara Mota, do Diário Económico, que fez recentemente um artigo medíocre sobre carros eléctricos devia ver este episódio, cem vezes, de castigo! Não preciso de dizer mais nada, porque como é de costume, a equipa do Top Gear não deixa nada por dizer!

Quer dizer, podem ver também, no segundo vídeo, a versão "making of" de um habitante de Lincoln, onde os carros eléctricos do Top Gear ficaram sem energia. A melhor parte é sem dúvida os múltiplos empurrões manuais...

Como não há duas sem três, parece que os actuais donos dos Nissan Leaf vão ter uma pequena surpresa quando tiverem que trocar de baterias. É que vão custar mais do dobro do que estão à espera, talvez aí umas 19 mil libras por Leaf. É bem feita aos artistas que andam a alimentar esta fraude!