sexta-feira, 31 de Dezembro de 2010

As agruras do Capuchinho Vermelho da Rua do Século

O jornal i adaptou alguns contos populares para "prendar" os ministros do nosso desgoverno. No meio da ficção contam-se algumas verdades... No caso da ministra do Ambiente, Dulce Pássaro, saiu-lhe o capuchinho (realces da minha responsabilidade):

O Capuchinho Vermelho ia à floresta visitar a avozinha para lhe oferecer delícias de Natal. Mal saiu da sua casa, ali na Rua do Século, perdeu-se. Não sabia de quem eram os terrenos, que estavam cheios de lixo, e ficou logo toda retalhada por silvas e garrafas de óleo. Para piorar as coisas, um camionista que passava por perto lançou uma beata a arder pela janela e tudo à sua volta pegou fogo. Capuchinho Vermelho ficou aflita mas não desistiu. Com o dinheiro do fundo florestal permanente, que descobriu embrulhado na cesta (prenda de Natal do Ministério dos Pequenos e Médios Latifúndios), alugou um Canadair a Espanha (com os contactos privilegiados da Administração Interna) e lá foi cantarolando e lançando jactos de água sobre pinheiros, eucaliptos e pensionistas voluntários.
Quando por fim chegou a casa da avozinha, estava tudo silencioso. Tinha entrado em terrenos privados e ninguém lá punha os pés há pelos menos três gerações. Bateu à porta com energia e anunciou: "Avozinha, sou eu, o Capuchinho Vermelho." "Entra filha", ouviu-se no quarto. Capuchinho estranhou: não era voz trémula da avó. Seria um lobo? Não, que os lobos estão em vias de extinção. Um lince? Também não: morreram todos doentes na fronteira. Quando tudo estava a encaminhar-se para o pior não aparece um, mas milhares de caçadores com licenças de caça acabadinhas de renovar e uma excursão de ambientalistas em BTT. Tanto aparato no meio da floresta salvou o Capuchinho, que conseguiu escapulir-se sem ninguém dar por nada. Como já é hábito: ninguém dá por este Capuchinho.

quinta-feira, 30 de Dezembro de 2010

Aposta entre Simmons e Tierney

Matthew Simmons é o autor do livro "Twilight in the Desert", que em 2005 passava a mensagem catastrofista do esgotamento do petróleo... John Tierney é um colunista do New York Times, mas daqueles à antiga, que não engole grandes baboseiras... Tierney observou estupefacto os comentários de Simmons numa entrevista ao New York Times, "The Breaking Point". Depois deu-lhe um toque, e perguntou-lhe se acreditava no que dizia, ao ponto de fazer uma aposta. Dois dias depois, a 23 de Agosto de 2005, edita uma notícia com os termos da aposta:

Mr. Simmons said he favored a simpler wager, based on his expectation that the price of oil, now about $65 per barrel, would more than triple during the next five years. He said he'd bet that the price in 2010, when adjusted for inflation so it's stated in 2005 dollars, would be at least $200 per barrel.

Remembering a tip from Julian, I suggested that we use the average price for the whole year of 2010 instead of the price on any particular date - that way, neither of us would be vulnerable to a sudden short-term swing as the market reacted to some unexpected news. Mr. Simmons agreed, and we sealed the deal by e-mail.

Como qualquer um que siga o mercado do petróleo, é fácil perceber que Tierney vai seguir as pegadas de Julian Simon. Matthew Simmons infelizmente morreu em Agosto, provavelmente de desgosto, mas na semana passada, os seus amigos concordaram que Tierney é o vencedor da aposta.

Por isso, é com surpresa que assisto a saltos para o abismo de pessoas que não fazem a menor ideia do que se passa. Como Miguel Madeira, que queria fazer uma aposta sobre o Aquecimento Global... Ele na altura não conhecia o Ecotretas, apenas os Insurgentes... Foi por estes últimos que tomei nota da loucura do Madeira, que num cenário de "La Niña" e num texto de miúdo do segundo ciclo, tenta arranjar alguém para apostar até Maio de 2011!!! E isto com base nos dados "massajados" do GISS da NASA??? Não tardaram a surgir comentários a desancar no coitado do Miguel, tal a "cretinice" da aposta...

Ontem Miguel contra-atacou, argumentando que a sua aposta se inspirava na aposta Ehrlich-Simon. Será que ele não se sabe enterrar ainda mais, ou pensaria ele que assim vingaria o curriculum desastroso das previsões de Ehrlich? Talvez ele agora descubra a aposta Tierney-Simmons, e ganhe juízo!

quarta-feira, 29 de Dezembro de 2010

Roubalheira

Há pouco mais de dois anos, na semana de 11 de Julho de 2008, foram observados os preços mais elevados da Gasolina 95, em Portugal: 1.525 euros/litro. Nessa altura, o preço do barril do petróleo atingiu o seu valor mais elevado, ultrapassando os 140 dólares. A um câmbio de 0.63 dólares/euro, o valor do barril era de cerca de 88.2 euros por barril.

Hoje, o preço do barril está próximo dos 95 dólares por barril. O câmbio está agora próximo dos 0.76 dólares/euro, o que significa um preço de cerca de 72.2 euros por barril. Ou seja, o barril de petróleo está quase 20% mais barato que no seu pico.

Porque está então a gasolina praticamente ao valor de Julho de 2008? Porque irá ultrapassar esse marco já no próximo fim de semana? Simplemente por causa da roubalheira, das taxas e taxinhas, a todos os níveis! E no caso do gasóleo, também por via da Religião Verde, que conforme o artigo anterior, "se prende com o fim da isenção fiscal parcial de imposto sobre produtos petrolíferos para o biocombustível incorporado no gasóleo rodoviário". Porque nesta terrinha continuamos a adorar esta Religião, e mesmo que o profeta-mor do Aquecimento Global, Al Gore, já tenha dito que os bio-combustíveis foram um erro (ele só admite, para já, os de primeira geração), o nosso desgoverno lá os impõe à mesma!

Por isso, atestem, paguem e não barafustem. Antes do fim do ano, claro!

Pagar para ver

Um contribuinte assíduo do Ecotretas enviou-me mais um link, para outra notícia esclarecedora a sair nos Media. Desta vez, no Jornal de Negócios, Paulo Soares de Pinho, que já referenciamos aqui há mais de um ano, dá-nos uma visão de quem está por dentro do sector, dado ele ter sido administrador da REN. Vejamos alguns exemplos retirados do seu artigo, com destaques da minha responsabilidade:

Pela importância dos mesmos, equivalentes a cinco submarinos num só ano, vale a pena analisar o assunto. Tais custos, designados como "Custos de Interesse Económico Geral" ascendem em 2011 a 2,4 mil milhões de euros e serão pagos pelos consumidores através das "tarifas de acesso às redes", ou seja, terão de ser suportados independentemente do comercializador de energia com quem tenham contrato.

Outros custos estão associados aos ainda mais controversos CMEC's (Custos de Manutenção do Equilíbrio Contratual), em cuja negociação em determinada altura tive pessoalmente de me envolver. Em 2005, a EDP prescindiu dos respectivos CAE em nome de uma participação num mercado livre no contexto do MIBEL, mantendo assegurada a rendibilidade que os CAE lhe garantiam. Mesmo sem produzir. Entre esses CMEC's incluem-se as famosas centrais do Carregado (fuel) e de Setúbal. Na prática, estas duas centrais já quase nada produzem. Com a entrada em linha da nova central da EDP na Figueira, aquelas tornaram-se redundantes. Mas, graças aos CMEC's, os consumidores pagam pelo privilégio de as poder ver, já que energia de lá nada sai.

Mas o grosso da fatia dos "Custos de Interesse Económico Geral" está associado ao "sobrecusto das renováveis", ou seja, à diferença entre as tarifas pagas a esses produtores e o custo da energia no mercado. O total previsto para 2011 é de 1,2 mil milhões de euros.

Tornou-se cliché dizer que Portugal é "um caso de sucesso nas energias renováveis". Tornou-se tabu discutir o porquê do excessivo sobrecusto.

Num momento de dificuldades para a nossa economia, o excesso de custos na tarifa eléctrica constitui mais um factor de penalização dos consumidores. Mas também constitui um importante factor de perda de competitividade do nosso sector exportador, de quem tanto dependemos para sair da situação actual. Numa altura que se revogam todos os dias direitos adquiridos dos cidadãos talvez tenha chegado a hora de discutir os abusivos direitos adquiridos de algumas empresas deste sector.

terça-feira, 28 de Dezembro de 2010

Tempestade histórica na costa leste americana

A costa leste americana foi afectada por uma tempestade histórica. A notícia não será grande novidade para muitos leitores, que até terão ouvido falar de mais cancelamentos da TAP. A tempestade foi a maior de Dezembro em Nova Iorque nas últimas 6 décadas, e a quinta maior de sempre! A relação está no blog amigo amazing snow, onde poderão encontrar imagens muito interessantes, como a que coloco ao lado.

Entretanto, no primeiro vídeo abaixo, e noutro local da costa leste, alguém se lembrou de condensar a tempestade num curto filme, de duração inferior a um minuto. No segundo video, assistam a como os serviços da neve de Nova Iorque não estão habituados a estas coisas e literalmente destroem um carro ao tentar libertar um limpa-neves encalhado!

Mar a congelar

Os sinais do Inverno rigoroso chegam de todo o lado. Do norte da Irlanda podemos observar a foto ao lado, que dá conta da acumulação de gelo na costa. A foto foi retirada deste artigo de um jornal irlandês, onde se dá conta da crise meteorológica deste Inverno. Outros problemas substanciais estão a ocorrer, para além do congelamento do mar, incluindo a intransitabilidade das estradas, o fecho de centenas de escolas, o adiar de exames, e o racionar do sal. As reservas de sal estão tão baixas que estão a ser misturadas em proporções de um terço de sal, um terço de areia, e um terço de saibro. Tudo isto porque o frio atingiu alguns dos valores mais baixos de que há registo, nomeadamente em Burt, Ballybofey, Killygordan e Gaoth Dobhair, com temperaturas de -10ºC, -10ºC, -8ºC e -8ºC, respectivamente.

Entretanto, do editor de para um mundo livre recebi igualmente um link interessante para a acumluação de gelo na costa, só que desta vez, do outro lado do Atlântico. Na costa leste do Canadá, é possível observar, no vídeo abaixo, como as ondas vão depositando gelo na margem, até que as próprias ondas começam a congelar! Mais a norte, entre a Gronelândia e a Islândia, está-se a formar uma ponte de neve. Um dia destes voltam a aparecer os ursos polares, para fazer umas visitas, tal como o fizeram no passado recente.

segunda-feira, 27 de Dezembro de 2010

The wonder bear

BBC will air December 29th, at 8PM, "Polar Bear - Spy On The Ice". They did an interesting job finding out some of their personal secrets. In the end, this will go down as a high-tech bear destruction. They are known to be highly protective, and they do value their privacy.

Director John Downer managed to disguise some remote-controlled spy cameras, and did get some very interesting images. Check the following video on how a bear stalks a seal:



Or check out how they flirt with each other:



These images were possible with four special cameras: Blizzard Cam, Drift Cam, Iceberg Cam and Snowball Cam. Check out how the bears discovered them in the first place:



In the middle of their meals, they also got some entertainment. They must do some exercise to keep fit:



In the end, they got to destroy two of the cameras, worth £130000. Might be the reason why they are not endangered after all. Life will not be the same in the Arctic again...

Da Rússia com amor...

Um leitor fez-me chegar uma referência interessante aos problemas do tempo que se vivem em Moscovo. No blog de José Milhazes, de onde retirei a foto ao lado, podemos encontrar uma visão em Português, do que se passa na capital da Rússia. Cairam 22 milímetros de chuva glacial, que se formou devido à diferença entre a temperaturas na atmosfera (a quilómetro e meio de altitude) e à superfície da Terra. A chuva glacial obrigou mesmo ao fecho de um dos aeroportos de Moscovo, mais um, muito devido ao corte de energia eléctrica, derivado da ruptura dos cabos de alta tensão, que não aguentaram o peso do gelo! Mais de 100 mil pessoas foram igualmente afectadas, tendo aumentado significativamente a quantidade de traumatismos, embora não se tenham verificado problemas de trânsito, como se verificou noutros países da Europa, ainda que tenham sido retirados 270000 m3 de neve das ruas de Moscovo.

Entretanto, numa de Guerra Fria, os Estados Unidos também tiveram direito à sua quota parte de neve... Na cidade de Atlanta, sede do NCDC, o centro de dados climáticos dos Estados Unidos, bateu-se o recorde de neve do dia. Em Atlanta, ligeiramente mais a sul, foi o Natal com mais neve desde 1882! Mais a norte a tempestade de neve é significativa, com os impactos habituais para quem tem andado a sonhar apenas com o Aquecimento Global...

domingo, 26 de Dezembro de 2010

O mercúrio das lâmpadas

Já há muito tempo que alertamos aqui no blog para o problema das lâmpadas economizadoras, e em particular o problema do mercúrio. Agora, políticos alemães querem também banir estas lâmpadas, depois de terem estado entretidos a banir as lâmpadas incandescentes... Só agora descobriram que quando uma lâmpada se quebra, a contaminação por mercúrio é 20 vezes superior ao limite permitido!

Herbert Reul é um desses políticos, mas também Silvana Koch-Mehrin, Vice Presidente do Parlamente Europeu, está preocupada como mãe! Mas a Comissão Europeia faz ouvidos moucos... E pior que nós estão os trabalhadores chineses, os grandes fabricantes deste tipo de lâmpadas, que estão a ser contaminados de forma muito significativa nas suas fábricas... É também por estas razões que a poluição por mercúrio, na China, é tão significativa!

sábado, 25 de Dezembro de 2010

Carros explosivos

Na senda dos posts anteriores sobre carros eléctricos, abordo aqui mais um problema substancial: o do perigo da explosão das baterias. Já havia previsto aqui o problema, mas não fazia ideia de que ia ter exemplos para contar tão depressa!

Um dos primeiros exemplos vem da Tesla, de que já falamos aqui várias vezes no passado. Numa nota não distribuída à imprensa, constata-se que 40% dos seus carros podem pegar fogo espontaneamente!

Depois, há o caso da ex-estrela rock Neil Young. Que pegou num belíssimo Lincoln Continental de 1959, e o resolveu tornar mais "verde", baptizando-o de LincVolt. Enfiou-lhe umas baterias e fez mesmo um documentário. Mas, há pouco mais de um mês, o LincVolt pegou fogo, bem como ao armazém onde estava a "carregar". O carro ficou no estado que uma imagem posterior documenta, causando estragos em equipamentos armazenados estimados em 850 mil dólares, e mais 250 mil no armazém. O que valeu ao Young é que os carros dos bombeiros ainda não estavam convertidos, permitindo poupar 70% do armazém das chamas...

Mais casos continuarão a ser registados. Como o de condutor que estava a carregar o seu carro eléctrico, num ferry com 651 pessoas, quando o incêndio começou. Ou então de um modelo estilo papa-reformas, com tendências para querer aquecer demais. Há também a experiência verde-negra da Veronica Webb, uma modelo, que ficou sem o carro, e sem a sua casa, quando o carro eléctrico carregava... Mas não pensem que é só nas garagens: até nas ruas eles são um perigo!

sexta-feira, 24 de Dezembro de 2010

Feliz Natal

Nesta época de Natal, o Ecotretas deseja a todos um Santo e Feliz Natal! Espero tudo de bom e que nade vos falte. Espero que não liguem às propostas de minimização desta data, como aquela que foi dada pela Quercus. Na verdade, é uma reciclagem das propostas que já referi aqui há 3 anos atrás... São tão poucas as diferenças que é preciso uma análise atenta! Mas o que eles querem sei eu, como fica evidente numa das suas sugestões "para um Natal ambientalmente mais correcto, mas ao mesmo tempo mais económico, o que permitirá também começar o novo ano com menores preocupações financeiras":

Ofereça a inscrição em associações cívicas (como por exemplo associações de defesa do ambiente) (...)

quinta-feira, 23 de Dezembro de 2010

O frio é do calor?

O leitor António Pinto enviou-me uma notícia que anda por aí na Internet, com a explicação hipócrita de que os "Invernos estão mais frios porque faz mais calor"... A estupidez começou com o jornalista George Monbiot, na passada segunda-feira. Com um Inverno como deve ser em Inglaterra, este tretas já conhecido do blog, sentiu-se na obrigação de professar a fé aos seus discípulos! Mas não foi o único... Na Alemanha, numa das estações meteorológicas mais estáveis do planeta, foram batidos os recordes de neve, da primeira metade de Dezembro, desde que há dados, desde 1893! Por isso, os tretas lá do síto também tiveram que professar a fé do Aquecimento Global...

Por cá ainda estamos longe desses recordes. Mas, a sugestão do mesmo leitor, deixo aqui um link para o site do meteopt.com, donde retirei a foto acima, e onde podem observar algumas imagens que reflectem nevões de meados do Século XX, em Lisboa. Não deixem de reparar nalguns pormenores que aqui já abordamos no passado, como o caso de Monsanto, por exemplo. Depois, leiam outra vez o artigo do Diário Digital, e pensem como estaria a temperatura do mar, nessa altura!

Actualização: Na Alemanha, terra dos Verdes por excelência, a desorientação com o frio e a neve parece ser total! Não deixem de ver, no blog de P. Gosselin, as últimas confusões entre o aquecimento e o arrefecimento...

quarta-feira, 22 de Dezembro de 2010

Vendedor de automóveis

Que o nosso Primeiro Ministro anda feito vendedor, já ninguém tem dúvidas. Já o Henrique Neto dizia que "este gajo é um aldrabão, é um vendedor de automóveis". E foi isso, mais uma vez, o que o nosso Primeiro Ministro foi hoje. E porque todos, ou quase todos, os Portugueses estão cheios deste vendedor, inundaram-me a caixa de correio com múltiplas variantes, que explicam como isto dos carros eléctricos é uma gigantesca fraude para o nosso País.

Um dos leitores enviou-me um artigo da Auto Hoje, de 21 de Outubro, visível na imagem ao lado (com um clique torna-se legível). Imediatamente se destaca a matrícula espanhola do carro de testes, o que evidencia realmente como Portugal está na liderança, neste domínio. O jornalista depois é pormenorizado: o Leaf consegue andar 114.8 Km. Mas ele anota que depois de percorridos apenas 6.8 quilómetros, a autonomia tinha descido dos 160 Km para os 115 Km! E quando o jornalista se mete na A5 a caminho de Cascais, o carro é uma lesma e a autonomia desce para 47Km... No regresso pela Marginal, a bateria começou a ficar fraca... Pouco depois entra em funcionamento o modo tartaruga...

Depois, prometeu-se uma fábrica de baterias para Aveiro, para dar emprego a umas duas centenas de pessoas. Que começaria a ser construída até ontem (o Outono acabou), mas de cujo lançamento não ouvi falar. Seria muitíssimo mais interessante ver o Primeiro ministro a lançar mais uma empresa, do que a receber as chaves de um popó eléctrico. Mas parece que não fui o único a dar por ela, e um deputado do PSD até descobriu que serão provavelmente as empresas LG Chem e NEC a fabricar tais baterias... E parece que tem razão, pois eles andam-se a gabar desse grande negócio há já uns meses!

A maioria dos emails referencia a barbaridade da afirmação de José Sócrates, de que os carros eléctricos "não tem emissões". Ai se ele soubesse! Por tudo isto, nunca estive tão alinhado com as palavras do Henrique Neto:

Não tenho nada contra José Sócrates. Se ele se limitasse a ser um vendedor de automóveis. Mas ele é primeiro-ministro e está a dar cabo do meu país. Não é o único, mas é o mais importante de todos.

Popós da treta

Um leitor atento enviou-me ontem a novidade, de que vão chegar hoje uns popós eléctricos! O Sócrates vai ficar todo inchado, e terá talvez que arranjar mais uns motoristas especializados neste domínio... Enquanto quase todos louvam as suas vantagens, os poucos informados divertem-se a malhar nos crentes. É claro que todos sabemos que eles poluem que se fartam, com a grande maioria a não imaginar que existem automóveis diesel melhor que veículos eléctricos. São muitas mais as verdades inconvenientes sobre os veículos eléctricos, muitas das quais já abordei na respectiva etiqueta sobre automóveis. Mas regressarei frequentemente a este tema, dado que haverá sempre montes de motivos para malhar; entretanto, fiquem com um dos vídeos de lançamento do Nissan Leaf, que já foi também desmontado de forma cruel no WattsUpWithThat.com.

terça-feira, 21 de Dezembro de 2010

Fila pro TGV

Muito se tem referenciado sobre a pouca vergonha que constitui a gestão dos aeroportos europeus afectados pela neve e gelo. Não vale a pena bater muito mais no ceguinho. As pessoas que estão a sofrer na pele esta evidente má gestão, jamais esquecerão estes momentos. Os burocratas que ainda estão a tentar sair de Bruxelas talvez meditem no significado do Aquecimento Global, enquanto esperam. Por falar em esperar, o vídeo seguinte foi um dos mais significativos que vi até agora. Alguém lembrou-se de filmar a fila para o TGV na estação de St Pancras, em Londres. Começou no final da fila, e depois de mais de 13 minutos, ainda não tinha atingido o seu início...

Invernos mais quentinhos

Hoje vamos entrar oficialmente no Inverno. Antes que tenha começado, já se pode dizer que este Inverno é frio. Lá fora, para variar, a explicação para este frio é a do Aquecimento Global! Das previsões dos Invernos quentes, no passado, os tretas internacionais agora querem-nos enfiar o argumento de que o Aquecimento Global é o que explica estes Invernos frios? Não é díficil provar que eles nos andam a enganar...

Por isso, fui ver as previsões dos tretas nacionais. Comecei por um documento de referência, o SIAM. Liderados por Filipe Duarte Santos, o capítulo relevante para este post é o Capítulo 2. Na vertente específica do Inverno, comecemos pela Fig. 2.45, na página 38 do PDF, e visível acima. Resumindo: vai deixar de haver frio. Nas próprias palavras dos autores do estudo (realces da minha responsabilidade):

The minimum temperature in December/January/February (DJF, winter season) obtained in the HadRM control and increasing CO2 simulations is presented in Fig. 2.45b and c respectively. The control run is to be compared with 1961-90 climate observations (Fig. 2.45a) and results are found to be reasonably close, with similar regional gradients, but in this case with a small warm bias that is more visible in the northeast. The climate change run produces a much warmer climate, with significant increases in the average minimum temperature in the winter season.

O estudo tem muitos mais gráficos para malhar. Na Fig. 2.54, visível abaixo, da página 43 do PDF, podemos reparar que os dias com geada vão também praticamente desaparecer. Não estamos a falar de neve, mas de geada! Nas palavras dos supostos cientistas (realces da minha responsabilidade):

On the other hand, the average annual number of "frost days" (days with minimum temperature below 0ºC, Fig. 2.54) is bound to almost disappear due to climate warming. The interior centre of Portugal, where observations indicate over 20 frost days per year (Fig. 2.54a), is likely to have significantly less than 6 days per year, with the south being frost free.


É tempo de pedir explicações a estes supostos cientistas. Dado que andam a espalhar esta pseudo-ciência, ainda por cima com retoques de brincalhões. Vejam por exemplo o que andaram a vender à Câmara de Cascais, retirado deste link (realces da minha responsabilidade):

Invernos mais quentinhos e verões tórridos virão

É muito provável que as alterações climáticas reduzam o número de dias com stress térmico (extremo, forte e moderado) devido ao frio nos meses de Inverno. Por outro lado, espera-se um aumento significativo dos dias com calor forte e extremo nos meses de Verão. Assim, recomenda-se que sejam direccionadas informações aos turistas e estabelecidos sistemas de alerta para garantir a satisfação e a saúde dos visitantes.

segunda-feira, 20 de Dezembro de 2010

O papel dos Media

O leitor habitual António Lopes enviou-me mais uma referência para um artigo demolidor na imprensa. Desta vez no Correio da Manhã, Mira Amaral volta a desancar no excesso de eólicas, e faz comparações com o novo aeroporto. Pessoalmente, gosto mais da comparação com submarinos, porque o novo aeroporto nunca se sabe quanto custará, mas será certamento o dobro do previsto, e as receitas menos de metade... Via Espectador Interessado, descobrimos mais um artigo de Mira Amaral, desta vez no Público. Entretanto, o Beijokense fez-nos chegar um artigo da Sábado, deste fim de semana, na página 38, que é visível na imagem ao lado, e onde se verifica que as investigações do Ecotretas se estão a infiltrar nos Media.. E embora ficasse bem aos jornalistas referirem a fonte, a verdade é que a mim, o que interessa é que a opinião pública comece a perceber como anda enganada!

domingo, 19 de Dezembro de 2010

Notícias fresquinhas

Por onde quer que olhemos, as provas do Aquecimento Global estão à vista! Uma notícia de ontem do Expresso resume a coisa na Europa: confusão por todo o lado. Mais a leste, na Turquia, é óbvio que os motoristas e condutores não estão habituados a isto, conforme podem ver no primeiro vídeo abaixo.

No Oriente, na China, as confusões no trânsito também são fresquinhas. No Nepal, o mau tempo causa desastres de aviões.No Alaska o tempo mais que fresco condiciona tudo, até as brincadeiras das crianças.

Ontem vimos como partes do Canada parecem surgir de um filme de fantasia. Mas as outras partes estão igual. E nos Estados Unidos, até os faróis congelaram, conforme o segundo vídeo abaixo...

E isto é o hemisfério norte. No hemisfério sul, a entrarem no Verão, e a tiritarem de frio? Volta Aquecimento Global, que estás perdoado!

sábado, 18 de Dezembro de 2010

Crónicas de Sarnia

Neste Mundo fantasioso em que vivemos, este post é sobre um local não imaginário, mas que não passa pela cabeça de muitos que exista. Sarnia é uma localidade do Canadá onde também o Aquecimento Global é uma miragem, conforme podem ver pelos três primeiros vídeos, recolhidos no magnífico blog amazing snow. Junto igualmente um vídeo histórico, ja aqui referenciado no passado, de Buffalo, não muito longe de Sarnia.


Mau tempo

Depois dos artigos sobre tornados, um leitor habitual enviou-me um link de um blogger de Arronches, que dá conta daquilo que as televisões e o resto dos Media, não dão. Como podem observar neste post do seu blog, os vendavais, tornados, ou coisas semelhantes, são coisas habituais no presente, e também o foram no passado. O problema é que as televisões não estavam lá, e até foi de noite. Por isso, a imagem do lado é do blogger, e evidencia a violência da natureza. Daqui a uns tempos, já ninguém se lembrará destes. E o mesmo se passa relativamente aos que ocorreram no passado... É apenas mau tempo!

sexta-feira, 17 de Dezembro de 2010

Ridículo Global

Agora que estamos a entrar no fim de semana, deixo-vos dois vídeos muito interessantes, e que resumem em menos de quatro minutos, o estado do Aquecimento Global. O primeiro vi-o já ontem no Espectador Interessado, e é a visão de um esclarecido político e eurodeputado, Paul Nutall, que já goza com os seus pares, deste ridículo tema. O segundo vídeo apareceu hoje no WattsUpWithThat, e é a visão popular, e satírica, do mesmo Aquecimento Global. Este último vídeo, que já passou na BBC, no progama Armstrong & Miller, denota a atracção que os comediantes vão sentir pelo tema. A atracção vai ser tão forte, que o Aquecimento Global vai passar a ser o Ridículo Global.

Péssimo jornalismo

A confrontação já a havia observado ontem no WattsUpWithThat. Não a tencionava mencionar aqui, porque evito repetir-me ao Anthony Watts, mas sobretudo porque era uma não notícia. Mas, o nosso alarmista Público, resolveu dar-lhe destaque...

O que a infeliz jornalista, Susana Almeida Ribeiro, não percebe é que a mensagem de Bill Sammon, da Fox News, é uma inspiração para qualquer jornalista que se preze! Porque a sua mensagem é um exemplo de imparcialidade, a que os jornalistas deviam estar obrigados. Mas, mesmo reconhecendo as naturais diferenças editoriais, claramente assumidas nos Estados Unidos, como não deixar de ficar sensibilizado pelo conselho de imparcialidade, expresso por exemplo, na seguinte frase:

Não é da nossa competência, como jornalistas, aferirmos estas noções como factos, especialmente enquanto este debate se intensifica.

A triste Susana equaciona depois o momento da mensagem, por se tratar do momento em que "os líderes de cerca de 200 países se encontraram em Copenhaga para tentarem chegar a um acordo sobre as alterações climáticas"... Não saberá ela que os jornalistas não se devem deixar condicionar por momentos de inconveniência? E que o Climategate havia revelado, apenas dias antes, finalmente a marosca da pseudo-ciência climática?

O que a Susana verdadeiramente revela é o péssimo jornalismo a que o alarmista Público nos habituou! Revela que já deve ter esquecido o que aprendeu na Faculdade há não muito tempo, o Código Deontológico dos Jornalistas, e toda a ética e normas associadas a esta nobre profissão. E como a Susana delira sobre estas mensagens, o que realmente a gente precisava era de um Wikileaks no Público... Enquanto não as temos, o melhor que me ocorre para este comportamento jornalístico, é a imagem acima!

quinta-feira, 16 de Dezembro de 2010

Fretes ao Governo

Os Media têm estado a dar-se conta das consequências da errada política energética do nosso desGoverno, e que se traduz por mais uns inaceitáveis aumentos da electricidade. Têm sido tantas as barbaridades que tenho lido hoje, que teria matéria para posts e posts! Claramente, muitas dessas notícias e mesmo editoriais, são fretes ao Governo. Quase todos os argumentos já foram desmontados aqui no passado; todavia, ainda é compreensível, porque muitos jornalistas ainda não conhecem o Ecotretas.

Mas uma das mais interessantes veio, como de costume, do Público:

Os dados baralham a ideia tradicional de que os países com energia nuclear vendem energia mais barata, já que se verifica que na UE parte deles tem preços mais competitivos que Portugal e parte tem mais elevados. Em relação à média europeia, os portugueses pagam menos 2,6 por cento (domésticos) e menos 7,4 por cento (indústria).

Eu bem sei que a Lurdes Ferreira, cujas iniciais assinam o artigo, anda permanentemente baralhada... E os leitores habituais do blog sabem que eu sou contra o nuclear, em Portugal. Porque pensa a Lurdes que em Espanha, a subida dos preços foi devida ao nuclear? E esconde convenientemente a referência a França, país por excelência do nuclear na Europa? Por isso, volto a colocar o gráfico de há duas semanas atrás (leiam o post para perceber que há um gato), dos dados do Eurostat que a Lurdes menciona, para que todos percebam que a subida de tarifas em Espanha foi devida, tal como cá, à recente política das renováveis (eólica + solar), enquanto em França o preço é, neste momento, bem inferior ao dos países ibéricos!

Políticos não fazem bem ao ambiente

De vez em quando tropeço em artigos absolutamente estupidificantes! Como este, que saiu no Jornal de Notícias, intitulado "Políticos não fazem bem ao ambiente". A desconhecida cronista Paula Ferreira divaga sobre o insucesso de Cancún, não parecendo perceber o que por lá se passou. Depois passa ao ataque (realces da minha responsabilidade):

Não há tempo para mais hesitações. Nós, portugueses, estamos aí para o provar. Há poucos dias, milhares das pessoas da região centro ficaram praticamente sem nada, e ouvimos o insuspeito Filipe Duarte Santos explicar, de novo, aquilo que se sabe: fenómenos como o tornado que varreu Tomar e Ferreira do Zêzere serão cada vez mais frequentes.

Sim, todos os leitores do blog sabem que o físico Filipe Duarte Santos é insuspeito. E sabem que os tornados não são propriamente uma novidade. Mas estes tretas sabem muito bem que sempre foi assim; a diferença é que agora há televisão para relatar a coisa!

Mas a Paulinha reforça:

Como frequentes serão as inundações e os Verões tórridos. Afinal, de que estamos à espera para fazer alguma coisa antes que seja tarde? Os cidadãos parecem cada vez mais conscientes na defesa de formas de vida compatíveis com a natureza. Mas que adianta o gesto se os políticos ignoram essa realidade?

E a frequência do frio, que se sente por estes dias, por quase todo o Planeta? A tretas Paula tem razão: os políticos têm ignorado a realidade, e por isso é que os militares ingleses tiveram que sair dos quartéis (e vão continuar a sair) e por isso também que cá em Portugal bastou a queda de uns poucos centímetros de neve, para tudo parar. Só para citar dois pequenos exemplos.

E conclui com:

Mesmo quando não as ignoram - alguma da política energética do Governo de Sócrates é um bom exemplo disso - , há sempre alguém, tocado pelo populismo, pretende acabar com ela. Basta estar atento a uma certa corrente de opinião que questiona os subsídios às renováveis. O argumento é este: os portugueses que não beneficiam desses subsídios têm de os pagar. E será que não subsidiamos todos o petróleo? São os mesmos, afinal, que advogam, com poucos escrúpulos, que a crise é culpa dos beneficiários do rendimento social de inserção.

Tocado pelo populismo? Rebater esta religião é tudo menos popular! Mas as coisas estão a mudar, e devaraginho as pessoas começam a iluminar-se. Chegará também o dia para a Paulinha... E que argumento é aquele? Confesso que fiquei confuso, até porque o argumento insinua que quem não paga a energia é que beneficia? E do petróleo? Deve ser mais uma das que continua às escuras...

quarta-feira, 15 de Dezembro de 2010

Recordes de carros eléctricos

Há pouco mais de um mês apareceram notícias espantosas sobre o alegado recorde, de um veículo eléctrico, que havia percorrido os 600 Km entre Munique e Berlim, sem recarregar as baterias. Mas para se provar um recorde, é preciso que ele seja verificável, ou verificado independentemente...

Na altura, pareceu-me que as alegações avançadas eram extremamente duvidosas. Um novo tipo de bateria, mas, no site da empresa, referenciava-se o seu uso em monta-cargas eléctricos. Portanto, nada de novo! Depois verifiquei uma diferença de altitudes de cerca de 500 metros entre as duas cidades, o que facilita o consumo. Finalmente lembrei-me de uma viagem que fiz entre Madrid e Lisboa muito semelhante: são também cerca de 600 Km e a diferença de altitudes é semelhante.

Na altura, bati claramente as especificações de consumo do meu carro! Porquê? Porque estava um vento forte de este, que fazia com que o consumo fosse quase uma miragem! Os leitores poderão experimentar algo semelhante, quando vierem do Algarve, e havendo vento Sul com fartura, efectuem o reset de consumo do automóvel no topo da Serra do Caldeirão...

Talvez Mirko Hannemann, o condutor do automóvel, e CEO da DBM Energy, tenha tido mais uns truques na manga... Mas, por estas, e certamente por outras razões, não está disposto a verificar, de forma independente, o recorde. Porque será?

terça-feira, 14 de Dezembro de 2010

Ilhas de Calor Urbano

O conceito de Ilha de Calor Urbano é bem conhecido dos leitores habituais do blog. O conceito é muito bem conhecido, até por aqueles que não sendo cientistas, observam com alguma atenção, um simples termómetro de carro, ao se aproximarem e afastarem dos grandes centros urbanos. Eu já encontrei diferenças de temperatura de 10ºC entre o centro de Lisboa e arredores, sendo especialmente visível durante a noite!

Este tema tem sido varrido para debaixo do tapete pelos alarmistas. Porque os seus termómetros estavam na maioria, há umas dezenas de anos, fora das cidades. E hoje estão dentro das cidades. Veja-se o caso dos termómetros de Lisboa, para se ter uma ideia! E claro, esses termómetros têm vindo a registar um aumento das temperaturas... Porque será?

Num paper de 1990, o Phil Jones do Climategate já andava a esconder o gato. Esse gato continuou a ser escondido em estudos subsequentes, com ligeiras alterações, como é o caso deste paper, também de Phil Jones, depois de múltiplas críticas de cépticos. Entretanto, tornou-se doutrina do IPCC.

Afinal, o gato está escondido, mas com o rabo de fora! Via o magnífico WattsUpWithThat, chegamos a este estudo da NASA, que aproxima o impacto da subida das temperaturas, por via das Ilhas de Calor Urbano, até uns impressionantes 9ºC! A apresentação que eles disponibilizam é igualmente arrasadora. Não deixem de ler, na totalidade, porque irão ser uma grande referência, daqui para a frente!

Falta de açúcar

Era evidente que mais cedo ou mais tarde iríamos chegar aqui. E a coisa vai piorar! Tenho vindo a referir os problemas dos biocombustíveis nesta tag. Mas com os problemas da falta de açúcar este fim de semana, regressei a este tema, porque certamente a maioria dos leitores ainda não percebeu porque falta açúcar nas prateleiras...

A maioria das notícias dá conta da subida dos preços internacionais, como justificação para a falta de açúcar. E é verdade, o preço do acúcar está em máximos dos últimos anos, conforme é visível no gráfico ao lado. Mas porque sobe? Por uma razão simples: porque em vez de se andar a produzir açúcar, anda-se a produzir etanol. E ainda se gabam disso nos foruns internacionais, como foi recentemente o caso do Brasil, em Cancún. Basta ver a página do Wikipedia dedicada à produção de etanol no Brasil, para perceber a dimensão do problema: só a área total plantada de cana de açúcar para produzir etanol é de 3.6 milhões de hectares, um pouco mais de um terço do território português!

Mas nós por cá, não nos podemos queixar, até porque sabemos contribuir para este problema do açúcar... Em vez de produzirmos beterraba, entregamos a produção a troco de uns cobres, conforme podem ver em muitos locais da Internet, como este. E se lerem o resto deste blog de Coruche, donde era a fábrica que fechou, percebe-se como a história está muito mal contada!

Actualização: Um leitor atento enviou-me uma nota de correcção, sobre a fábrica de Coruche, que efectivamente não fechou, mas apenas deixou de utilizar beterraba na produção, passando a refinar apenas ramas importadas. Mea culpa!

segunda-feira, 13 de Dezembro de 2010

Aquecimento Global em Minneapolis

O Aquecimento Global é, certamente, também o responsável pela queda do tecto insuflável do Metrodome de Minneapolis, no Minnesota, Estados Unidos. E notem que o digo, não por ironia, mas com convicção. É que, neste Mundo em que quase todos acreditam piamente no Aquecimento Global, não passava pela cabeça dos donos, dos projectistas, dos arquitectos, dos responsáveis políticos e administrativos lá do sítio, que voltasse a cair um nevão à antiga! Afinal, foi nesta mesma cidade que caiu uma ponte supostamente devido ao Aquecimento Global...

domingo, 12 de Dezembro de 2010

171 euros por consumidor

Um leitor habitual enviou-me uma nota para mais um artigo inconveniente do Expresso, com direito a capa do caderno de Economia, tal como há duas semanas. O Expresso volta a ganhar assim um ex-leitor. A notícia referencia como cada consumidor irá pagar 171 euros pelas renováveis, em 2011. Segundo as contas do Expresso, a conta no próximo ano vai superar os 1000 milhões, para sustentar este vício do Sócrates.

O artigo desanca ainda na microgeração, cujos produtores recebem 8 vezes mais que o verdadeiro custo da electricidade ao consumidor, conforme se percebe pelo artigo interior, como podem ver ao lado. Ainda assim, o artigo peca por passar os argumentos daqueles sem razão, como os 800 milhões do Zorrinho, que são apenas 100 milhões, como desmontamos aqui. O artigo é, ainda assim, mais uma pedrada no charco!

sábado, 11 de Dezembro de 2010

Claes Johnson

Claes Johnson é um professor douturado de Matemática. Ele é um dos co-autores de "Slaying the Sky Dragon - Death of the Greenhouse Gas Theory". Até aqui nada de novo. O problema é que este livro refuta as teorias do Aquecimento Global. Bem como outro documento digital, Body and Soul, disponível no blog de Claes, e que recomendo vivamente (mais de 2000 páginas)! E é aqui que começa a saga de Claes. Quando alguém descobre que há análises matemáticas envolvendo as leis de Planck para radiação de corpo negro e as equações básicas da termodinâmica, que não batem certo com as teorias dos alarmistas carbónicos... E quando ele diz aos alunos que devem pensar por eles próprios, e não acreditarem em tudo, então o caldo está entornado... Acincalhado por meia dúzia de estudantes broncos, com cobertura dos Media, obrigam-no a retirar Body and Soul dos estudos, apesar de ser eleito por outros professores e adorado pelos alunos. Sigam as suas vivências e a forma como ele sobrevive a estes fascistas científicos, no blog dele.

sexta-feira, 10 de Dezembro de 2010

Venda de banha da cobra

Um leitor habitual fez-nos chegar mais um apontador, que me faz sentir vergonha enquanto português. O nosso primeiro ministro esteve recentemente na Líbia, na cimeira entre a União Europeia e a União Africana. José Sócrates fez um discurso que pretende fazer chorar as pedras da calçada, mas que é de morrer de riso, tal a quantidade de asneiras que reflecte. Analisemos o início do discurso de venda de banha da cobra:

O binómio energia-alterações climáticas é um dos principais desafios que enfrenta a humanidade neste início do século XXI. Mas é também uma das maiores oportunidades, com um papel determinante no crescimento económico, na criação de emprego e na melhoria da qualidade de vida dos cidadãos, a médio e longo prazo.

Aqui, ele não se refere a Portugal, de certeza! Crescimento económico é uma miragem... Emprego verde, também nem vê-lo! Melhoria da qualidade de vida?

Os parceiros africanos podem beneficiar da experiência europeia no desenvolvimento de tecnologias e de quadros regulamentares que são apropriados à mitigação dos efeitos das alterações climáticas. Apostar nesta área contribuirá, de forma especialmente eficaz, para a realização da nossa visão conjunta que projecta África como um continente de oportunidades, de desenvolvimento e de futuro.

O que ele quer dizer é que os Africanos podem comprar a sua banha da cobra... Mas eles não são estúpidos, como os portugueses! Então, quanto mais investimos, mais alterações climáticas há? Essas oportunidades são para o Mexia: depois de enganar os portugueses, quem enganará ele a seguir?

A estratégia portuguesa passa pela aposta inequívoca nas fontes de energia renovável - hídrica, eólica e solar. Desenvolvemos um plano nacional de barragens, temos o maior parque eólico em operação na Europa e um dos maiores parques foto-voltaicos do mundo. Estamos na vanguarda da promoção dos veículos eléctricos e respectivos sistemas de abastecimento. A modernização do sector energético português levou à capacitação das empresas e das pessoas que trabalham nesta área, criando emprego e gerando know-how indispensável à competitividade e à internacionalização. No curto espaço de 5 anos fizemos uma grande reforma neste domínio. E uma reforma de sucesso - Portugal é hoje considerado um dos dez países do mundo mais atractivos para o investimento em energia.

A aposta portuguesa funciona quando chove muito, como foi o caso deste ano! E Portugal é visto como atractivo, porque têm consumidores que pagam a energia e calam. Mas com as últimas notícias, Portugal vai descer neste ranking, de certeza, e ainda bem!

No primeiro semestre de 2010 foram evitadas, em média, importações de 100 milhões de euros mensais de combustíveis fósseis.

Será que eles também acreditam no que ele diz? É que a banha da cobra é fácil de desmentir... Talvez o Sócrates pense que uma mentira repetidamente dita passe a ser verdade?

quinta-feira, 9 de Dezembro de 2010

Coup d'état em Cancún?

Via Espectador Interessado, chegamos a mais um alerta de Christopher Monckton, que está neste momento em Cancún. Tendo por base as piores estratégias burocráticas, parece estar a preparar-se um golpe de teatro. Um documento da ONU circula no sentido de ser aceite pelos países desenvolvidos, que representará uma capitulação às exigências dos restantes países.

O Governo Mundial não tardará muito! Sob o espectro do Aquecimento Global, existem duas opções em cima da mesa, conforme poderão constatar na página 16 do PDF da proposta da ONU:

Option 1: Developed country Parties commit, in the context of meaningful mitigation actions and transparency on implementation, to a goal of mobilizing jointly USD 100 billion dollars per year by 2020 to address the needs of developing countries;
Option 2: Developed country Parties and other parties included in Annex II to the Convention commit to provide 1.5% of their GDP per year by 2020 to address the needs of developing countries;

A primeira opção significa um balúrdio de dinheiro. Na segunda opção, e para o caso português, as contas são fáceis de fazer: O valor do PIB português é de cerca de 160 mil milhões de euros, pelo que 1.5% é qualquer coisa como o valor de 5 submarinos por ano, só para nós portugueses!!! Se quiserem fazer as contas de outra maneira, considerem que o PIB per capita é de cerca de 15000 euros. Tal significa que cada português, criança ou velhinho, terá que arrotar 225 euros por ano para este peditório... Mas pode ser que, com a força de todos nós, os nossos e outros submarinos torpedeiem estes burocratas de Cancún!

O'Leary é que sabe!

Jorge Oliveira fez-nos chegar um excelente artigo, que saiu na Fora de Série, do passado fim de semana. A entrevista a Michael O'Leary, CEO da Ryanair, saiu já há uns meses, mas é reciclada na revista do Diário Económico. Vejamos algumas pérolas da entrevista (realces da minha responsabilidade):

O presidente desta companhia aérea afirma que o aquecimento global é uma trama engendrada pelos cientistas que pretendem assim conseguir mais fundos para investigação.

Se acredito que existe aquecimento global? Não, acho que é tudo uma treta. Mas é espantoso como todos esses eco-guerreiros de merda e os meios de comunicação social mudaram de posição. Antes, chamavam-lhe aquecimento global, mas agora, e uma vez que as temperaturas há 12 anos que não sobem, chamam-lhe 'alterações climáticas'.

O que quero dizer é que é curioso que pessoas que nem nos sabem dizer como estará a porra do tempo na próxima terça-feira, consigam prever com precisão como estará a porra da temperatura daqui a 100 anos. Acho que é uma verdadeira bosta.

Grande O'Leary!!!

quarta-feira, 8 de Dezembro de 2010

Tornados mais fortes?

Era evidente que os abutres sairiam das suas tocas por causa do tornado que assolou ontem a região Centro. Neste artigo da IOL, o meteorologista Manuel Costa Alves alertou que o fenómeno do aquecimento global deverá ter efeitos sobre a intensidade dos tornados. Mas onde vive este senhor? Esteve calor a mais ontem? Estamos no Verão? Rui Pereira, Ministro da Administração Interna, certamente com menos conhecimentos científicas neste domínio, assegurou que "isto é mesmo, literalmente, o diabo à solta". O Governo Civil está mais actualizado: segundo Carlos Catalão, chefe de gabinete da governadora civil de Santarém, Sónia Safona, "isto tem a ver com as alterações climáticas"

Mas qual é a verdade sobre os tornados? Eles sempre existiram, conforme uma atenta leitura do fórum do meteopt.com revela. Aliás, até eu já não me recordava de alguns episódios dos últimos anos, lá arquivados. Na verdade, não há nenhuma relação entre o Aquecimento Global e a frequência de tornados, conforme a análise de vários papers peer-reviewed efectuada no WattsUpWithThat. O mesmo se confirma no site do NOAA, que mostram valores absolutamente normais.

O problema dos tretas de hoje é que não têm memória. Será que em 1954 já existia Aquecimento Global? Será que isso explicou o maior tornado registado em Portugal? Vejam o detalhe nesta excelente entrada, donde retirei a foto acima. Quantos mais não terá havido, mas quando a televisão não chegava lá...

Frio e desgraça

Isto do frio já tinha começado, no nosso Verão do hemisfério Norte, mas de frio no hemisfério Sul. No Peru, centenas de pessoas morreram de frio até finais de Agosto, a maioria delas crianças. Mas o que realmente anda nas notícias, e que levou múltiplos leitores a enviarem-me links, foram os últimos dias de frio.

Na Europa, a quantidade de mortos não pára de subir. Um dia são 40. Ou então 60. Mais recentemente, só na Polónia já se contam 52. No Reino Unido são pelo menos 10. Por cá tivemos também pelo menos uma infeliz ocorrência, derivada da limpeza da neve... No Reino Unido, as pessoas são desalojadas, porque a neve é tanta, e os edifícios já racham!

Mas os reformados ingleses é que sabem! Eles têm uma nova solução este ano para o problema. Depois do ano passado terem andado a aquecer-se com enciclopédias, este ano parece que a táctica é entrar num autocarro e andar às voltas. Não interessa que se consuma CO2 no processo; afinal os seus passes são gratuitos, pelo que é um esquema barato para se manterem quentinhos. Outra estratégia que está na moda é ir para as bibliotecas ou centros comerciais. Permanece-se quentinho, sem gastar dinheiro!

terça-feira, 7 de Dezembro de 2010

Escalonamento dos custos

Na senda das deambulações anteriores, e nomeadamente depois das notícias de ontem do Público, apresento mais um gráfico interessante aos leitores. Este foi obtido num extenso documento da ERSE, sobre as tarifas para este ano de 2010. No gráfico ao lado, obtido a partir da página 68 do PDF, podem-se observar os proveitos a recuperar nos próximos anos. Vejamos, nas palavras da ERSE, porque isso é necessário:

Para além dos custos anuais e dos ajustamentos referentes a anos anteriores, é necessário ainda incorporar nos proveitos (a recuperar anualmente) valores que não foram incluídos nos proveitos a recuperar com as tarifas de 2006, 2007 e 2009 e ainda os custos para a manutenção do equilíbrio contratual das centrais da EDP Produção que cessaram os contratos de aquisição de energia com a REN.

Agora, cliquem na imagem, para obter uma em mais alta definição. Vejam como durante 8 anos estão 266 milhões de euros anuais escondidos. Depois mais sete anos, cada um com 226 milhões de euros! Todos os valores relacionados com custos que foram varridos para debaixo do tapete, nos últimos anos. Todos os valores cedidos a terceiros, a uma taxa de juro desconhecida. Todos a serem pagos por quem cá estiver, anualmente até 2027!

segunda-feira, 6 de Dezembro de 2010

Novas concessões penalizam consumidores

Um leitor habitual alertou-me para um artigo surpreendente, ainda por cima assinado pela Lurdes Ferreira, em que o alarmista Público chega à brilhante conclusão de que as novas concessões nas renováveis penalizam consumidores domésticos. Tudo em primeira página, como a imagem ao lado documenta. É claro que a Lurdes poderia ter proposto um título mais correcto, e esse seria: "Novas e antigas concessões nas renováveis penalizam consumidores, e toda a Economia". Mas há que dar pequenos passos de cada vez. E enfim, mais vale tarde do que nunca...

O que o Público diz estamos fartos de o dizer aqui. Da subida das tarifas que poderia ser uma descida. Da vergonha das novas concessões. Do défice tarifário gigantesco. Do esquema da garantia de potência. Dos esquemas do Manuel Pinho. Enfim, um artigo incompleto, é verdade, mas muito inconveniente!

E depois há o artigo do Carlos Zorrinho. A ensaiar uma monumental cambalhota, conforme este artigo. O problema porventura não é dele, mas da dupla Sócrates/Teixeira dos Santos, a verem onde conseguem extorquir mais uns cobres aos Portugueses, os actuais e os do futuro! E depois, sim há novidades. Como a desta outra notícia do Público, onde se constata que o fundo das eólicas foi o que pagou o pavilhão português na Expo de Xangai! Vale de tudo para salvar o planeta! E constatamos que, sem dúvida, estamos entregues à bicharada...

Chavez e São Pedro

Na nossa tradição popular, o tempo é comandado por São Pedro. Ele tem a fama de porteiro do reino dos céus, graças a uma passagem do Evangelho. Por isso, quando chove muito, ou quando chove pouco, é normalmente S. Pedro que leva "com as culpas".

Na Venezuela, a situação é diferente. Para Hugo Chavez, a culpa é do sistema capitalista. Atentemos no que referiu no seu blog, ontem (realces da minha responsabilidade):

Quiero reflexionar contigo, compatriota que me lees, para que podamos entender a cabalidad el duro y difícil trance por el que atravesamos: el desequilibrio ambiental que ha creado el modelo desarrollista del capital es, sin duda alguna, la causa fundamental de los alarmantes fenómenos atmosféricos que estamos padeciendo en el planeta.

Las economías más poderosas del mundo insisten en llevar adelante un modelo de vida destructivo y luego son incapaces de asumir responsabilidad alguna.

Nadie se escapa a las reacciones de la naturaleza después de tanto atropello. La arrogancia de los dueños del mundo viola sistemáticamente los límites ecológicos sin consideración alguna hacia la humanidad y hacia el planeta, que se muestran cada vez más indefensos.

Las calamidades que sufrimos con estas inclementes y prolongadas lluvias son una muestra más de que estamos, de nuevo, ante la injusta y cruel paradoja planetaria: los países más desarrollados de forma irresponsable quebrantan sin medida el orden ambiental, en su afán por mantener un modelo de desarrollo criminal, mientras la inmensa mayoría de los pueblos de la tierra padece las más terribles consecuencias.

O palhaço Chavez é um grande desagradecido! Ainda no início do ano se queixava da ausência de chuva! É claro que isso era também problema das alterações climáticas... Agora, talvez, os Venezualanos possam cantar no chuveiro, embora não creio terem motivos para tal. Valha-nos o facto de que "Chávez é cão que ladra mas não morde", como aparentemente refere o Wikileaks!

domingo, 5 de Dezembro de 2010

Previsões do polvo

O polvo Paul ficou conhecido pelas previsões acertadas que fez em relação a jogos de futebol, nos últimos anos, e notavelmente no Campeonato do Mundo de Futebol de 2010. Nas previsões meteorológicas, mesmo as de médio prazo, já existem igualmente previsões bastante fiáveis, ao ponto de já se saber nos meandros que este seria um Inverno muito frio, como aliás referi no início de Setembro, e reforcei há quase duas semanas atrás...

Entretanto, o Met Office, com o seu computador de dezenas de milhões, continua a ser o alvo geral da galhofa, especialmente por estes dias em Inglaterra. Tudo porque havia previsto um Inverno calmo, o que todos em Inglaterra interpretaram exactamente no sentido contrário, dado o seu historial de previsões absolutamente aberrante. Não admira, até porque eles utilizam os dados na base do Climategate! E digo eu, e utilizando a analogia de James Delingpole, até certamente o polvo Paul faria melhor!

sábado, 4 de Dezembro de 2010

Wikileaks first climate cables

Reading through the few Wikileaks cables related to climate, the tip of the iceberg becomes visible. The most interesting seems to involve the usual pressures related to top level nominations: in this case, the nomination for the IPCC Group II organization comes to light. The original cable is still not known visible here, but it is said to state that Christopher Field had no opposition; the other proposed position for co-chair, Mostafa Jafari, an Iran scientist, was not acceptable, although a qualified scientist. The cable apparently states that Rajendra Pachauri, head of the IPCC, promised background collaboration, and non-identification of the US pressures. The Austrian delegate, which lead the selection process, also agreed on the veto on Jafari.

In other cables, we can see the unreal demands being made by some countries in the World. The developed countries, pressured by alarmists, are "falling all over itself to browbeat them into taking money to go along with a plan to give them more money". But this is starting to change: "The Danes said they are "fed up"" because the reasons behind the show are no longer climate: "Gisela Ulloa, a member of Bolivian delegations to earlier COP meetings told us the GOB's position is aimed at creating an alternative development model consistent with Morales's anti-capitalist philosophy."

Another profound cable relates to Saudi Arabia. One only has to read the following, to understand what is really happening (bold is my responsibility):

Is Al-Naimi the Problem?
------------------------
9. (S) Minister Al-Naimi has consistently been rational and practical in talking with western delegations about climate change, noting that Saudi Arabia had to address its development concerns, but conceding that the world needs to work together to address climate change. These reassuring statements stand in sharp contrast to Al-Sabban's public comments, such as questioning the science behind climate change just before Copenhagen, and his often obstructionist behavior, as reported by a number of Embassies in Riyadh, during working-level negotiations. Senior Ministry of Petroleum officials have reassured us after each of Al-Sabban's public outbursts over the last six months that he has been "tamed" and brought back onto the reservation. The frequency and number of times that Al-Sabban steps out of line, and the apparent lack of any sanction, raises questions about the real Saudi position on climate change.

And than we see "that Pope Benedict had firmly established his "green" reputation", which "even if discreetly, is significant because the Vatican is often reluctant to appear to compromise its independence and moral authority by associating itself with particular lobbying efforts". Religion, at it's best.

What really strikes us is the fact that all this Copenhagen/Cancun stuff has nothing to do with the Climate, or saving the World. It's about political positioning, money, and plain old fascism cult promotion. But as referred before, this is only the tip of the iceberg. More is to come, and I wouldn't be surprised if we're going to be answered about who is behind Climategate, or Al Gore's Nobel nomination, or the facts behind all the IPCC mess. Stay tuned...