sábado, 31 de Dezembro de 2011

800 litros de água aos 100Km

Já há algum tempo que não falava dos biocombustíveis. Todos sabemos quão engatado isso anda, e como só subsistem à custa de enormes subsídios... Mas agora dei conta de um artigo avalassador, que nos dá mais uma visão aterradora das consequências da aposta nos biocombustíveis.

Dominguez-Faus et al. fizeram as contas a quanta água é necessária para poder produzir determinadas formas de energia. Traduziram isso em litros/MWh. Os resultados foram os seguintes:

ProcessoL/MWh
Extracção petróleo10-40
Refinação petróleo80-150
Retorta de Petróleo shale 170-681
Ciclo combinado gás natural - arrefecimento ciclo fechado230-30300
Ciclo combinado a Carvão gaseificado~900
Nuclear - arrefecimento ciclo fechado~950
Geotérmico - arrefecimento ciclo fechado1900-4200
Recuperação avançada de petróleo~7600
Ciclo combinado gás natural - arrefecimento ciclo aberto28400-75700
Nuclear - arrefecimento ciclo aberto94600-227100
Milho para etanol - irrigação2270000-8670000
Soja para biodiesel - irrigação13900000-27900000

De uma forma geral, por cada litro de etanol produzido a partir de milho, consome-se 100 litros de água. Se um carro consumir 8 litros aos 100Km, as contas são fáceis: 800 litros de água por cada 100 quilómetros percorridos! É claro que os tretas estão preocupados com a missão de alimentar a raça humana, mas esquecem-se que andamos entretidos a produzir biocombustíveis, movendo a frota automóvel de uma forma muito ineficiente! Baseiam-se em mais estudos da treta, que nem sequer o problema dos biocombustíveis equacionam! Talvez eles encontrem neste argumento da água um argumento rápido para questionar todo este embuste, que eles próprios fomentaram.

sexta-feira, 30 de Dezembro de 2011

Contratos blindados

Mira Amaral é dos poucos que em Portugal diz cá para fora as Verdades. As pessoas podem não gostar do seu estilo, mas não há dúvidas que tem quase sempre razão. O extracto abaixo é de uma notícia de hoje do Diário Económico, mas o texto é apenas visível na versão impressa. Reparem como o jornalista do Verde Económico se mostra surpreendido com a simplicidade da solução, e tenta rebater:

Como é que vê a eventual renegociação dos contratos das Parcerias Público Privadas?
Acho que têm de ser renegociadas.

Mas os contratos estão blindados... é tecnicamente possível?
Os senhores das energias renováveis também dizem isso, que há compromissos assumidos pelo Estado e que não se pode tocar nisso. E eu digo: se o Estado já tocou nos compromissos que assumiu com os pensionistas, de forma dramática, por não ter dinheiro, também tem de o fazer aí.

Mas não existe o risco de criar problemas com os bancos e com os financiadores internacionais desses projectos?
Há que perceber que a economia portuguesa não aguenta esse tipo de compromissos, tal como acontece com o défice tarifário. E portanto há que renegociar e que assumir algum ‘haircut' de capital. É tão simples quanto isso. Não podem ser só os pensionistas a pagar a factura. Isto tem de ser renegociado, para mim é óbvio.

quinta-feira, 29 de Dezembro de 2011

Uma mentira cem vezes dita, torna-se verdade

Um leitor enviou-me a digitalização de um artigo que saiu na passada terça-feira no Público. O artigo está disponível, em parte, neste artigo da edição online. A estratégia do alarmista Público, e neste caso do jornalista Aníbal Rodrigues, parece consistir na perpetuação das mentiras da GEOTA e companhia, e que já desmascaramos repetidamente neste blog, nomeadamente nos seguintes posts: (1), (2) e (3).

O essencial do artigo online é uma crítica, novamente, à garantia de potência. Culpa-se as hidroeléctricas, mas esquece-se convenientemente que este esquema existe por causa do excesso de eólicas. A leitura das páginas interiores do jornal é ainda mais triste. Valha-nos o facto de que há três parágrafos com a opinião de Pinto de Sá... Nalguns casos referencia o programa do Biosfera, que abordamos há dois meses e meio atrás, neste post. É muito triste ver este tipo de jornalismo requentado, mas por aqui se percebem várias coisas, nomeadamente a redução de tiragem deste jornal, e o despedimento dos seus trabalhadores. Como é evidente por este artigo, não será que eles merecem?

Esta é, aliás, uma sequência ao melhor estilo de Joseph Goebels, ministro da Propaganda de Adolf Hitler, que proferiu a célebre frase "uma mentira cem vezes dita, torna-se verdade". Na verdade, os jornalistas ambientais enveredaram pela pior das estratégias, que é a da sujeição à Religião Verde. No mesmo dia 27 saiu a notícia de que um dos mais notórios correspondentes ambientais da BBC, Roger Harrabin, também anda a toque de caixa, neste caso dos pseudo-cientistas do Climategate...

terça-feira, 27 de Dezembro de 2011

Exemplo de energia limpa

O vídeo abaixo mostra-nos um exemplo de energia limpa. Tão limpa que não precisaram de andar a fazer Photoshop das imagens! Enfim, da próxima vez que ouvirem falar de energias alternativas, não poluentes, limpas, etc., podem pensar nas seguintes imagens:

segunda-feira, 26 de Dezembro de 2011

O barrete das gravatas

A história das gravatas da Cristas é um dos melhores exemplos de demagogia dos nossos políticos. Na altura o gozo foi muito giro, como a imagem ao lado revela, retirada daqui. Já há muito esperava pelas contas, porque sabia que a demagogia da poupança continuaria. Aliás, no artigo original, já havia previsto que o Verão fresco iria reduzir os consumos de energia... As contas surgiram ontem, no Jornal I, onde se afirma que a poupança terá sido de 136039 euros... Hoje sabemos que a Ministra utilizou o Facebook para revelar tais contas.

A sorte da Ministra foi que o tempo ajudou! Como se pode ver nos dados do Instituto de Meteorologia, as temperaturas no Verão foram inferiores à média... Aliás, se repararem bem, a diferença em relação à média do período de 1971-2000 foi ainda maior nos locais onde há maior concentração de funcionários do Ministério! O próprio IM, envergonhado, ainda conseguiu pôr cá fora um resumo, culpando a Oscilação do Atlântico Norte, mas que não esconde as evidências! Adicionalmente, a consulta dos dados de consumo de energia do Verão (pag. 4) revela quedas do consumo total nacional de 5%! Por isso, é fácil perceber o barrete que estas contas representam...

Sirva ao menos este exemplo para confirmar que o Aquecimento Global não está aí!

domingo, 25 de Dezembro de 2011

Mais greves nos transportes

Confesso que sou um utilizador pouco frequente dos transportes públicos. E quando os utilizo fico, quase sempre, certo que fui mal servido! Por isso, algumas vezes nem noto quando o serviço ainda é pior, como foi a quadra natalícia deste ano. Só hoje é que me dei conta que os maquinistas da CP resolveram, mais uma vez, utilizar a arma da greve. Porque foi Natal, pensei logo, mas quando fui investigar, ainda mais parvo fiquei!

A greve destes dias, e que deve estender-se até à passagem do ano, é essencialmente motivada por processos disciplinares, que a administração desencadeou, porque estes mesmos maquinistas não haviam cumprido os serviços mínimos por ocasião de greves anteriores ocorridas na empresa...

Também, ao contrário dos anos anteriores, o salário de Dezembro não foi antecipado. Não admira, pois praticam-se salários absurdos nas empresas públicas de transportes, como referi para o caso do Metro de Lisboa aqui e ali. Na CP não se ganha tão bem, mas como o semanário Sol já referia este ano, há maquinistas que chegam a ganhar 50000 euros por ano! É para isto que servem as absurdas indeminizações compensatórias de serviço público, em que a CP, Refer e Metropolitano de Lisboa receberam quase 120 milhões de euros este ano...

Mas o que motivará verdadeiramente todas estas greves dos Maquinistas da CP? Parte do mistério estará no fundo de greve para o qual eles descontam todos os meses para o Sindicato dos Maquinistas. Todos os meses os maquinistas descontam um por cento do seu ordenado para o Fundo. Quando fazem greve, os Maquinistas recuperam esse investimento. Agora, toca a fazer contas: de quanto em quanto tempo devem os maquinistas fazer greve, para recuperarem o investimento?

sexta-feira, 23 de Dezembro de 2011

Bemposta a amarelo

Um leitor enviou-me um link para uma notícia passada na SIC, e que refere como a EDP pintou parte da barragem de Bemposta, perto de Mogadouro, de amarelo-choque. Quando vi o vídeo nem podia acreditar! Já aqui até tinha defendido que podia ser interessante pintar as barragens, mas nunca me passou pela cabeça que a EDP já estava a avançar neste domínio, sobretudo quando aquele amarelo destoa de absolutamente tudo! É claro que os ambientalistas também acordaram depois para o problema (estão a sonhar em permanência e quase exclusividade com o CO2), pelo que tem que ser a população a lutar...

Para além do choque visual, os consumidores foram extorquidos em mais 150 000 euros, para felicidade do artista plástico Pedro Cabrita Reis! Um acto de verdadeira loucura, ou então de previsão da venda da participação da EDP aos amarelos, mas que parece que vai ter mais sequências! É claro que a EDP vai ter que voltar atrás e pintar aquilo de forma mais correcta, pelo que o Pedro terá nova oportunidade de pintar aquilo, com mais uma extorsão aos consumidores?

quinta-feira, 22 de Dezembro de 2011

O falhanço solar

Está à vista o resultado da aposta estupidificante na energia solar. Não é que eu não acredite na energia solar; o que eu não acreditei, nem acredito, é que uma energia produzida de forma ineficiente e cara, pudesse vingar à custa da massificação! A energia solar continua a ser excessivamente cara, e com uma eficiência reduzidíssima, quase sempre bastante abaixo dos 20% em cenários de produção, embora em laboratório já se consigam mais de 40%.

Assim, estão à vista os resultados desta desastrosa aposta. Em Portugal, um dos exemplos mais emblemáticos é o do Barão Vermelho, ao qual já nos havíamos referido aqui e ali. Ontem, via Correio da Manhã, ficamos a saber que, obviamente, a fábrica que devia estar pronta a funcionar há quase dois anos, ainda nem sequer começou a ser construída. Agora, há um novo prazo para meados do próximo mês, dado pela Câmara. Mas entretanto, a cambada já bazou, sendo que o melhor a fazer, neste caso, é uma visita regular ao blog Cidadãos por Abrantes, que segue a par e passo o tema, como a imagem acima documenta...

Nada que nos surpreenda! Há uns meses foi o caso da Solyndra. Ontem foi o caso da BP. Está tudo a cair como um castelo de cartas. Na Alemanha a situação é a mesma há meses, mas cada dia que passa há novidades! É óbvio que há muita gente a estrabuchar, e por cá só faltava conhecer a quem vai o Governo vender a EDP, para começar a cortar a seguir...

quarta-feira, 21 de Dezembro de 2011

O frenesim das baratas tontas

Como seria de esperar, os alarmistas andam em actividade frenética, porque sabem que depois de Durban, provavelmente terão de hibernar por uns tempos. Por cá, Filipe Duarte Santos é como uma barata tonta, tal é a enxorrada de meias verdades, e mentiras descaradas, que profere!

Por altura da reunião em Sintra, do XI Congresso Mundial da Organização das Cidades Património Mundial, sob o tema das alterações climáticas nos locais classificados pela UNESCO, o conhecido alarmista português, disparatou em todas as direcções! O disparate é tanto que até mete dó! Para ele, o Alto Douro Vinhateiro está em perigo, por causa dos incêndios... O problema é que são normalmente os matos e as florestas que ardem, e não os campos de vinha! Aliás, como já vimos, o vinho do Porto adora o CO2! Depois, o centro histórico de Évora também vai ter problemas de abastecimento de água. Os arredores, esses fica-se na dúvida... Depois, o mar vai subir, e para ele Veneza é um caso exemplar, quando todos os restantes alarmistas fogem de Veneza, como o Diabo foge da cruz! E depois dá a calinada final, dizendo que no final do século o nível do mar terá subido mais de um metro. Na verdade, a estimativa máxima da Bíblia do IPCC é de 59cm... E na realidade, como sabemos, não sai da cêpa-torta!

Uns dias depois, lá estava ele a ludibriar a Associação Portuguesa de Seguradores. Parece que são eles a pagar o estudo, mas eu cá tenho as minhas dúvidas; no mínimo, pagará quem tem seguros, ou seja, todos nós... Um estudo realizado por 15 investigadores, durante 3 anos, de várias entidades da Universidade de Lisboa, Universidade Nova de Lisboa e Universidade de Aveiro chegaram, aparentemente, à brilhante conclusão que a costa desde Viana do Castelo até Peniche, está em perigo! Especialmente, dizem eles, em locais como a Praia da Vagueira e Praia da Cortegaça... Mas, os leitores do Ecotretas sabem que o avanço do mar para aqueles lados, vem dos tempos da Pequena Idade do Gelo... Mas os estudos supostamente incorporam cenários climáticos futuros, ou seja mais advinhice, num contexto de "fenómenos meteorológicos extremos mais intensos", daqueles que estes investigadores da treta já não se lembram...

terça-feira, 20 de Dezembro de 2011

Contas das novas barragens

Nos últimos meses tenho dedicado algum do tempo reservado ao blog a desmontar as contas das várias organizações ambientalistas (GEOTA, FAPAS, LPN, Quercus, CEAI, Aldeia, COAGRET, Flamingo, SPEA, MCLT) sobre o PNBEPH. Já observei como eles têm vindo a inflacionar o bicho papão dos custos, que começou (tanto quanto eu sei) em 7000 milhões de euros há um ano atrás, e que já vai quase no triplo.

Desse valor, a parte da potência garantida já foi completamente desmontada: em vez dos 3400 milhões previstos pelos ambientalistas, o custo actual é 0. ZERO! Erro pequeno. É claro que, como aliás afirmo no artigo do link anterior, se o Governo entender mudar isso no futuro, atribuindo-lhes a garantia de potência (que recorde-se não está garantida, passe o pleonasmo), essas contas poderão ser alteradas.

Mas o resto dos milhares de milhões continuava a ser uma incógnita... Aliás, em nenhum documento publicamente disponível, as organizações ambientalistas explicavam como chegaram aos números, que crescem à vontade do freguês. Compreende-se: cada vez que chutam um número, topa-se o seu analfabetismo! Mas numa troca de emails com alguns dos compadres do Daniel Conde, a propósito da barragem do Tua, topei que este peão havia dado com a língua nos dentes, ou melhor no Facebook. Desta página, de 13 de Outubro, retiram-se as seguintes contas, explicadinhas de forma simples:

Ora bem, segundo percebi das contas - que aqui se publicam a pedido de algumas pessoas - a dezena e meia de milhares de milhões de euros de encargos com o PNB vêm de duas componentes:

1 - A remuneração da electricidade produzida, a € 110 p...or cada MW (preço médio de venda à rede), e esperando-se uma produtividade de 1676 GW/h por ano, dá 184 milhões de euros por ano;

2 - A remuneração da potência (perceberam a marosca da potência instalada na peça?), é paga a 20 mil euros por MW por ano, estando prevista uma potência instalada de 2453 MW, o que dá uma soma anual de 49 milhões de euros;

3 - Tudo somado dá uma autêntica renda do Estado (o Estado somos nós, entenda-se) de 233 milhões de euros por ano, o que ao cabo dos horizontes de concessão de 65 anos destas barragens, dá a soma de mais de 15 mil milhões de euros, que TODOS, repito, TODOS teremos de pagar.

Mas nada temam: o lucro esperado das concessionárias é de cerca de 8 mil milhões de euros. Tipo a Ponte Vasco da Gama, que se "pagaria por ela própria" enquanto PPP, mas que já arrecadou uns generosos milhões do Estado.

Mas isso são outras coisas...

Fiquei banzado! Então eles consideraram um custo da barragem o preço da energia que ela vai produzir? Ainda por cima referenciado a um custo próximo do pago pelo consumidor??? E tudo isto é uma renda do Estado, porque o Estado somos nós??? É claro que todos vamos pagar o custo da energia. Mas se não for o MWh da futura barragem do Foz-Tua, será o MWh da central nuclear de Almaraz, ou então das magníficas “ventoinhas” por tudo quanto é monte e linha de horizonte deste País!

Neste jogo de xadrez, as declarações do peão serão provavelmente sacrificadas. Mas isso não ilibirá a Geota e companhia de explicarem verdeiramente as suas contas, o que nunca fizeram! Como esta discussão foi a que me expulsou do Facebook, preservam-se as afirmações do peão, na imagem acima, antes que sejam destruídas pela Religião Verde...

segunda-feira, 19 de Dezembro de 2011

Já (quase) não nos falta nada

O título deste post é o título do Editorial, de Sandro Mêda, da Autohoje desta semana. Sandro dá-nos uma visão equilibrada de como os nossos políticos tinham as prioridades erradas. E como o Canadá está a ver bem as coisas, perante a hipocrisia da China. Comparem este texto, disponibilizado abaixo com realces da minha responsabilidade, com o discurso das grandezas do Basílio Horta, num artigo de opinião do Diário Económico de ontem, para perceberem as diferenças entre a realidade e a utopia:

Foram notícia a saída do Canadá do tratado de Quioto e a crítica da China a essa decisão. A surpresa vem, segundo os analistas, do Canadá, tendo uma sociedade evoluída, abandonado um programa que “salvaguarda” o planeta; e também da China por se atrever a criticar a atitude recusando-se ela própria a integrar o grupo. Não me surpreendeu nenhuma das posições. Pelo contrário, considero-as coerentes com a forma de estar na vida de cada país: o Canadá, perante a óbvia conclusão de que as medidas do tipo Quioto só serão efectivas quando perderem a hipocrisia e passarem a ser universais, decidiu, em tempos de crise e perante países que alegam estar em desenvolvimento - qual não gostaria de estar, e os que estão em regressão, como Portugal, que tipo de condescendências deveriam ter? - para não cumprirem quaisquer regras, optou por distribuir os resíduos do seu desenvolvimento por todo o planeta, como tantos outros fazem, em vez de os concentrarem na sua população, com brutais impostos ou prejuízo da qualidade de vida; e os chineses limitaram-se a seguir a filosofia “façam o que eu digo e não o que eu faço, senão não ganham dinheiro connosco”. O que os analistas esperavam era uma atitude à portuguesa: na posição do Canadá, aumentar a colecta e perseguir os automóveis; na da China, emitir opinião apenas se estivesse alinhada com a de todos os outros.
E por sermos assim, tão pseudo-altruístas, temos empresas que fizeram planos e estratégias que são arrasadas por portagens de última hora e alterações constantes na fiscalidade automóvel. Temos milhões de euros gastos em 1300 postos de carregamento para 200 carros eléctricos. Temos proibições de circulação a carros velhos, sem fazermos nada para que se troquem por novos. Temos tudo para não sermos nada.

domingo, 18 de Dezembro de 2011

Pachauri openly defends killing skeptics

When leaders are unable to deal with reality, they just get the critics sent somewhere else. 500 years ago, the Inquisition would do that burning the infidels at the stake. Some decades ago, Hitler was sending the Jews to concentration camps. This week, Pachauri has gotten to the next level: send the climate skeptics to outer space!

Grist.org has gotten so enthusiastic with the idea that they have previewed the future with the image on the left! The unforgivable phrase from Pachauri was given to the audience of the "Extreme Climate Risks and California's Future" conference, organized by California's Governor, Jerry Brown. According to Grist, what happened was:

More laughter came when Pachauri joked that Branson could give climate deniers tickets on the aviation mogul's planned flights into outer space. "Perhaps it could be a one-way ticket," Pachauri said, smiling, "though I'm not sure space deserves them."

It is time for this man to step down! And to apologize for what he has said. One cannot accept that the IPCC is being run by someone that openly suggests people being killed! These are unacceptable terms, and not even suitable for the baddest of criminals. But given what has happened in Durban, this is only one of the first demonstrations on how this Green Religion is feeling!

Update: Grist.org has corrected the news. Revkin, from NY Times, has also weighed in, and agrees that Pachauri should step down... The video is also available online now, but not at the time this post was published. The two relevant parts are visible below:

sábado, 17 de Dezembro de 2011

Ar puro da Guarda

Ao ver um dos noticiários das 13 de hoje, nem queria acreditar numa das notícias que passou! Falava-se da venda de "ar puro da Guarda", mas como estava ocupado, não pude ouvir com atenção a notícia...

Agora fui investigar, e atribuo a ela a Ecotreta de 2011 (menção agora instituída!). Então não é que se lembraram de enfrascar um bocado do ar puro da Guarda, e vendê-lo??? A um preço de 5 euros por frasco, tenho a certeza que ninguém de juízo comprará tal embuste!

O embuste é da responsabilidade do Teatro Municipal da Guarda e da empresa municipal Culturguarda! É para estas brincadeiras que afinal servem os nossos impostos??? Parece que para aqueles lados muita gente não tem mais nada de útil para fazer...

Segundo o director artístico do TMG, Américo Rodrigues, o produto inclui ainda «aroma de queijo da Serra da Estrela, essência de morcela e fragrância de giesta». O mesmo vendedor de banha da cobra, recordemos pago pelos contribuintes, refere que os principais destinatários da fraude são os emigrantes, que poderão abrir os frascos "quando sentirem um forte apelo das raízes ou uma forte saudade", mas também pode "ser utilizado livremente", sempre que o comprador "estiver em contacto com focos de poluição e se sentir deprimido ou com saudades da Guarda". Os mesmos aldrabões sugerem que no momento de abrir o frasco, o utilizador deve "inalar profundamente até sentir os pulmões vibrarem de emoção" e alertam para suspender o seu uso caso "lhe provocar um desejo intenso de voar".

Haveria ainda mais embuste a desmontar, como a da investigação do cientista russo associado, e o prémio "The Best Air in the World". Na pesquisa pela qualidade de ar das cidades, um bom recurso parece ser este, da Organização Mundial da Saúde. Nem uma referência à Guarda! Mas tem um bom mapa da qualidade do ar a nível do planeta. Não se fica surpreendido com os resultados:

sexta-feira, 16 de Dezembro de 2011

Barragem do Tua

As discussões à volta da barragem do Tua estão ao rubro. Os ecologistas propagam cada vez mais mentiras, mas pasme-se! Em vez de corrigirem as suas contas, estão a inflacioná-las! Estes tretas não têm perdão, como já evidenciei no passado: Há um ano, em Dezembro de 2010, anunciavam um custo de 7000 milhões de euros. Em Abril de 2011, subiram a parada para 15 mil milhões. Em Agosto de 2011 subiram a parada para 16 mil milhões. Agora, falam em valores entre os 16 mil e 20 mil milhões... A inflação só vai parar quando conseguirem parar o processo de construção, ou então forem completamente desmascarados pelos Media, que teimam em não querer sequer equacionar as contas...

Há uns dias, 20 ecologistas da treta fizeram uma manifestação em Lisboa, para propagandear estas mentiras. No feriado de 1 de Dezembro, também uma multidão de 20 pessoas se manifestou pela linha do Tua. Entre os 20 palhaços incluíam-se o pretendente ao trono, duque de Bragança, o aldrabão João Joanaz de Melo, e o pobre coitado Daniel Conde, cujas prestações podem ver no seguinte vídeo (vejam especialmente a partir do minuto 3:24, e a ligação ao TGV espanhol):



Daniel Conde avança com um número de 70000 passageiros em 2010, mas rapidamente depressa percebemos que a maioria devem ser alunos da escola, os quais provavelmente prefeririam um autocaro bem mais rápido. Como dizia o Ministro dos Transportes anterior, quase mais vale dar um carro a cada um dos passageiros, o que os alunos não veriam certamente com mau grado...

Agora, vem-se com a ameaça da UNESCO, entretanto já desmentida. Faz-me lembrar a treta dos rabiscos de Foz-Coa. Mas como é preciso alarmar ainda mais, e como a recente estupidez da comparação com os Budas de Bamiyan não resultou, isto não irá parar! Mas há outras visões muito interessantes, e dessas, a de pintar a barragem parece-me uma das mais interessantes... Aposto que seria um boa razão para ver uma pintura gigante ao vivo, e talvez trouxesse mais turistas que a própria Linha do Tua!!!

quinta-feira, 15 de Dezembro de 2011

O céptico Pacheco Pereira

Por esta não esperava. Na leitura dos argumentos dos alarmistas tropecei hoje no céptico Pacheco Pereira? Confesso que nunca me tinha dado conta que ele era um céptico! Da leitura do seu recente artigo no Público, de 10 de Dezembro, a primeira ideia que me veio à cabeça era se o Pacheco Pereira não seria um Cristão Novo, convertido por uma quantas circunstâncias... Como estava enganado! Ele até começou a escrever heresias antes do Ecotretas!

De uma série de artigos do blog Abrupto, do Pacheco Pereira, retirei algumas pérolas, como ele sabe escrever. Nos quadros seguintes abaixo destaco algumas dessas, com o devido link e destaques da minha responsabilidade. É pena ele utilizar pouco as etiquetas do Blogger, mas vai passar a engordar a lista dos blogs cépticos em Português, que mantenho do lado esquerdo, bem como a Lista Internacional. Vamos ver se ele acrescenta essa etiqueta a mais artigos. Mais um pró clube!

http://abrupto.blogspot.com/2011/12/estragar-o-pouco-que-resta-eu-sou-o.html
Eu sou o último dos ecologistas, "verdes", ou coisa semelhante. Sempre tive uma grande desconfiança com as posições ecologistas e um enorme cepticismo quanto ao pano de fundo dos seus argumentos. Não fui muito sensível às "gravuras que não sabiam nadar". Sou céptico quanto aos movimentos, discursos e demagogias sobre o "aquecimento global", transformados numa vaga ideologia anti capitalista e anti-industrial, que ignora que o nosso modelo de desenvolvimento, predador que seja, e é, garante apesar de tudo um mínimo de qualidade de vida para biliões de pessoas que nunca conseguiriam aceder a esse limiar sem estragar parte da natureza quase sempre sem conta, peso, nem medida. Desconfio da retórica catastrofista com o "aquecimento global" e estou muito do lado de Bjorn Lomborg nos seus argumentos contra a demagogia ambientalista que se tornou um discurso politicamente correcto nos últimos anos, nos países simultaneamente mais ricos e nos únicos que podem controlar alguma coisa a predação da natureza, exactamente porque são ricos e podem pagar esse luxo que China, Índia e Brasil não podem.

http://abrupto.blogspot.com/2009/12/coisas-da-sabado-ambiente-e-pancadaria.html
Por que razão a nobre, elevada, consciente, responsável, séria, causa de impedir que o planeta entre numa catástrofe sem saída provocada pelas alterações climáticas, no dizer dos seus organizadores, junta como um magneto a maior colecção de grupos anarquistas, extremistas, de direita e de esquerda, que há no planeta? Por que razão a mesma nobre causa provoca cenas de pancadaria deliberadas e instigadas pelos próprios grupos de manifestantes, com a polícia dinamarquesa, que não é propriamente uma polícia especialmente repressiva, num país particularmente intolerante?

http://abrupto.blogspot.com/search/label/Verdeuf%C3%A9mia
Esta velha questão volta sempre, mas volta porque tem implícita um problema que é uma incomodidade para muitos: se a manifestação de Silves fosse de skinheads ou do PNR, contra uma herdade que tinha trabalhadores indocumentados do Magrebe, a GNR colocaria dois guardas a vigiá-la ou haveria um aparato bélico por tudo quanto era campo? E não haveria prisões e barrreiras policiais? E preciosismos jurídicos para explicar por que não houve detenções? E não teriamos já tido o PM com declarações veementes sobre a ordem pública e os energúmenos nazis?

http://abrupto.blogspot.com/2007/03/aproveitem-os-ltimos-anos-de-paisagem.html
À sua volta há uma nova espécie, ou melhor a transmutação de uma velha espécie, o ecologista reconvertido aos negócios do ambiente, nas “energias renováveis”, “limpas”, que todos proclamam ser um dos maiores negócios dos próximos anos abundantemente financiado pela UE e pelo Estado português. Isto significa que os ecologistas portugueses, não todos, mas os mais vocais, deixaram de protestar mesmo que simbolicamente contra os efeitos perversos destas novas “indústrias limpas”, logo quando eles começam a revelar-se um pouco por todo o lado, na tarefa de tornar Portugal mais feio e caótico.


http://abrupto.blogspot.com/2007/02/lendo-vendo-ouvindo-tomos-e-bits-de-2_02.html
No noticiário da SIC das 20 horas uma peça muito pouco rigorosa sobre o aquecimento global, que incluía a afirmação de que os efeitos do aquecimento são idênticos aos de uma lareira numa sala fechada que "aquece tanto que até se pode morrer" (mais ou menos estas palavras). A não ser que a lareira pegue fogo à casa, morre-se é devido a envenenamento por monóxido de carbono e não pelo calor. Não pode ser...

http://abrupto.blogspot.com/2007/01/coisas-da-sbado-um-olho-cego-e-outro.html
A Quercus protestou contra a instalação de uma unidade de aquacultura da Pescanova numa zona protegida pela rede Natura, chamando a atenção para que o mesmo projecto tinha sido impedido em Espanha. Provavelmente tem razão, e é bom que a Quercus ou qualquer outro grupo ambientalista mantenha um olho aberto face à destruição acelerada do nosso ambiente. Só que uma passagem pelo sítio da Quercus na Rede e uma leitura do seu balanço do melhor e do pior de 2006 mostra como há um outro olho firmemente fechado, quando não cego de todo: aquele que não vê a rápida desaparição da nossa paisagem natural com a colocação de aerogeradores, as “ventoinhas” por tudo quanto é monte e linha de horizonte ainda bravio.

Percebe-se infelizmente porquê: trata-se de um grande negócio, um dos grandes negócios dos dias de hoje, fortemente subsidiado, movendo interesses cada vez mais alargados – empresas multinacionais, autarquias, grupos empresariais, e … ecologistas – e que alastra com a mesma velocidade rapace de outros que o precederam. A velocidade das eólicas é semelhante na sua imposição de situações”económicas” de facto à construção civil, ao urbanismo selvagem, às suiniculturas no tempo em que davam dinheiro fácil.


[De um leitor]
http://abrupto.blogspot.com/2007/01/o-abrupto-feito-pelos-seus-leitores_15.html
Neste domingo, depois de um passeio que se prolongou da Serra da Lousã ao Bigorne, em Castro D'Aire, percebi que o aquecimento global não só está a favorecer a actividade das aranhas como também desenvolve as antenas de outros insectos.

A Inquisição dos cépticos

Eles andam aí! A intimidação está a atingir níveis que vão deixar a Inquisição esquecida nos manuais da História!

Roger Tallbloke, que escreve o blog Tallbloke's Talkshop, foi alvo de uma investida da Polícia. Levaram-lhe os dois computadores mais novos. A razão parece ter sido o facto de ter sido o primeiro a relatar o Climategate 2.0. Felizmente, parece que lhe vão devolver os computadores. Como é fácil de imaginar, o objectivo não é apanhar o herói do Climategate, mas sim os mensageiros... Na verdade, os dados de acesso do autor do comentário inicial do Climategate não estão no computador de Tallbloke, mas sim no Wordpress.

Já no outro dia referia que o regresso dos cães raivosos não vai ser bonito... E os métodos não vão diferir muito de há 500 anos... Felizmente, os tempos são outros, e as notícias das atrocidades correm muito mais depressa!

quarta-feira, 14 de Dezembro de 2011

Mais uma árvore pró fogo

Assunção Cristas continua a inventar à fartazana. Ela até admitiu o óbvio no início, mas isso não a impediu de começar logo a inventar com a questão das gravatas. Dessa invenção continuamos à espera de saber quanto foi a poupança, mas isso deve ser um segredo de Estado!

Agora, Assunção Cristas entendeu anunciar uma iniciativa chamada "Vamos Plantar Portugal". Ela até disse que se cada português plantasse uma árvore, o PIB aumentaria, a nossa riqueza aumentaria e a nossa contribuição para a diminuição das alterações climáticas aumentaria.

Mas a Ministra está enganada e continua muito mal assessorada. Quando plantamos uma árvore, o PIB não aumenta. Quando utilizamos os seus frutos, tiramos partido dela, ou a cortamos, aí sim o PIB pode aumentar! Quando a plantamos, só estamos a ter custos... Acresce que, depois de as plantarmos, nada fazemos para cuidar delas! O nemátodo apareceu há uns anos atrás, mas nada se faz para resolver o problema, tendo-se considerado que a luta na erradicação está perdida!

E depois, há os fogos florestais... De vez em quando há uns anos em que não acontece nada. Mas na maioria dos anos andam uns milhares a tentar apagar o fogo, uma Missão Impossível à Portuguesa, para esturricar mais um bocado do PIB. E as asneiras somam e seguem! Entretanto, as florestas nacionais e internacionais ao arder, emitem 30% do CO2 mundial!

São poucos os que têm ideias claras sobre a matéria. Vejam as posições de Paulo Fernandes e Henrique Pereira dos Santos. Mas sobre uma coisa não há dúvidas: estar a plantar árvores nestas condições e neste País, é uma grande asneira, não aumenta o PIB, nem a nossa riqueza, e apenas aquece o Planeta!

terça-feira, 13 de Dezembro de 2011

Gases diabólicos da TSF

Um leitor enviou-me uma referência para umas pérolas da TSF, e da forma como esta estação emissora relatou os sucessos de Durban. No noticiário de ontem, pelas 8 da manhã, foi possível ouvirem-se autênticas barbaridades, sendo a seguinte apenas uma amostra, a partir do minuto 11:11 (realces da minha responsabilidade):

A principal conquista ou marco estabelecido nesta reunião de Durban, o facto de todos os países presentes se terem comprometido até 2020 a definirem um roteiro para travar os gases diabólicos.

A TSF continuou a dar-lhe com os "cowboys do carbono", numa reportagem de José Milheiro, envolvendo a temática dos REDD. Não admira que todos percamos a nossa confiança nos Media, quando se utiliza esta abordagem totalmente estupidificante! São mais uns a pregar os Mandamentos da Religião Verde, contra os Diabos e os cowboys...

segunda-feira, 12 de Dezembro de 2011

Volts explosivos

Via Espectador Interessado, tomei conhecimento de mais uma história deliciosa sobre os carros eléctricos. Já havíamos falado sobre a ocorrência de explosões em carros eléctricos, mas fui investigar mais um bocado... A segurança dos carros é, felizmente, um assunto levado muito a sério, e muitas vezes um pequeno defeito é o suficiente para os construtores terem que recolher os automóveis, e corrigir o problema.

Agora é a vez do Volt. Descobriu-se que as baterias pegam fogo em determinadas circunstâncias, e das quais os engenheiros da GM ainda nem têm bem consciência das razões! Mas o problema é que acontecem repetidamente, e quando lhes apetece! A desculpa da GM é que estes fogos ainda só aconteceram em laboratório... Pudera! Ainda há tão poucos cá fora, mas mesmo nesse aspecto até a GM está enganada. É que uma pesquisa rápida pela Internet permitiu-me descobrir pelo menos dois exemplos de Volts que foram imolados pelo fogo...

Ainda pior: começam a surgir relatos de que estas notícias têm sido encobertas, para proteger as de si já fracas vendas deste modelo da General Motors... Na verdade, as vendas do Volt nos Estados Unidos são uma grande desilusão, e com a oferta da GM de os voltar a comprar aos donos descontentes, estamos cada vez mais pertos da re-edição da história do EV1, da mesma General Motors.

Bónus: Um leitor atento fez-me chegar uma notícia absolutamente fresquinha: Nissan suspende investimento de 156 milhões na fábrica de baterias em Aveiro que já havia nascido muito torto, como havíamos referenciado aqui.

domingo, 11 de Dezembro de 2011

O sacrifício das crianças

A Religião Verde dá nisto. Os fundamentalistas tentam dar lições de moral, sendo mais uma vez as crianças a sofrerem o endoutrinamento! Desta vez foi no Reino Unido, na Academia de Ansford em Castle Cary, onde o responsável entendeu cortar o Aquecimento da Escola para salvar o planeta.

O que Rob Benzie, o eco-responsável louco, não contava era com o contributo da Mãe Natureza, que brindou a região com o dia mais frio do Ano, com temperaturas exteriores de 1ºC. O resultado foi um dia para esquecer para professores e alunos, auxiliares e pais. Para estes últimos, o plano foi considerado "barbárico" e "para além da estupidez". Um professor revelou que a ideia foi absolutamente ridícula, e que nunca tinha experimentado trabalhar em tais condições, mesmo admitindo ser todo a favor de salvar o ambiente...

Percebe-se pelos depoimentos que são estes extremistas, como em tudo na vida, que contribuem para melhor expor as loucuras desta Religião. Os pais furiosos que viram os filhos chegar a casa a tremer interiorizaram que esta não é a forma de agir. Aliás, todos eles terão sonhado certamente com o Aquecimento Global, com ainda mais calorzinho no futuro! Mas o maluco Benzie disse que o evento foi um sucesso... Os loucos e tolos religiosos são assim...

Como refere este artigo do Register, os deuses pagãos tradicionalmente requeriam sacrifícios humanos, e preferivelmente de crianças. Estas ficaram com a ideia correcta do que está representado por estas práticas de sustentabilidade! Desta vez, as crianças sobreviveram, mas Benzie promete mais sessões! Afinal, a Academia de Ansford gaba-se de estar na frente na adoração desta Religião...

Ai se a Parque Escolar sabe disto!

sábado, 10 de Dezembro de 2011

Resultados de Durban

Depois de mais escaramuças ontem, tão típicas deste circo, está a terminar mais uma cimeira do Clima, em Durban. Para terminar em grande estilo, até um documento falso andou a circular, tendo sido levado a sério!!! Não vai ser agradável o que se vai seguir. Neste aspecto, até o tretas Pachauri tem, por vezes, momentos de lucidez. Vejam só o que ele disse, transcrito daqui:

Actually, to be honest, nobody over here is paying any attention to science.

É impressionante como todos culpam os Estados Unidos e se ajoelham perante a China. Sobretudo os ecologistas! Sabendo-se que são os maiores emissores de CO2 do Mundo, ninguém se atreveu a dar-lhes um fóssil do dia em Durban!!! É a prova provada da forma como os ecologistas são manobrados, e o que realmente está em causa. Temos aqui exposto repetidamente as Verdades Inconvenientes dos Chineses (eg. este vídeo elucidativo), mas o que vemos e temos acesso, é apenas a ponta do icebergue. Vejam por exemplo este artigo, que nos mostra imagens à la Terminator, mas que não impressionam os ecologistas...

Enfim, o que resulta deste enorme desperdício de recursos é assustador! As propostas em cima da mesa são uma loucura... Tendo terminado agora a reunião do AWG-KP, é evidente que algum texto de compromisso vai ser aprovado. Tinha que ser, pois era inconcebível saírem de lá sem nada. Mas não tenham dúvidas: o regresso dos cães raivosos não vai ser bonito!

sexta-feira, 9 de Dezembro de 2011

Freeman Dyson na Sábado

O artigo sobre Freeman Dyson foi muito especial para muitos leitores, que me enviaram emails com várias referências. De todas essas mensagens, destaco e agradeço o contributo de um leitor atento, que havia arquivado um artigo da revista Sábado de 7 de Maio de 2009. Contribuiu ainda com a digitalização do artigo de três páginas, que anexo abaixo (cliquem para ver melhor). Da entrevista destacaria os seguintes dois trechos:

O seu cepticismo fez arrefecer muitas amizades a arranjou-lhe uma série de inimigos. Começaram a chover emails ofensivos na sua caixa postal: "Velho senil", "esgoto de desinformação", "cientista maluco" e "detractor de direita com interesses na indústria de petróleo" foram alguns dos mimos utilizados.

"A linha ortodoxa está a tornar-se politicamente correcta e isso é contrário ao melhor espírito do conhecimento científico. Dyson lança ideias novas e obriga-nos a pensar", diz à SÁBADO João Caraça, douturado em Física Nuclear e director do Serviço de Ciência da Fundação Calouste Gulbenkian.

quinta-feira, 8 de Dezembro de 2011

Aula prática de ecologia

O Prof. Ramiro Marques escreveu hoje um artigo sobre uma aula prática de ecologia. Os ecologistas e a Religião Verde fazem de tudo para nos limitar as nossas escolhas, e Ramiro Marques mostra como isso é verdade na nossa Sociedade de hoje. O seu texto fez-me lembrar aquele que é um dos posts mais emblemáticos sobre a fraude das lâmpadas economizadoras, que como podem ver no vídeo seguinte, demonstra de forma clara como nos impingem falsidades. Vejam como uma lâmpada incandescente avariada, consegue consumir mais energia que uma lâmpada economizadora!



Na minha colecção de posts sobre lâmpadas economizadoras tenho referenciado os inúmeros problemas que elas nos trazem, e que os leitores do ProfBlog tão bem enunciam. Mas o que se trata é mesmo de dar uma aula, porque há aqueles que nunca aprendem. Como o vídeo acima, que já mostrei a alguns ecologistas convictos (fora do blog, claro...), e que não foram capazes de perceber o que estava mal nas imagens, optando por evidenciar as supostas virtudes das lâmpadas economizadoras! Há aqueles que não aprendem, nem querem ver...

quarta-feira, 7 de Dezembro de 2011

Cépticos em Durban

Não, não me refiro ao discurso hoje de Assunção Cristas em Durban. Que foi desenxabido, e para perceiros europeus verem. O que está a dar em Durban nestes dias é o cepticismo. Que grassa com intervenções como as do Ministro do Ambiente do Canadá, que considerou o protocolo de Kyoto uma coisa do passado...

O que realmente este dia teve de interessante foi a conferência da CFACT, cujo vídeo está abaixo. Com exposições muito interessantes como as de Marc Morano ou Christopher Monckton. Já haviam dado nas vistas ontem ao saltarem de paraquedas, para chamarem a atenção dos Media para o problema das revelações de fraude científica, entre outras, reafirmadas pelos correios electrónicos do Climategate 2.0. Marc Morano apresentou igualmente um documento muito interessante, com uma compilação das asneiras propagandeadas pelos alarmistas.

Entretanto, mais informação continua a surgir sobre o circo de Durban. Neste post do WUWT, Willis Eschenbach sumariou os dados das presenças no COP17, que já havíamos evidenciado para Portugal. Parece que a Quercus não está efectivamente sozinha na infiltração nas delegações governamentais. A estratégia parece ser a de integrar as delegações, para ter acesso mais directo às negociações, e assim poder influenciá-las. A promiscuidade é tão grande que algumas delegações nacionais são completamente manietadas pelos ecologistas. E o pior desses países é um de língua oficial portuguesa, a Guiné Bissau. Dos 19 elementos da delegação, a grande maioria parecem ser da China, tão evidente pelos nomes dos próprios apelidos.

terça-feira, 6 de Dezembro de 2011

O Ecotretas no Mundo

Há estatísticas que me fazem pensar. Estas são sobre o próprio Ecotretas, e dizem respeito às visitas que o blog recebeu no passado mês de Novembro. Como podem observar pela imagem ao lado, retirada do serviço Google Analytics, são muitos os países do Mundo onde se lê o Ecotretas. Segundo os dados detalhados, o Ecotretas recebeu visitas de 78 países! À cabeça estiveram naturalmente Portugal e o Brasil, seguindo-se os Estados Unidos, Espanha e Reino Unido.

Embora alguns países tenham apenas uma visita, houve um Indonésio que ficou mais de meia hora a ver o site! E foram vários os visitantes de Macau e Timor Leste. Todos os restantes PALOP marcaram também presença! Mas há locais do Planeta onde o Ecotretas ainda não chegou, como é o caso da China e grande parte de África. Embora pontualmente elabore posts em Inglês, e mantenha a lista Skeptical Views in non-English Countries, o Ecotretas continuará essencialmente dirigido a expor as tretas ecológicas, em Português! Mesmo para uma audiência global, que vem reconhecendo cada vez mais a nossa intervenção, com investigação de factos absolutamente originais.

Serve a presente mensagem para agradecer a todos os que lêem com regularidade este blog. E também pedir desculpas a todos os leitores que me enviam sugestões por correio electrónico, e aos quais muitas vezes não tenho tempo de responder pessoalmente. Como sabem, o tempo disponível para manter este blog é muito limitado, ao contrário dos alarmistas, que são pagos e mantidos para espalharem as desgraças da Religião Verde. Mas, como sabem, o Ecotretas não está sozinho nesta luta. Como podem ver pela extensa lista de sites do lado esquerdo, são muitos os blogs em Português que também evidenciam os disparates ecológicos e energéticos que se dizem por aí! Não deixem de os consultar também...

segunda-feira, 5 de Dezembro de 2011

Canadá salta fora de Kyoto

É oficial: o Canadá não fará parte de nenhuma segunda edição do protocolo de Kyoto. A boa nova foi dada pelo própria Ministro do Ambiente canadiano, Peter Kent. A principal crítica dos Canadianos é o facto de alguns dos principais poluidores não estarem englobados no protocolo de Kyoto, entre os quais a China, o maior poluidor do Mundo. Na teleconferência a partir de Durban, e que o Ecotretas colocará abaixo logo que ela esteja disponível, o Ministro não confirmou se a retirada se fará antes do final do ano, ou seja mesmo antes de terminar oficialmente o protocolo de Kyoto.

Este é o primeiro país a debandar, depois dos Estados Unidos nunca ter saltado dentro. Este avanço do Canadá é, em meu entender, o melhor tributo que se poderia fazer a um dos cépticos mais reconhecidos do planeta, Steve McIntyre, um Canadiano de gema, mais conhecido por ter dado cabo do hockey-stick. Mas é uma notícia que escapará aos Media, tão inconveniente que é...

Actualização: Não estando disponível a teleconferência, tanto quanto saiba, disponibiliza-se o vídeo da intervenção de Peter Kent no Cop17, onde ele reafirma claramente que Kyoto é uma coisa do passado:

domingo, 4 de Dezembro de 2011

O herético Freeman Dyson

Nunca aqui me referi a um dos cépticos mais heréticos do planeta. Um leitor chamou-me a atenção para um texto de Freeman Dyson, publicado no blog Tempo Contado, donde extraí estas suas declarações (realces da minha responsabilidade):

Os efeitos do aquecimento global, segundo Dyson, serão mais vantajosos que prejudiciais. Os seus cálculos sobre o dióxido de carbono levam-no a concluir que: Muitos leigos crêem que esse gás na atmosfera resultará em séculos de desastre. Nada menos verdade. Uma molécula de CO2 permanece apenas sete anos na atmosfera, sendo depois absorvida pelos oceanos ou pela vegetação. É um equilíbrio muito dinâmico e totalmente ignorado pelo público.
Um facto matemático que também deveria ser mais conhecido, acha Dyson, é existir uma função logarítmica nos efeitos físicos do CO2. O que significa que quanto maior for o volume desse gás na atmosfera, mais diminuirão os seus efeitos. Do ponto de vista da sociedade isso é extremamente tranquilizante.
- É interessante notar – diz o jornalista – que muitos (cientistas) cépticos acerca do aquecimento global são pessoas idosas. Porque será?
Dyson permanece calado alguns segundos, o seu olhar preso no do interlocutor:
- Os cientistas idosos são financeiramente independentes e podem falar com toda a liberdade… Fora de dúvida existe um lobby do clima. Há um vasto número de cientistas que ganha dinheiro assustando o público. Não digo que o façam conscientemente, mas é facto que muitos rendimentos provêm desse medo.
O presidente Eisenhower disse um dia que o poder dos militares em determinado momento se torna perigoso, pois é tão grande. O mesmo se constata com o lobby do clima: com o poder de que dispõe torna-se perigoso."

Que palavras mais sábias! Quando as li, consegui-me identificar imediatamente com elas. A entrevista acima foi dada à revista Elsevier, sendo mais detalhada neste site em holandês, e referenciada neste outro artigo da Elsevier. Infelizmente, não me foi possível encontrar o texto original.

Mas não foi difícil encontrar mais pérolas deste eminente cientista. A mais significativa foi esta entrevista ao New York Times, absolutamente brilhante, da qual destacaria as seguintes afirmações:

Al Gore’s just an opportunist. The person who is really responsible for this overestimate of global warming is Jim Hansen. He consistently exaggerates all the dangers.

Outro artigo que merece uma leitura atenta é este publicado na Edge. E eu a pensar que já sei umas coisas disto, dou por mim a descobrir mais Verdades Inconvenientes, como a que ele descreve a seguir:

The fundamental reason why carbon dioxide in the atmosphere is critically important to biology is that there is so little of it. A field of corn growing in full sunlight in the middle of the day uses up all the carbon dioxide within a meter of the ground in about five minutes. If the air were not constantly stirred by convection currents and winds, the corn would stop growing.

Enfim, muita mais informação interessante está disponível sobre Dyson. Vejam por exemplo este artigo de 1977, em que Dyson descreve como resolver o problema do CO2... Simplesmente notável! Deixo-vos finalmente uma entrevista a Dyson, em dois vídeos, bem como uma conferência na Universidade de Boston, onde se verifica como é eloquente:


sábado, 3 de Dezembro de 2011

A desinformação a partir de Durban

Parece um puto pequeno que descobriu um Mundo Novo... É assim Francisco Ferreira em Durban! O seu relato da chegada à África do Sul, à boleia da delegação Portuguesa, e portanto paga por todos nós (e não integrado nas respectivas ONG), até mete dó...

Mas pior é o que vem a seguir... Num post de ontem sobre Cabo Verde, Franicsco Ferreira espalha um misto de desinformação e mentiras geográficas, em duas curtas frases:

Assim, países como Cabo Verde, desaparecerão primeiro porque são pequenos, pobres e precisam de ajuda, mas os maiores também não irão muito mais longe. Se não fizermos nada desde já para salvar as ilhas Africanas, Cabo Verde terá o mesmo destino de Kiribati e Tuvalu.

Francisco Ferreira não faz mesmo a menor ideia do que se passa neste Planeta! Kiribati é um dos locais do planeta onde o nível do mar mais tem baixado nos últimos anos. Gráficos de longo prazo evidenciam que está tudo absolutamente normal para aqueles sítios, nas últimas décadas! A situação de Tuvalu é a mesma, e a única coisa que se consegue fazer para aquele lado é esconder a descida do nível do mar... Dados actualizados evidenciam como as preocupações do Chico relativamente a Tuvalu são igualmente um completo disparate!

Bem, se Cabo Verde tiver a mesma sorte dessas duas ilhas, será que terá um futuro risonho? Da última vez que andamos a investigar, Cabo Verde estava um espectáculo... Os relatos mais recentes indicam a felicidade dos agricultores com a chuva, com colheitas fartas, com a única excepção das favas, "por causa do excesso de humidade"??? A única certeza dos Cabo Verdianos é que se isto é culpa do Aquecimento Global, então queremos ainda mais! E se o Chico pensa que a subida no nível do mar é um problema para os Cabo Verdianos, deve primeiro ir consultar a orografia de Cabo Verde, para perceber que esse é o último problema dessas ilhas montanhosas!

No post seguinte, Francisco Ferreira volta à carga com mais duas ilhas. Desta vez com as ilhas de Grenada (Chico: escreve-se com "e") e Nauru. Grenada foi uma surpresa para mim, porque nunca tinha ouvido referências suas... O risco de inundação destas ilhas montanhosas (3% apenas ao nível do mar) não existe... O que será que eles querem? Depois de mais alguns minutos descobri o problema deles: passou por lá o furacão Ivan em 2004... Mas o problema da população de Grenada é que já havia esquecido furacões anteriores, como o Janet de 1955, que matou cerca de 500 pessoas, ao contrário das 39 pessoas do Ivan... E todos sabemos que a actividade dos furacões está em mínimos! Quando nos focamos no CO2 e no Aquecimento Global, e nos esquecemos do que a História nos tem para dizer, dá nisso...

Nauru é uma ilha mais familiar. Pertence à Micronésia, e conforme evidenciei neste post, são ilhas que também andam entretidas a esconder a descida do nível do mar... Na altura não mostrei o gráfico do nível do mar de Nauru, mas a sua visualização permite perceber que é mais um local do planeta onde absolutamente nada de anormal se passa, pelo menos em relação ao nível do mar!

Com esta desinformação a partir de Durban, continuam assim os tiros nos pés, por parte da Quercus... Em vez de andar a fazer alguma coisa de jeito, anda mas é nas manifs... Já são tantos os tiros, que já mais parece metralha!

Actualização às 20:58: Francisco Ferreira garante-nos que é a Quercus que paga integralmente a deslocação. Continua todavia a ser estranha a presença de uma ONG na delegação oficial de Portugal, quando isso não acontece noutros países (só vi por enquanto Espanha e França), e quando existe uma listagem separada para as ONGs presentes.

sexta-feira, 2 de Dezembro de 2011

O agitador Stefan Rahmstorf

Há quase um mês contamos aqui a história da jornalista Irene Meichsner (foto da esquerda), e do que ela sofreu nas mãos do alarmista alemão Stefan Rahmstorf. Rahmstorf é um cientista do PIK (Potsdam Institute for Climate Impact Research), conselheiro governamental da Srª Merkel, e um dos membros envolvidos no Climategate, e também do site alarmista realclimate.org.

Ontem, o Der Spiegel voltou à carga, num artigo escrito por Jana Hauschild. O artigo refere o escândalo que representa o ataque de um cientista aos jornalistas, bem como a atitude do jornal (Frankfurter Rundschau) onde Irene escreveu um resumo do seu artigo original, publicado no Stadt-Anzeiger em 7 de Fevereiro de 2010. Irene levou o cientista a tribunal, e ganhou a causa, com Rahmstorf a ter que pagar à jornalista 511.58 euros, mais juros, e dois terços dos custos judiciais. As leituras dos blogs de Roger Pielke, Jr., P Gosselin e Luboš Motl dão uma visão complementar sobre estas mentiras do Rahmstorf.

Rahmstorf, que neste artigo (visão detalhada da questão, em inglês) da WPK, uma associação de jornalistas alemã, do início deste ano, é equacionado como "agitador político", continua empenhado em fazer com que o nível do mar suba mais do que as próprias previsões do IPCC, quando os dados reais apontam para uma pequena subida, ou mesmo estagnação...

quinta-feira, 1 de Dezembro de 2011

Perigos das lâmpadas economizadoras

Já aqui me referi extensamente ao problema das lâmpadas economizadoras. Enquanto os árbitros assobiam para o ar, e os ecologistas chutam para canto, descobri este documento da IKEA, que todos devem ler, porque infelizmente é difícil fugir à praga das novas lâmpadas que por aí andam... É de louvar a atitude da IKEA, na forma como informa os consumidores, transcrevendo-se abaixo aquelas partes que são mais relevantes para todos nós:

Como deitar fora uma LFCi quando esta já não funciona.
Estas lâmpadas não devem ser colocadas no lixo doméstico. Em vez disso, devem colocar-se no ponto de recolha correspondente, de acordo com a legislação ambiental local referente à eliminação de resíduos.
Enquanto cliente, o que significam estas medidas para mim?
Ao garantir que as LFCi são colocadas no lugar adequado e que são correctamente recicladas estará a evitar algumas consequências nefastas para o ambiente e para a saúde humana. Por exemplo, todas as lâmpadas contêm mercúrio, que se for libertado no fluxo normal de resíduos, pode ser prejudicial à saúde humana e ao ambiente.
Como sei que uma LCFi não deve ser colocada juntamente com o lixo doméstico e que deve ser reciclada?
Como todos os produtos eléctricos e electrónicos da gama IKEA, as LFCi estão assinaladas com o símbolo de um caixote de lixo com uma cruz vermelha por cima. Este é um símbolo europeu para a Directiva WEEE (Waste of Electric and Electronic Equipment) e significa que quando um produto chega ao seu final de vida deve ser entregue para reciclagem, no local adequado.
Quebra
Ao partir uma lâmpada fria, é libertada uma pequena quantidade de mercúrio em forma de gotas. As gotas caem rapidamente no chão, juntamente com os pedaços da lâmpada partida, por exemplo, vidro partido. Se partir uma lâmpada quente, é libertado para o ar algum mercúrio em estado gasoso.
Recomendações para quando se parte uma lâmpada fria.
Recolha os pedaços da lâmpada partida, usando, por exemplo, um bocado de papel duro ou cartão, e coloque-os num frasco de vidro com tampa. De seguida, limpe o chão com um pano húmido. Coloque o pano num frasco de vidro, feche bem e coloque uma etiqueta com a devida informação, por exemplo: "poderá conter mercúrio de uma lâmpada de baixo consumo". Coloque o frasco em instalações de reciclagem adequadas para resíduos prejudiciais ao ambiente.
Não utilize o aspirador. Existe o risco do aspirador vaporizar as gotas de mercúrio para o ar, aumentando o risco de inalação.
Recomendações para quando se parte uma lâmpada quente.
Feche as portas da divisão onde a lâmpada se partiu. Abra as janelas da divisão e abandone o espaço. A Federação Europeia dos Produtores de Lâmpadas (ELC) recomenda que ninguém permaneça na divisão durante 20-30 minutos.
Mais tarde, recolha os pedaços da lâmpada partida usando, por exemplo, papel duro ou cartão, e limpe o chão ou outras superfícies com um pano húmido. Coloque o pano num frasco de vidro, feche bem e coloque uma etiqueta com a devida informação, por exemplo: "poderá conter mercúrio de uma lâmpada de baixo consumo". Coloque o frasco em instalações de reciclagem adequadas para resíduos prejudiciais ao ambiente.
Não utilize o aspirador. Existe o risco do aspirador vaporizar as gotas de mercúrio para o ar, aumentando o risco de inalação.